Menu
Busca domingo, 09 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Governo 01
Justiça

Moradora de MS terá direito de resposta após ser ofendida por apresentador da Band

Para justiça, Neto usou termos extremamente ofensivos ao se referir à mulher durante o programa

05 agosto 2019 - 14h54Rauster Campitelli, com informações da assessoria

Os desembargadores da 4ª Câmara Cível de Mato Grosso do Sul decidiram que a TV Bandeirantes terá que dar direito de resposta a uma moradora de Mundo Novo, após a mulher ser ofendida pelo ex-atleta e apresentador esportivo, José Ferreira Neto, durante a transmissão do programa Os Donos da Bola. O episódio aconteceu em 2016 e envolve a proprietária de uma boate.

Consta nos autos que, durante a transmissão do programa esportivo, o apresentador comentou sobre uma viagem ao município de Mundo Novo, lembrou da autora e começou a falar sobre ela. Em comentários desagradáveis, o apresentador começou a falar de sua beleza e de seu corpo de forma constrangedora, afirmando que a apelante era dona de uma casa de prostituição.

A Justiça considera que Neto usou termos extremamente ofensivos ao se referir à mulher. Por unanimidade, os desembargadores da 4ª Câmara Cível deram provimento ao recurso interposto pela vítima, contra a decisão de primeiro grau que julgou improcedente o pedido de resposta ou retificação de conteúdo ofensivo em programa de televisão nacionalmente conhecido.

Por conta do ocorrido, a autora pleiteou a condenação da emissora para transmitir seu direito de resposta, com comunicação de multa em caso de descumprimento da obrigação.

O relator do processo, Des. Júlio Roberto Siqueira Cardoso, ressaltou que “tanto a Lei de imprensa quanto a CF/88 protegem o direito de informação, a liberdade jornalística, não podendo, contudo, este direito ser exercido com exagero, de forma que as notícias devem ser transmitidas em total sintonia com a verdade, sendo impostos alguns limites que devem ser respeitados, existindo consequências para os casos em que as pessoas se utilizem de forma abusiva, como nos casos em que há o direito de resposta”.

O desembargador considerou, ainda, que o conteúdo na apresentação do programa atinge diretamente a honra da autora, pois era clara a identidade da apelante. “Assim, não tenho dúvidas em reformar a sentença, concedendo à autora/apelante o direito de resposta ou retificação, no prazo de 30 dias, no mesmo dia da semana, tempo e horário utilizados pelo apresentador, sob pena de multa diária de R$ 1 mil, limitada sua aplicação em 30 dias”.

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Paraguai não acha provas contra Ronaldinho e ex-jogador pode ser inocentado
Justiça
“Se não contermos a pandemia, colapso na Saúde é invitável”, diz defensor-geral de MS
Justiça
AO VIVO: Audiência de “fechamento” termina sem acordo
Justiça
AO VIVO: Audiência do “fechamento”, o que pensam as partes?
Justiça
Juiz barra presença de vereador em reunião de conciliação
Justiça
Indústria terá assento em audiência amanhã sobre “fechamento” da capital
Justiça
Justiça: Drogasil terá que indenizar cliente por assédio de atendente
Justiça
Caso Prior: Delegada encerra inquérito de suposto estupro
Justiça
Suspeito de ajudar milícia, delegado Obara é solto pela Justiça
Justiça
Justiça quer diálogo antes de decidir sobre “fechamento”

Mais Lidas

Polícia
Colisão entre motocicleta e carro causa a morte de uma professora em MS
Saúde
UPAs terão 16 pediatras atendendo pela manhã e a tarde, veja onde encontrá-los
Clima
Temperatura pode chegar a 32°C na capital neste domingo
Cidade
Obras na Ernesto Geisel serão retomadas amanhã