Menu
Busca quinta, 09 de julho de 2020
(67) 99647-9098
TJMS julho20
Justiça

Justiça proibe tios de visitar sobrinho durante a pandemia

A defesa do pai da criança alega que casal é proprietário de um supermercado e possuem contato com pessoas que podem se infectar

24 junho 2020 - 15h32Sarah Chaves, com informações da assessoria

A 2ª Câmara Cível do tribunal de Justiça em Campo Grande negou pedido de um casal que teve o direito a visitas ao sobrinho em finais de semana alternados.

Um casal que teve o direito a visitas ao sobrinho em finais de semana alternados foi proibido pela 2ª Câmara Cível do tribunal de Justiça em Campo Grande, de visitar a criança em razão das medidas de isolamento social decorrentes da pandemia causada pelo Covid-19.

 A criança está na guarda do pai, mas os tios maternos pediram para ter direito ao convívio.

Os tios alegam que a medida de suspensão das visitas ao sobrinho não se justifica, uma vez que, tanto eles como a avó materna do menor, possuem menos de 50 anos idade, estando fora do principal grupo de risco de contaminação pela doença e, ainda, destacam que é ínfimo o número de óbitos envolvendo pessoas com menos de 60 anos idade, ademais, cuidando-se de criança.

Eles dizem ainda que o pai da criança está circulando livremente, não havendo motivo para tirar a criança do convívio com os tios.

A defesa do pai da criança alega que casal é proprietário de um supermercado e, possuem contato com grande número de pessoas e podem se infectar.

Para o relator do recurso, Des. Marco André Nogueira Hanson, a Constituição Federal adotou a denominada teoria da "proteção integral" do menor - princípio da prioridade absoluta dos interesses da criança, impondo-se, com rigor, a observância da efetiva implementação ou realização dos direitos das pessoas em sua inicial formação.

“Há de se atender ao melhor interesse da criança e, desse modo, considerando-se as medidas de isolamento social determinadas por algumas autoridades, entendo que neste momento não convém restabelecer o direito de visitas dos tios/agravantes ao menor, ademais, considerando que os agravantes estão em contato com grande número de pessoas, em razão de serem proprietários de um supermercado, o qual, inclusive, fica anexo a residência familiar”, disse o desembargador, salientando que o momento é de prudência, devendo ser suspenso o direito de visitas, por ora.

O processo tramitou em segredo de justiça.

 

PMCG Refis

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Estácio pagará R$ 194 mil por contratos abusivos e cobranças indevidas
Justiça
Estado seguirá TAC que disciplina licitações de informática
Justiça
TJ faz alerta sobre pandemia em MS
Justiça
TJMS diz que é inconstitucional nome e atribuição de polícia a Guarda da capital
Justiça
Hospital proíbe acompanhantes durante parto, mas Defensoria recorre e reestabelece o direito
Justiça
Aposentadoria computa tempo de trabalho infantil
Justiça
MP "vai pra cima" da Energisa contra liminar que suspendeu perícia
Justiça
TJ libera 324 milhões durante pandemia e ajuda economia de MS
Justiça
Justiça concede foro especial a Flávio Bolsonaro no caso das “rachadinhas”
Justiça
Relações trabalhistas mudarão após pandemia, diz advogado

Mais Lidas

Geral
AO VIVO - V12 e DJ Marcelo Natureza tocam as mais pedidas pelo público
Saúde
Prefeitura garante R$ 9,5 milhões para a Santa Casa
Política
“Estou bem melhor”, diz Paulo Corrêa
Esportes
Live: Rodeio sem público começa nesta quinta em Chapadão do Sul