Menu
Menu
Busca segunda, 27 de maio de 2024
Secovi
Economia

Previsão do mercado financeiro para inflação sobe para 5,96%

Expansão da economia ficou estável em 0,9%

03 abril 2023 - 12h00Karine Alencar

A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, subiu de 5,93% para 5,96% este ano. A estimativa consta no Boletim Focus desta segunda-feira (3), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), em Brasília, com a expectativa de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos.

Para 2024, a projeção da inflação ficou em 4,13%. Para 2025 e 2026, as previsões são de inflação de 4%, para os dois anos.

A estimativa para este ano está acima do teto da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. Definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), a meta é de 3,25% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é de 1,75% e o superior de 4,75%.

Segundo o BC, a chance de a inflação oficial superar o teto da meta em 2023 é de 83% [https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2023-03/bc-aumenta-projecao-de-crescimento-da-economia-de-1-para-12].

Da mesma forma, a projeção do mercado para a inflação de 2024 também está acima do centro da meta prevista, fixada em 3%, mas ainda dentro do intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual.

Em fevereiro, puxado pelo grupo educação, com os reajustes aplicados pelos estabelecimentos de ensino na virada do ano, o IPCA ficou em 0,84% , segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, o indicador acumulou alta de 1,37% no ano e de 5,6% nos últimos 12 meses.

Juros- Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, definida em 13,75% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). A taxa está nesse nível desde agosto do ano passado e é o maior nível desde janeiro de 2017, quando também estava nesse patamar.

Para o mercado financeiro, a expectativa é de que a Selic encerre o ano em 12,75% ao ano. Para o fim de 2024, a estimativa é de que a taxa básica caia para 10% ao ano. Já para o fim de 2025 e de 2026, a previsão é de Selic em 9% ao ano e 8,75% ao ano, respectivamente.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Desse modo, taxas mais altas também podem dificultar a expansão da economia. Mas, além da Selic, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Quando o Copom diminui a Selic, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação e estimulando a atividade econômica.

PIB e câmbio- A projeção das instituições financeiras para o crescimento da economia brasileira neste ano se manteve em 0,9%, mesma da semana passada.

Para 2024, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país) é de crescimento de 1,48%. Para 2025 e 2026, o mercado financeiro projeta expansão do PIB em 1,8%, para os dois anos.

A expectativa para a cotação do dólar está em R$ 5,25 para o fim deste ano. Para o fim de 2024, a previsão é de que a moeda americana fique em R$ 5,30.

Agência Brasil

Reportar Erro
Assembleia - Maio24

Deixe seu Comentário

Leia Também

Novo Bolsa Família
Economia
Caixa paga parcela do Bolsa Família a beneficiários de NIS final 7 nesta segunda
Bolsa Família realiza novos pagamentos neste mês
Economia
Parcela do Bolsa Família é paga para beneficiários de NIS final 6 nesta sexta
Receita Federal abre consulta de restituição do Imposto de Renda
Economia
Começa nesta quinta-feira consulta ao lote de restituição do IRPF
Novo Bolsa Família do Governo Federal
Economia
Parcela do Bolsa Família é paga para beneficiários de NIS final 5 nesta quinta
Receita Federal abre consulta de restituição do Imposto de Renda
Economia
Começa consulta a maior lote de restituição do IR da história
Novo Bolsa Família
Economia
Parcela do Bolsa Família é paga para beneficiários de NIS final 4 nesta quarta
Receita Federal abre consulta ao maior lote de restituição do IR na história
Economia
Receita Federal abre consulta ao maior lote de restituição do IR na história
Parcela do Bolsa Família é paga para beneficiários de NIS final 3 nesta terça
Economia
Parcela do Bolsa Família é paga para beneficiários de NIS final 3 nesta terça
BNDES estuda linha especial para reconstrução do Rio Grande do Sul
Economia
BNDES estuda linha especial para reconstrução do Rio Grande do Sul
IPVA vence dia 29 de maio
Economia
Atenção motoristas de MS: quinta parcela do IPVA vence dia 29 de maio

Mais Lidas

Presídio de Segurança Máxima, em Campo Grande
Polícia
Mulher é detida após tentar entregar celular para irmão no Presídio da Máxima
'É grosso?' Ney Matogrosso posta nudes nas redes sociais
Brasil
'É grosso?' Ney Matogrosso posta nudes nas redes sociais
Amalha trabalhava como corretora de imóveis
Polícia
Corretora foi morta a pauladas por 'amigo' após não entrar em esquema de golpe
Folga menstrual
Comportamento
AGEMS institui folga menstrual que será projeto piloto no governo estadual