Menu
Busca quarta, 22 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Política

Fascinado pela política, Wilson Barbosa Martins fala rindo de como viver 94 anos

21 junho 2011 - 10h20CG News

Corinthiano e comercialino, o ex-governador Wilson Barbosa Martins comemora hoje 94 anos. "Comemoração mixuruca, não vai ter nada", responde o aniversariante aos risos. No dia do aniversário, o almoço deve ser com o genro Abdalla Jallad e os netos. Um bolinho espera pelas pessoas que forem cumprimentá-lo "aos que vierem, vão comer um docinho", diz.

Às vésperas do aniversário, Wilson Barbosa Martins recebeu o Campo Grande News no escritório e contou um pouco da rotina de quem já deixou a vida pública, mas continua presente no cenário político. Falou sobre como é ver colegas partindo, a morte da filha e uma possível namorada.

O ex-governador acorda cedo, por volta das 06h30 da manhã, toma o café e vai para o escritório, que funciona no mesmo terreno da casa. "Leio jornais do dia, escrevo, atendo o que tem para atender", fala.

Na escrivaninha de Wilson Barbosa, pelo menos seis livros entre história e biografia, e ele mostra o que está lendo agora, "Aves do Brasil: Pantanal & Cerrado".

Pontualmente, ao meio-dia, ele deixa os afazeres para sentar à mesa, no cardápio: feijão, arroz, carne e mandioca. "É a comida de todo brasileiro, e assim vai", conta.

A rotina é calma, depois de um descanso, o ex-governador volta ao escritório e encerra o expediente às 17h30. "Levo uma vida tranquila como é possível de ser", comenta.

Ex-governador acompanhado da saudosa filha, Celina Jallad. Foto tirada em 2010, por Roberto Higa.

Aos 94 anos, Wilson Barbosa já viu muitos colegas e familiares partirem. Ele resume como sofrimento, principalmente a dor de perder a filha Celina Jallad. "Já vi meus pais, irmãos todos, amigos, ano passado José Fragelli. Eu cumpro o dever de estar sempre prestando homenagem" fala.

Sobre a morte de Celina, "sofri muito. Ela queria muito bem a mim e eu à ela, me fez e me faz muita falta", diz.

Ele completa falando que ainda bem que tem a família, pessoas amigas, mas que isso é a vida. "Da minha geração quem é que resta? Eu estou com 94 anos?" comenta em tom de brincadeira.

Em relação a uma possível namorada, Wilson Barbosa Martins descarta aos risos "acho que namorar, casar, isso é para jovem, que pode fazer planos de vida, não mais para um homem como eu", comenta.

Uma vida pública e pessoal tão longa, a pergunta não cala, qual seria o segredo da longevidade? "Eu também pergunto a você, porque eu não sei", afirma Wilson Barbosa.

Como lazer, estão as atividades na fazenda, a lida com o gado, as negociações e viagens para São Paulo e Rio de Janeiro. O futebol também não fica de lado, o ex-governador afirma que assiste e gosta das partidas pelo campeonato brasileiro e não nega, Corinthians no coração e o Comercial também. "Aqui, sou comercialino", exibe a faixa de campeão estadual 2010 do colorado.

Como não podia deixar de mencionar, a política continua presente na vida do ex-governante. Sobre o tema, nada pode surpreendê-lo, afirma. "Sou homem vivido. A política é cheia de sobressaltos, não tem porque me surpreender por nada. Ainda hoje, vi o prefeito demitir todo o secretariado" comenta.

Wilson Barbosa Martins que foi prefeito de Campo Grande, deputado federal, senador constituinte e primeiro governador eleito pelo voto direto no estado, deixou a vida política em 1998.

"A política é cheia de fascínio, eu também era assim. Quando fui político, encontrei muita alegria nas articulações do meu partido, PMDB. Quando deixei o governo, eu já tinha sido prefeito, deputado federal duas vezes, governador, senador, outra vez governador. Eu entendi que a minha missão estava cumprida e era hora de deixar a vida política para o jovem e cuidar da minha vida particular", resume.

Até hoje o ex-governador é procurado por amigos para conselhos, mas garante que não tem resposta para tudo "tenho amigos que me procuram, mas não sou conselheiro, não sou pessoa que tenha a solução", enfatiza.

Comemorando 94 anos, Wilson Barbosa Martins diz que todos os anseios são de natureza pessoal, não pública, mas ainda deseja o bem-estar da nação.

"Anseio pelo crescimento econômico para o Estado, país e prosperidade. Mas eu compreendeo que não há nada no âmbito pessoal que eu possa realizar", conclui.

Questionado se definiria como homem realizado "Não sei bem o que é um homem realizado, acho que todos da minha idade esperam mais um dia de vida, saúde, fazer passeios", finaliza.

Com informações do Campo Grande News.

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Para presidente do PSL, Bolsonaro não precisa de manifestações
Política
Nelsinho preside audiência pública para preservação ambiental em Bonito
Polícia
Operação no camelódromo termina com um preso e motos apreendidas
Política
TRE-MS e Assembleia assinam termo de cooperação audiovisual
Política
Blal Dolloul, de MS, está entre os dez candidatos à PGR
Política
Coronel David pede reparo em câmeras de rodovia
Polícia
Ministério do Desenvolvimento libera R$ 581 mil para Coronel Sapucaia
Política
Projeto alternativo na Previdência é apenas "ruído", afirma Marinho
Política
Azambuja viaja à Brasília para debater FCO
Política
Nesta semana, aposentadoria de professores e policiais entra em discussão na Câmara

Mais Lidas

Polícia
Troca de tiros termina com homem morto e PM ferido
Educação
Estão abertas as Inscrições para o Encceja
Polícia
Guarda municipal responsável pelo transporte de arsenal é preso
Geral
Motociclista morre em acidente na BR-163