Menu
Busca quinta, 23 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
Gov - Estado que Cresce (set21)
Tecnologia

LG e Philips lançarão primeiras TVs conectadas com sistema único em 2013

10 novembro 2012 - 12h31Getty Images

A LG, Philips e Toshiba lançarão, no início de 2013, as primeiras TVs conectadas com um novo sistema que terá uma base única e permitirá que desenvolvedores criem aplicativos comuns para modelos das três fabricantes. A iniciativa faz parte da Smart TV Alliance, uma associação sem fins lucrativos criada por fabricantes de TVs e outras empresas do setor, como a fabricante de chips Qualcomm, em junho deste ano.

"Assim como aconteceu com os smartphones, as TVs conectadas estão passando por uma fragmentação de plataformas ", disse Albert Mombarg, presidente da Smart TV Alliance e chefe da divisão de TVs conectadas da Philips, durante palestra na conferência TV Apps realizada nesta quinta-feira (08), em São Paulo. "No futuro o mercado de TVs conectadas se concentrará em três ou quatro sistemas e queremos estar preparados."

Atualmente, diversos fabricantes oferecem TVs conectadas com sistemas operacionais diferentes que permitem navegar na web, acessar a previsão do tempo, assistir filmes por streaming, além de instalar aplicativos a partir de uma loja. Contudo, grande parte dos modelos rodam sistemas operacionais proprietários, isto é, que só estão disponíveis na TV da própria marca e não são compatíveis com os concorrentes.

Se o usuário comprar uma TV com conexão de internet fabricada pela LG, Samsung, Philips ou Toshiba, entre outras, só pode baixar aplicativos disponíveis naquela plataforma. Em geral, o número de aplicativos disponíveis é pequeno, já que os desenvolvedores precisam reescrever o código dos programas cada vez que quiserem oferecê-los em uma loja diferente.

Atualmente, a LG oferece cerca de 600 aplicativos (cerca de 100 em português) no Brasil (a empresa não informou o número global) e a Philips cerca de 1,5 mil em todo o mundo. Quando as novas TVs estiverem com a plataforma única, diz Mombarg, os desenvolvedores poderão ajustar seus aplicativos. A partir de então, eles ficarão disponíveis nas TVs da LG, Philips, Toshiba e de duas outras fabricantes, que devem ser anunciadas até o final de 2012.

HTML5 unirá plataformas
Segundo Mombarg, a nova plataforma desenvolvida em parceria pelas empresas da Smart TV Alliance possui uma base única, desenvolvida em HTML5. Com isso, os desenvolvedores criarão aplicativos com base nesta linguagem, em vez de usar a documentação do sistema operacional de cada fabricante. Os aplicativos baseados em web poderão, então, rodar em qualquer TV que saia de fábrica com a nova plataforma.

"Os fabricantes poderão manter sua interface de usuário e recursos exclusivos, da mesma forma como fazem hoje, mas terão uma base neutra que permitirá aumentar o número de aplicativos", explica Momberg. A Smart TV Alliance já disponibilizou o primeiro kit de desenvolvimento (SDK) para os desenvolvedores. A versão 2.0, segundo Mombarg, será lançada durante a Consumer Electronics Show 2013, feira que será realizada em Las Vegas (EUA) entre 8 e 11 de janeiro.

As empresas já estão discutindo a possibilidade de criar uma loja de aplicativos única, que poderá ser acessada a partir de todas as TVs das marcas participantes da Smart TV Alliance. Atualmente, a entidade reúne 200 empresas de diversos segmentos relacionados à fabricação de TV conectadas.

Outros sistemas comuns
Além da proposta da Smart TV Alliance, alguns outros sistemas operacionais para TVs conectadas podem ser adotados por várias fabricantes. É o caso do Google TV, sistema desenvolvido pelo Google com base no Android, que já está em alguns modelos da Sony, LG e, em breve, da Samsung. (No Brasil, apenas uma central multimídia da Sony oferece o sistema.) Ele oferece o Google Play, uma loja de aplicativos comum para todas as marcas que o adotaram, e permite navegar na web com o Chrome.

Outras empresas também estão se mexendo para oferecer sistemas operacionais comuns para TVs conectadas. É o caso do Yahoo, que oferece o sistema Connect TV, que também permite acessar aplicativos por meio da TV e ver conteúdo relacionado à programação do canal que o usuário está assistindo. O novo sistema já está disponível no Brasil, em dois modelos da AOC e um modelo da Philco, e oferece mais de 70 aplicativos.

Em uma abordagem um pouco diferente, a Opera, que já oferecia navegadores web para computadores e celulares, agora oferece um navegador adaptado para a TV, que funciona como uma loja de aplicativos. Ela permite instalar jogos e aplicativos na página inicial - de um modo similar ao já oferecido pela Chrome Web Store. Em setembro de 2012, as primeiras TVs, home theaters e tocadores de Blu-ray com o sistema Opera TV começaram a chegar ao mercado.

"É uma oferta complementar de aplicativos ao sistema próprio da Sony, mais focado em vídeos", diz Marcelo Varon, responsável por parcerias para TVs conectadas da Sony. Segundo Sabrina Zaremba, gerente regional da Opera, atualmente a loja de aplicativos para TVs oferece cerca de 100 aplicativos.

Via IG

Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tecnologia
Reunião para votar leilão do 5G está marcada para sexta-feira
Tecnologia
Plataforma do governo ajuda na resolução de problemas entre consumidores e empresas
Tecnologia
Certificado Nacional de Vacinação já está disponível pela internet
Tecnologia
Novas medidas de segurança para pix visam coibir sequestros e roubos
Tecnologia
Portal voltado às práticas do campo é criado por estagiários do Vale Universidade
Saúde
Sete UPAs tem atendimento pediátrico nesta segunda-feira; confira
Tecnologia
YouTube aponta desinformação sobre Covid e derruba vídeos de Bolsonaro
Saúde
UPAs do Cl. Antonino, Vila Almeida e Universitário tem plantão completo hoje

Mais Lidas

Geral
Vídeo: "Peixe de bosteiro", morador de rua engana população de Paranaíba
Polícia
Menino de 2 anos mata prima atropelada após dar partida em carro
Polícia
Funcionários da Energisa ficam sob mira de arma ao tentar podar árvores na Vila Olinda
Polícia
Operação “Dark Money” investiga desvio de R$ 23 milhões no esquema de corrupção em Maracaju