Menu
Busca sexta, 18 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Sebrae - Portas Abertas
Justiça

Suspeito de ajudar milícia, delegado Obara é solto pela Justiça

Durante o curso do processo ele volta a trabalhar em funções administrativas

06 agosto 2020 - 09h31Marcos Tenório

O delegado preso em desdobramento da operação da Omerta, em junho deste ano, Márcio Shiro Obara teve o pedido de liberdade concedido nesta quarta-feira (5). Ele ficou 48 dias preso e responderá em liberdade. Durante o curso do processo ele volta a trabalhar em funções administrativas.

O advogado Ricardo Machado, que defende o delegado Obara, disse ao JD1 Notícias, que entrou com pedido de avocação de prisão preventiva, e o Juiz substituiu a prisão dele por medidas cautelares.

“Alegamos que não persiste mais os motivos que impetraram o decreto da prisão preventiva, e aliada a essas informações anexaram o histórico do Dr. Obara, que réu primário, tem bons antecedentes, tem 20 anos exercendo a função, e o juiz analisando essa questão, quanto analisar o histórico dele, resolveu colocar e aplicar esse benefício onde ele responderá o processo em liberdade”, disse o advogado Machado.

A liberdade provisória do delegado Obara foi decretada pelo juiz de primeira instância, Roberto Ferreira Filho.

O advogado informou que “ele continua a trabalhar, mas nessas medidas cautelares que foram aplicadas, Obara terá durante o curso processual, trabalhar em funções administrativas, não em funções investigativas”.

O caso

O Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO), prendeu um Delegado da Polícia Civil em Campo Grande e empresários no interior de MS, as prisões são referentes a terceira fase da Operação Ormetà, deflagrada na manhã desta do dia 18 junho.

Um dos presos da operação é o Delegado Titular da Segunda Delegacia de Polícia de Campo Grande, Márcio Shiro Obara, o servidor também foi titular da DEH (Delegacia Especializada de Homicídios).

A corregedoria da Polícia Civil também participa da operação e a instituição lançará uma nota sobre a prisão do servidor.

Operação Ormetà

A Operação Ormetà combate uma organização criminosa atuante em Mato Grosso do Sul, eles tinham grupos de extermios e envolvimento em tráficos de armas.

Diversos assassinatos cometidos na capital e no interior do estado foram a mando desta organização, que tinham como cabeças os empresários do empresário Jamil Name e Jamil Name Filho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Espaço de eventos indenizará em R$ 20 mil casal por falta de água durante casamento
Justiça
Anhanguera deverá indenizar ex-aluna por cobrança indevida
Justiça
Ministério Público move ação contra contrato do Consórcio Guaicurus
Justiça
Mutirão DPVAT: 1.787 processos podem ser finalizados em 2020
Justiça
Judiciário retoma gradativamente as atividades presenciais nesta terça
Justiça
Juiz ouve testemunhas de acusação do assassinato de Carla nesta terça
Justiça
Justiça proíbe Globo de divulgar detalhes da investigação de Flávio Bolsonaro
Justiça
Justiça determina que filhos de Flordelis fiquem em presídios separados
Justiça
Ministério Público prorroga regime diferenciado de trabalho
Justiça
Atacadão indenizará cliente que comprou linguiça com larva

Mais Lidas

Geral
Confira a agenda de lives para esta sexta-feira
Geral
CRMV-MS traz veterinários que atuaram em Brumadinho para ajudar no combate ao incêndio do pantanal
Cidade
Após 20 anos vivendo na irregularidade, 215 famílias de Bodoquena receberão título de propriedade
Justiça
Espaço de eventos indenizará em R$ 20 mil casal por falta de água durante casamento