Menu
Busca sábado, 28 de janeiro de 2023
(67) 99647-9098
Governo - Dengue Jan22
Economia

Mês de outubro registra queda de 8,3% no desemprego

Informação é da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua

30 novembro 2022 - 13h15Evelyn Thamaris Com Informações Agência Brasil

Se concretizando como a menor taxa de desemprego para o período desde 2014, o trimestre finalizado em outubro encerrou com recuo de 8,3 %. A taxa representa queda de 0,8 ponto percentual (p.p.) em relação ao trimestre anterior (maio a julho), sendo a menor para o período desde 2014. Na comparação com o mesmo trimestre de 2021, a queda foi de 3,8 p.p.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada hoje (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo o levantamento, o contingente de pessoas ocupadas chegou a 99,7 milhões, aumento de 1% no trimestre, batendo novamente o recorde na série histórica, iniciada em 2012. “Este momento de crescimento de ocupação já vem em curso desde o segundo semestre de 2021. Com a aproximação dos últimos meses do ano, período em que historicamente há aumento de geração de emprego, a tendência se mantém”, afirmou, em nota, a coordenadora da Pnad Adriana Beringuy.

Já a população desocupada alcançou 9 milhões de pessoas, representando recuo de 8,7% em comparação com o trimestre encerrado em julho. É o menor nível desde julho de 2015.

Em relação ao nível da ocupação, ou seja, o percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar, houve aumento de 0,4 p.p., chegando a 57,4%. “Já a taxa composta de subutilização caiu para 19,5%, uma queda de 1,4 p.p. no trimestre e 6,7 p.p. no confronto contra o mesmo trimestre do ano passado. A população subutilizada também caiu (6,7%) e chegou 22,7 milhões de pessoas”, diz o IBGE.

A Pnad Contínua para o trimestre encerrado em outubro também demonstra a tendência de crescimento para o número de empregados com carteira de trabalho assinada. Em relação ao trimestre anterior, o aumento foi de 2,3% (822 mil pessoas), chegando a 36,6 milhões.

"Esse índice segue em alta há mais de um ano, mostrando não apenas que o mercado de trabalho está em expansão numérica de ocupados, mas também apresentando algum crescimento na formalização da população ocupada", avaliou Adriana Beringuy.

JD1 No Celular

Tenha em seu celular o aplicativo do JD1 e acompanhe em tempo real todas as notícias. Para baixar no IOS, clique aqui. E aqui para Android.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Banco Central aponta que famílias e empresas pagaram juros mais altos em 2022
Economia
Beneficiários de NIS final 8 recebem parcela do Bolsa Família hoje
Economia
Índice de Confiança do Consumidor recua 2,2 pontos em janeiro
Economia
Bolsa Família é paga para beneficiários do NIS com final 7
Economia
Americanas pede recuperação judicial nos EUA
Economia
Pix termina 2022 com R$ 10,9 trilhões movimentados
Economia
Caixa paga Bolsa Família a beneficiários de NIS de final 6
Economia
Ministro do Trabalho pedirá fim de novos pedidos de saque-aniversário
Economia
Após 11 meses em alta, inadimplência teve queda em dezembro
Economia
Prévia da inflação ficou em 0,55% em janeiro, aponta IBGE

Mais Lidas

Brasil
Anitta vira assunto ao ter cenas íntimas vazadas na internet; assista
Polícia
Criança morta com bexiga tinha 7 meses e brincava na sala de casa
Polícia
Mãe ficou 'tranquila' com filha morta em UPA; criança já tinha ido 30 vezes ao hospital
Geral
JD1TV: Policial agride advogada dentro de delegacia da Capital