Menu
Busca quarta, 23 de janeiro de 2019
(67) 99647-9098
PMCG Balanço super banner
Política

MP fica contra Soraya, em ação envolvendo suplente

A senadora eleita pede a inelegibilidade do primeiro suplente da sua chapa

10 novembro 2018 - 10h11Da Redação

A inusitada ação, movida pela senadora eleita Soraya Vieira Thronick, para substituir seu primeiro suplente Rodolfo Oliveira Nogueira, caminha para seu rumo natural, o arquivamento, com a derrota de Soraya e a manutenção de Rodolfo, como primeiro suplente. O recurso, que foi protocolado a época da eleição, sempre foi visto com desdém na justiça eleitoral. Na ação Soraya pede a inelegibilidade do seu primeiro suplente. E nesta quinta-feira (9), o procurador do Ministério Público Federal, Marcos Nassar  solicitou que a ação seja extinta sem resolução de mérito, sobre alegação de princípio da indivisibilidade da chapa, previsto no art. 46, § 3º, da Constituição Federal.

Para o advogado de defesa de Rodolfo, Drº Ary Raghiant Neto, o fato do Ministério Público ter acatado a argumentação feita que uma chapa é indivisível, ou seja, seria como se fosse governador e vice não existe essa possibilidade, é um ponto positivo para o encerramento desta ação. "No meu ver isso é um estelionato eleitoral e também não vejo como uma ação em si de cunho político.Sobre a questão que a Soraya levantou sobre uma possível ameaça, também não é dentro do âmbito eleitoral que se resolve", ressaltou Raghiant. O advogado espera que tudo termine de forma tranquila e rapidamente.

Caso

A briga interna no PSL, presidido em Mato Grosso do Sul por Rodolfo Nogueira, começou no mês passado. Reclamações da então candidata ao Senado sobre a postura de seu partido em relação à sua campanha e do presidenciável Jair Bolsonaro se converteram em denúncia à Polícia Civil, com registro de ocorrência por ameaça. 

Eles também alegam que Dorival Betini, então candidato a senador pelo Partido da Mulher Brasileira, ou alguém a seu mando, teria impresso na Gráfica Exata, adesivos vinculando seu nome e número ao de Jair Bolsonaro, sem reação do presidente regional do PSL. Outra “denúncia”é de que santinhos de candidatos do PSL a deputado estadual trazia os demais campos em branco ou seja sem divulgar o númeno da candidata ao Senado e de Bolsonaro.

Confira o despacho do Ministério Público

 

Sesc Novo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Vídeo: Coringa aciona ANEEL contra Energisa
Política
Reinaldo anuncia replanejamento para estabelecer obras prioritárias
Política
Para Romero, boatos de abuso sexual foram plantados por inimigos
Política
Problemas pelo Brasil estão sendo “mapeados” por ministros, diz Bolsonaro
Política
Confirmado: Simone Tebet vai disputar presidência do Senado
Política
Documentos aumentam dúvidas sobre ameaças à Soraya na campanha de 2018
Política
As razões de Flávio Bolsonaro
Saúde
Alimentar pombos está proibido em Campo Grande
Política
Ademar Capuci entra na disputa para prefeito de Nova Andradina
Política
Reforma da Previdência chega ao Congresso em fevereiro

Mais Lidas

Polícia
Sem ‘lucro’, homem mantinha garotas de programa em cárcere
Polícia
Brasileiro morre em acidente no Paraguai
Oportunidade
Funtrab abre seleção com salários de até R$ 5,9 mil
Polícia
Homem cai de pá-carregadeira e morre esmagado