Menu
Busca quinta, 21 de fevereiro de 2019
(67) 99647-9098
Política

Compra de votos para Jogos Olímpicos no Rio é negada por Cabral

O ex-governador foi interrogado ontem

10 agosto 2018 - 08h11Da redação, com informações da Agência Brasil

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, negou o pagamento de propina a representantes africanos com o objetivo de garantir a vitória da candidatura da cidade para sediar os Jogos Olímpicos de 2016. Cabral foi interrogado pelo juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal, se houve repasse de dinheiro, no âmbito da Operação Unfair Play. 

O ex-governador foi enfático em dizer que não houve repasse ao senegalês Papa Diack, filho do ex-presidente da Federação Internacional de Atletismo Lamine Diack. Disse ainda que não poderia responder pelas ações de outros dois investigados, o empresário Arthur Soares, conhecido como Rei Arthur, e Leonardo Gryner, ex-diretor de operações do Comitê Rio 2016.

Encontro familiar

Antes do interrogatório, Cabral teve a oportunidade de encontrar seus pais, um de seus filhos e um dos netos. A família de Cabral chegou cedo ao prédio da Justiça Federal e ficou aguardando por cerca de duas horas para falar com ele.

O pai, Sérgio Cabral, estava acompanhado da mãe, Magali, do filho e deputado federal Marco Antônio Cabral, que veio com sua esposa e o bebê do casal. O pai de Cabral veio em um andador e depois foi colocado em uma cadeira de rodas. O encontro, autorizado por Bretas, foi no 7º andar e não pode ser acompanhado pela imprensa.

Depois do depoimento, Cabral contou que foi muito emocionante reencontrar sua família, principalmente o pai, que está com 81 anos. Disse que a última vez que o viu foi no presídio, em Benfica, no Dia dos Pais.

Antes de Cabral, Griner falou durante cerca de duas horas e também negou que tivesse havido qualquer tipo de acerto financeiro para trazer os Jogos para o Rio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Azambuja fala sobre reforma da Previdência no Globo News
Brasil
Para Guedes reforma da Previdência não pode ser menor que R$ 1 trilhão
Política
Vereadores votam quatro projetos na sessão de quinta-feira
Política
No STF, Azambuja discute Lei Kandir e repasses da União para os estados
Política
Bolsonaro entrega reforma da Previdência ao Congresso
Brasil
Suspensão de decreto sobre sigilo de documentos é aprovado pela Câmara
Política
Renato Câmara tem nome indicado para presidir o MDB-MS
Brasil
Nelsinho é o novo coordenador da bancada do MS no Congresso
Brasil
Campos Neto será sabatinado na próxima semana
Política
Orro propõe que leitura nos presídios diminua a pena dos custodiados de MS

Mais Lidas

Polícia
Depois de sair de festa, jovem morre ao capotar veículo no centro
Cidade
Evite ser multado, saiba onde estão os radares nas ruas da capital
Polícia
Dupla em motocicleta atira e acerta rosto de policial, na fronteira
Cidade
Prefeitura convoca aprovados em processo seletivo para merendeiro