Menu
Busca quinta, 14 de novembro de 2019
(67) 99647-9098
Governo - Festival America do Sul
Justiça

Moradora de MS terá direito de resposta após ser ofendida por apresentador da Band

Para justiça, Neto usou termos extremamente ofensivos ao se referir à mulher durante o programa

05 agosto 2019 - 14h54Rauster Campitelli, com informações da assessoria

Os desembargadores da 4ª Câmara Cível de Mato Grosso do Sul decidiram que a TV Bandeirantes terá que dar direito de resposta a uma moradora de Mundo Novo, após a mulher ser ofendida pelo ex-atleta e apresentador esportivo, José Ferreira Neto, durante a transmissão do programa Os Donos da Bola. O episódio aconteceu em 2016 e envolve a proprietária de uma boate.

Consta nos autos que, durante a transmissão do programa esportivo, o apresentador comentou sobre uma viagem ao município de Mundo Novo, lembrou da autora e começou a falar sobre ela. Em comentários desagradáveis, o apresentador começou a falar de sua beleza e de seu corpo de forma constrangedora, afirmando que a apelante era dona de uma casa de prostituição.

A Justiça considera que Neto usou termos extremamente ofensivos ao se referir à mulher. Por unanimidade, os desembargadores da 4ª Câmara Cível deram provimento ao recurso interposto pela vítima, contra a decisão de primeiro grau que julgou improcedente o pedido de resposta ou retificação de conteúdo ofensivo em programa de televisão nacionalmente conhecido.

Por conta do ocorrido, a autora pleiteou a condenação da emissora para transmitir seu direito de resposta, com comunicação de multa em caso de descumprimento da obrigação.

O relator do processo, Des. Júlio Roberto Siqueira Cardoso, ressaltou que “tanto a Lei de imprensa quanto a CF/88 protegem o direito de informação, a liberdade jornalística, não podendo, contudo, este direito ser exercido com exagero, de forma que as notícias devem ser transmitidas em total sintonia com a verdade, sendo impostos alguns limites que devem ser respeitados, existindo consequências para os casos em que as pessoas se utilizem de forma abusiva, como nos casos em que há o direito de resposta”.

O desembargador considerou, ainda, que o conteúdo na apresentação do programa atinge diretamente a honra da autora, pois era clara a identidade da apelante. “Assim, não tenho dúvidas em reformar a sentença, concedendo à autora/apelante o direito de resposta ou retificação, no prazo de 30 dias, no mesmo dia da semana, tempo e horário utilizados pelo apresentador, sob pena de multa diária de R$ 1 mil, limitada sua aplicação em 30 dias”.

Athus Ingles

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Denúncias anônimas podem estabelecer procedimentos administrativos no MP
Justiça
STF suspende uso da Taxa Referencial
Justiça
STJ confirma decisão do TJ-MS, em ação de 39 anos
Justiça
Desembargador Ruy Celso mantém milicianos presos
Justiça
Crianças terão espaço especial para testemunhar em tribunais
Justiça
Slimes com bórax é proibido no MS
Justiça
Defesa quer que Name Filho volte para a capital
Justiça
MPMS denuncia suspeitos de assassinar servidora com barra de ferro
Justiça
Em nota, Odilon diz que TRF-3 está “apenas verificando a regularidade”
Justiça
CCJ aprova PEC que torna feminicídio crime imprescritível

Mais Lidas

Polícia
Corpo cheio de fezes é encontrado em casa abandonada
Polícia
Capataz mata gerente durante briga em fazenda
Justiça
Denúncias anônimas podem estabelecer procedimentos administrativos no MP
Brasil
Doença de filho de Leonardo é incurável e causa dores intensas