Menu
Busca quinta, 27 de junho de 2019
(67) 99647-9098
Tecnologia

Aplicativos ajudam a monitorar a boa forma, o coração e o sono

21 agosto 2011 - 11h36

A febre dos aplicativos de celulares acendeu o sinal de alerta de especialistas em medicina, nutrição e atividade física. Os telefones agora ensinam posturas de ioga, monitoram o ritmo do coração e gorduras do sangue, velam o sono (gravando até o ronco), e ainda programam a rotina de exercícios, acompanhando cada passo de uma corrida com a ajuda do GPS. Mas nem tudo o que os celulares oferecem é benéfico para a saúde, e eles não substituem a consulta.

Para se ter uma ideia do sucesso dos serviços agora disponíveis, estima-se que meio bilhão de pessoas em todo o mundo usará aplicativos (apps) de saúde até 2015, segundo o relatório Global Mobile Health Market Report 2010-2015. Hoje, já existem no mercado cerca de 17 mil apps para cuidar da saúde, entre pagos e gratuitos, sendo que 43% desse total foram desenvolvidos para profissionais e empresas do setor. Na opinião do cardiologista Cláudio Domênico, alguns apps em cardiologia ajudam o público em geral, mas devem ser usados com cautela.

- Os apps não substituem a consulta - diz o médico, que vê mais benefícios dos apps para profissionais. Ele tem o Hidoctor, que lhe permite acessar a qualquer hora dados e receitas de seus pacientes.

Há apps de saúde em quase todas as especialidades. Se a pessoa quiser cuidar melhor da pele, tem o Doctor Derm, que explica 135 problemas dermatológicos, fala sobre medicamentos e traz glossário. Outros dois seguem esse modelo: A2Z to Dermatology e Pocket Derm.

- São educativos, mas autodiagnóstico e automedicação não fazem bem. Esses apps ajudam depois que o paciente já tem um diagnóstico confirmado - diz Leandra Metsavaht, diretora da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Ainda com relação à pele, Leandra diz que é preciso ter cuidado com os apps direcionados a diagnóstico, como o Skin Scan (que verifica chances de câncer da pele), e tratamentos, como o AcneApp, que se propõe a combater espinhas, emitindo luz especial e prometendo fototerapia para a pele.

- Qual o comprimento de luz um iPhone ou iPod é capaz de emitir? Quantas sessões são necessárias? Qual a distância que se deve colocar o aparelho da pele? Isso é aprovado por órgãos reguladores, como FDA, nos EUA, e Anvisa, no Brasil? São perguntas ainda sem respostas - alerta.

E quanto à insônia? Há apps que dizem que, em vez de ficar rolando na cama, basta ligar o celular. Alguns deles emitem sons para relaxar, ensinam técnicas simples de meditação e de respiração. E há programas que fazem muito mais: monitoram o sono e mostram quantas vezes uma pessoa acorda à noite, além de gravar o ronco.

- Podem estimular a sonolência, mas não devem ser usados em excesso, porque a interatividade com as várias funções do aparelho piora a qualidade do sono. Apps que registram o sono são interessantes, mas não substituem exames como polissonografia - diz o biomédico Gabriel Natan Pires, da Unifesp.

É, porém, na área de dietas e de atividades físicas que os apps mais se multiplicam. Os mais baixados são os de contagem de calorias.

- Apps ajudam as pessoas a se policiarem, mesmo não sendo 100% exatos. Por exemplo, o refrigerante zero não tem calorias, mas engorda. Se comer fosse só somar e subtrair, seria trabalho de contabilidade e não de nutrição - diz a nutricionista Patricia Davidson Haiat, que acha o aplicativo do Vigilantes do Peso uma boa opção.

Na hora de se exercitar, os apps permitem melhorar o rendimento em várias modalidades. O aplicativo iMap my run é um dos mais indicados por treinadores de corrida e permite montar diferentes planilhas de treino. Os apps também dão uma força na sala de musculação.

Com informações do jornal O Globo.

Assembleia para todos - junho-19

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tecnologia
Google suspende parte de acesso da Huawei ao Android
Tecnologia
Google anuncia realidade aumentada nas buscas
Tecnologia
Acadêmico da UFMS realiza campanha para levar projeto de engenharia para o Japão
Tecnologia
WhatsApp cria nova regra de privacidade para entrada em grupos

Mais Lidas

Polícia
Vídeo – ex-policial é executado no estacionamento do Shopping China
Polícia
Pilar de concreto cai e mata criança deitada em rede
Cidade
Supermercado Real é autuado pela venda de produtos vencidos
Polícia
Homem é atendido com faca cravada no crânio em MS