Menu
Busca segunda, 13 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Governo dengue 03 - tarde demais
Justiça

Hospital proíbe acompanhantes durante parto, mas Defensoria recorre e reestabelece o direito

Segundo HU, proibição foi imposta devido a pandemia da Covid-19

30 junho 2020 - 16h54Flávio Veras, com informações da assessoria

Após receber várias denúncias de gestantes de que o Hospital Universitário de Dourados havia proibido a presença de acompanhante na sala de parto e centro cirúrgico, no momento do parto, a Defensoria Pública de MS buscou a parceria da Defensoria Pública da União (DPU) para assegurar esse direito. Conforme o Hospital Universitário, a proibição foi imposta devido à situação de emergência sanitária ocasionada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Segundo o HU uma instituição de responsabilidade da União, o órgão competente para tratar dos assuntos relacionados e da DPU. Por isso, a defensora pública de Defesa da Mulher (Nudem) da comarca de Dourados, Inês Batisti Dantas Vieira, procurou a defensora pública federal Andressa Santana Arce Defensora Pública Federal (em substituição) e, juntas, elaboraram uma orientação para que as gestantes pudessem voltar a ter um acompanhante.

O documento destaca que, nesta crise, “os direitos das mulheres, arduamente conquistados ao longo de anos de avanços e que se manifestaram em políticas públicas, estão duramente ameaçados. O direito ao acompanhante se refere a amparo básico de assistência, que abrange até mesmo planos privados de saúde, conforme previsão expressa da Resolução n.º 428/2015 da ANS; 11”.

A defensora explica que mesmo no contexto da pandemia da Covid-19, “os valores éticos e políticos a orientar a atenção ao parto e ao nascimento no Brasil devem permanecer calcados no entendimento da saúde como um direito (artigo 6º da Constituição Federal de 1988) e no marco geral dos direitos humanos”.

Além disso, “a Organização Mundial de Saúde (OMS) se manifestou declarando que todas as mulheres grávidas, incluindo aquelas com infecção confirmada ou suspeita por COVID-19, têm direito a cuidados de alta qualidade antes, durante e após o parto e que uma experiência de parto segura e positiva inclui ter um acompanhante da sua escolha presente durante o parto”.

A orientação frisa que todos os cuidados preventivos à Covid-19 podem ser tomados, tanto em relação à paciente quanto ao/à seu/sua acompanhante, tais como: higienização e esterilização, uso de máscaras e outras medidas preventivas, de forma a assegurar que parturiente e acompanhante permaneçam no mesmo ambiente e sob as mesmas condições de esterilização e proteção.

“A medida não implica riscos para a equipe de saúde e muito menos para a parturiente já que, normalmente o/a acompanhante é uma pessoa do convívio da gestante e que vai apoiá-la no pós-parto, nos cuidados pessoais e com o bebê”, comenta a defensora pública de Defesa da Mulher.

O documento também registra a preocupação das instituições com o risco de mulheres optarem por permanecer o período do trabalho de parto em casa, buscando ajuda médica apenas quando o trabalho de parto estiver avançado, ou em situação de emergência, o que, sem acompanhamento, pode representar alto risco para as mulheres e os bebês.

A direção do Hospital Universitário de Dourados respondeu às orientações da Defensoria Pública de MS e Defensoria Pública da União, em menos de 24h, e divulgou nos seus canais de comunicação que manterá o direito de um acompanhante às gestantes “na sala de parto e/ou no centro cirúrgico durante todo o período trabalho de parto, parto e pós-parto”. Comunicou, ainda, que o Hospital restabeleceu seu estoque de EPIs para atender a medida conforme as orientações repassadas.

PMCG Refis

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Homem responde em liberdade após tentar abusar da sobrinha de 13 anos no MS
Justiça
Estácio pagará R$ 194 mil por contratos abusivos e cobranças indevidas
Justiça
Estado seguirá TAC que disciplina licitações de informática
Justiça
TJ faz alerta sobre pandemia em MS
Justiça
TJMS diz que é inconstitucional nome e atribuição de polícia a Guarda da capital
Justiça
Aposentadoria computa tempo de trabalho infantil
Justiça
MP "vai pra cima" da Energisa contra liminar que suspendeu perícia
Justiça
TJ libera 324 milhões durante pandemia e ajuda economia de MS
Justiça
Justiça concede foro especial a Flávio Bolsonaro no caso das “rachadinhas”
Justiça
Justiça proibe tios de visitar sobrinho durante a pandemia

Mais Lidas

Brasil
Estudante picado por naja no DF tem melhora no quadro de saúde
Cultura
Almir Sater promove Live Pantaneiros do Bem
Geral
Jovem morre após ser arremessada de veículo durante acidente
Polícia
Polícia impede furto em agência bancária do interior