Menu
Busca quinta, 21 de março de 2019
(67) 99647-9098
Política

Durante entrevista em rádio, Fábio Trad destaca projeto sobre assédio

O deputado também falou sobre o clima entre os parlamentares na Câmara

11 março 2019 - 15h31Mauro Silva com CBN

O deputado Fábio Trad em entrevista à Rádio CBN de Campo Grande na manhã desta segunda-feira (11) revelou como está o clima na Câmara, conforme ele, ainda está com o “perfume" da campanha do ano passado. O parlamentar destacou também o seu projeto de lei que está no Congresso Nacional e fala sobre o assédio obsessivo ou insidioso.

De acordo com o deputado, o ambiente entre os parlamentares ainda está polarizado, exalando o “perfume” da campanha eleitoral de 2018. “Tudo o que o PT fala é contestado pelo PSL e vice-versa. E isso cria um ambiente de radicalismo, eu adotei uma estratégia diferente, enquanto eles brigam eu apresento projetos”, afirmou.

“Já aprovamos um que constitui um grande avanço para a saúde mental dos brasileiros incentivando pesquisadores e cientistas a produzirem projetos e planos de boas práticas de saúde mental. Um dos primeiros projetos aprovados na Câmara dos Deputados este ano”, acrescentou.

Segundo Fábio, ele conseguiu a proeza de reunir em torno desse projeto a adesão dos bolsonaristas e lulistas. O deputado espera que esse clima hostil acabe, pois o Brasil necessita da atenção dos seus parlamentares aos seus problemas.

Assédio obsessivo

Outro projeto que o parlamentar destacou durante sua entrevista foi sobre a o assédio obsessivo ou insidioso. Que ressalta sobre a perseguição à mulher. “Projeto define como crime o assédio obsessivo praticados por quem não consegue controlar suas próprias frustrações seus ressentimentos e suas culpas”, explicou.  

“E extravasam esses sentimentos através do prazer que sente com a dor de suas vítimas. Não são apenas as mulheres que são vítimas, os homens também passam por situações semelhantes, porém é a minoria dos casos”, afirmou.  

De acordo com Fábio, pesquisas apontam que muitos casos de stalking resultam em agressões mais graves, sendo lesão corporal ou até mesmo o homicídio, no caso das mulheres o feminicídio. “Esse é um projeto importante no âmbito jurídico, pois não há lei penal no país que criminaliza a conduta do perseguidor excessivo daquele que assedia”, afirmou.    

Andamento

A lei prevê a criminalização do assédio obsessivo da perseguição estabelecendo uma pena de reclusão de dois a quatro anos e multa. E se o crime foi cometido com quem já foi parceiro intimo da vítima a pena aumenta de três a cinco anos, caso o ato aconteça nas redes sociais (internet) pelo anonimato a pena pode aumentar ainda mais. “A lei atual não fala nada sobre essa prática, esse tipo de assédio ainda é considerado uma contravenção”, revelou o deputado.

O projeto foi protocolado há três semanas "e eu falei pessoalmente com o presidente da Câmara Rodrigo Maia e disse para ele sobre a importância da votação da proposta", finalizou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Jamilson Name manifesta interesse em disputar a prefeitura da capital
Política
Moradia: CCJ aprova projeto de Simone que beneficia população de baixa renda
Política
Recursos de R$ 169 milhões serão investidos em obras na capital
Política
João Rocha e Paulo Corrêa visitam Casa da Mulher Brasileira
Política
Fábio Trad é reconduzido à coordenação do PSD na CCJC
Política
Jamilson Name quer corte de ICMS para setor alimentício
Política
Reinaldo promete apoio à reeleição de Marquinhos
Política
Governo entrega PDV a deputados
Política
Maia defende diálogo para aprovar reforma da Previdência
Política
Bolsonaro destaca potencial econômico do Brasil e quer ampliar parceria com EUA

Mais Lidas

Polícia
Orgia em motel vira caso de polícia
Polícia
Imagens fortes - Mais um é executado em menos de 24 horas na fronteira
Polícia
Vídeo - Um morre e outro fica ferido em execução na fronteira
Polícia
Adolescente é estuprada por quatro homens em Aquidauana