Menu
Busca quinta, 23 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Política

Reeleição se confunde com história recente de MS

01 agosto 2010 - 10h58
O advento da reeleição é mais do que uma possibilidade. Na história recente de Mato Grosso do Sul ele aconteceu em todas as situações em que postulantes do executivo a pleitearam. O primeiro deles foi o atual governador André Puccinelli, quando prefeito de Campo Grande em 2000, ele enfrentou o então petista e hoje tucano Ben Hur Ferreira, na época deputado federal, que tentava barrar a recondução de Puccinelli. O resultado é conhecido, André ganhou e conquistou mais quatro anos frente à Prefeitura da Capital. Ainda em Campo Grande, o atual prefeito Nelsinho Trad disputou a possibilidade de uma segunda eleição, num pleito quase homologatório contra o deputado Pedro Teruel (PT). Venceu e com uma margem achapante. A vice de Puccinelli, que renunciou a Prefeitura de Três Lagoas para ser vice de André na eleição deste ano, também se reelegeu até com facilidade na sua cidade em 2008. Os petistas também souberam usar o poder para asfaltar sua permanência no poder por oito anos. Quando governador, Zeca do PT enfrentou Marisa Serrano, mas não teve a mesma facilidade de outros. A disputa foi ao segundo turno e até adversários tiveram que ser mobilizados ou "acalmados" para que a eleição não fosse uma grande surpresa. Por fim, Zeca ganhou o direito de ser governador novamente e ficou no poder até o final de 2006, exercendo oito anos de governo. Em Corumbá, Ruiter Cunha também se reelegeu e ficará no poder até o final de 2012, quando encerrara o exercício de duas administrações frente à "Cidade Branca". Na cidade de Dourados outro prefeito do PT tocou a municipalidade por dois longos mandatos, Laerte Tetilla, que mesmo não sendo uma unaminidade no Município, também teve duas gestões sob o comando de sua caneta. Mesmo em municípios onde a reeleição era considerada problemática, como Porto Murtinho com Nelson Cintra, a força da máquina (nesse caso também da estadual) acabou falando mais alto que a perspectiva política que se apresentava até o início do processo eleitoral. Neste ano de 2010, mais uma reeleição está em disputa, a do governador André Puccinelli. Com boa avaliação da população, liderando as pesquisas e mesmo com a vigilância rigorosa da justiça eleitoral e tendo a estrutura da máquina pública a seu favor, André tem toda a história política pós-reeleição de MS avalizando suas possibilidades de mais quatro anos de mandato. O segundo mandato foi permitido pela primeira vez na eleição de 1998, quando o então governador Wilson Martins não tentou conquistá-la, sendo que em 2010 ela estará sendo permitida pela sétima vez. Todos que a disputam, entram no pleito historicamente com favoritismo sobre seus adversários.
Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Após críticas, Bolsonaro altera decreto de posse de armas
Política
Acordo entre a Câmara e Senado votará MP que reduz ministérios
Política
Políticos não poderão mais usar milhas de passagens aéreas
Política
Reinaldo e Marquinhos apresentam plano para desassorear Parque das Nações
Política
Para presidente do PSL, Bolsonaro não precisa de manifestações
Política
Nelsinho preside audiência pública para preservação ambiental em Bonito
Polícia
Operação no camelódromo termina com um preso e motos apreendidas
Política
TRE-MS e Assembleia assinam termo de cooperação audiovisual
Política
Blal Dolloul, de MS, está entre os dez candidatos à PGR
Política
Coronel David pede reparo em câmeras de rodovia

Mais Lidas

Geral
Bosque dos Ipês terá exposição de animais marinhos de dez metros
Clima
Temperatura volta a cair nesta quarta-feira, em Mato Grosso do Sul
Polícia
Massacre deixa seis mortos na fronteira
Política
Reinaldo e Marquinhos apresentam plano para desassorear Parque das Nações