Menu
Busca sexta, 17 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
Gov - Estado que Cresce (set21)
Economia

Governo vai prorrogar IPI menor para linha branca

23 março 2012 - 09h59Reprodução

A redução do Imposto sobre Produtos Industrializados de linha branca, como fogão, lavadora e geladeira, anunciada em dezembro de 2011, acabaria no dia 31, mas o governo federal vai prorrogar por mais três meses, com o objetivo de estimular o consumo e a indústria.

O setor varejista, no entanto, quer que o governo estenda a medida por mais tempo - 6 a 9 meses - e reivindica a inclusão de móveis e material de construção no pacote. Segundo Fernando de Castro, presidente do IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo), o pedido de prorrogação foi enviado ao Ministério da Fazenda há dois meses e, sem uma resposta, renovado há dois dias.

"Queremos marcar uma reunião para discutir o assunto com o [Guido] Mantega [ministro da Fazenda] na próxima semana. Estamos nos mobilizando para isso", diz o presidente da instituição, que reúne 35 grandes varejistas do país, como Magazine Luiza e Grupo Pão de Açúcar. Segundo ele, com o IPI menor mantido, haverá mensalmente um efeito positivo de três pontos percentuais nas vendas do varejo.

Balanço

Sob o efeito da redução, as vendas de eletrodomésticos da linha branca tiveram aumento de 22,63%, na média, entre dezembro e fevereiro, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Os dados se referem só aos produtos que ficaram com imposto menor (geladeira, fogão, lavadora, tanquinho). A estimativa foi feita pelo IDV.

"É fundamental manter a desoneração. Estamos prevendo uma desaceleração do varejo nos próximos meses. O governo deve tomar medidas adequadas para permitir a retomada da economia", afirma Fernando de Castro.

Segundo o levantamento, o benefício fiscal puxou as vendas desses produtos em 15 a 20 pontos percentuais. "O IPI menor já surtiu efeito, mas o prazo do benefício [de quatro meses] foi muito curto. A decisão de compra de um eletrodoméstico não é imediata. É preciso mais tempo", diz Castro.

Para fogões, a alíquota, que era de 4%, foi zerada. Para as geladeiras, o percentual foi reduzido de 15% para 5% e, para as máquinas de lavar, de 20% para 10%. A alíquota sobre tanquinhos também foi zerada (era de 10%). A desoneração da linha branca já havia sido feita em abril de 2009. Na época, a medida também foi prorrogada.

Via Folha.com

Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Beneficiários do Bolsa Família começam a receber 6ª parcela do auxílio
Economia
Trabalhadores nascidos em novembro podem sacar auxílio emergencial
Economia
Projeto do Governo para reduzir conta de energia é aprovado na Assembleia
Economia
Motoristas de apps vão ter incentivos, o que deve melhorar a vida dos passageiros
Economia
Trabalhadores nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial
Economia
Procon-MS devolve quase meio milhão a consumidor no primeiro semestre de 2021
Economia
Trabalhadores nascidos em setembro podem sacar auxílio emergencial
Economia
Funcionário diz que JBS está sem realizar abate
Economia
Segundo Ministro das Comunicações, tecnologia 5G pode trazer U$ 1,2 tri em investimentos
Economia
No dia do cliente, Salomão dá dicas para evitar fraudes em promoções

Mais Lidas

Geral
Vídeo: "Onda onda, olha a onda", Brasil pode ser atingido por tsunami
Geral
Esacheu perde eleição para Jary Castro na Santa Casa
Polícia
Pedreiro morre ao cair do segundo andar de obra no Alphaville 4
Polícia
Vídeo: Homem é flagrado “encoxando” mulher em coletivo na Capital