Menu
Busca terça, 21 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Brasil

Mourão quer punição aos responsáveis por rompimento de barragem

O presidente em exercício disse ainda que os responsáveis devem responder criminalmente

28 janeiro 2019 - 16h57Da redação com informações da Agência Brasil

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, defendeu nesta segunda-feira (28) punição para os responsáveis pelo rompimento da Barragem 1, da mineradora Vale, em Brumadinho, Minas Gerais, na sexta-feira (25). Segundo ele, a investigação tem de identificar os culpados e prever punição. “Agora, tem que punir mesmo, punir mesmo”, afirmou, na saída da Vice-Presidência.

“Punição tem que ser a que dói no bolso que já está sendo aplicada. Segundo, se houve imperícia, imprudência ou negligência por parte de alguém dentro da empresa, essa pessoa tem que responder criminalmente. Afinal de contas, quantas vidas foram perdidas nisso aí?”, acrescentou.

Perguntado se não seria o caso de a diretoria da Vale, empresa responsável pela barragem, ser afastada durante a investigação, Mourão respondeu: “Essa questão da diretoria da Vale está sendo estudada pelo grupo de crise. Vamos aguardar as linhas de ação que eles estão levantando”.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de o gabinete de crise recomendar o afastamento da diretoria da empresa, Mourão afirmou que teria que estudar essa questão. “Eu não tenho a certeza de que possa fazer essa recomendação”, afirmou.

Punição

Mais cedo, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse, em São Paulo, que os responsáveis pela tragédia com o rompimento das barragens da Mina Córrego do Feijão em Brumadinho, nos arredores de Belo Horizonte (MG) devem responder criminalmente.

Na terça-feira (29), ela se reúne com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, para conversar sobre as prioridades do Judiciário e do Ministério Público em relação à tragédia.

Para Raquel Dodge, a empresa e os envolvidos no acidente devem responder criminalmente. “É preciso responsabilizar severamente do ponto de vista indenizatório a empresa que deu causa a esse desastre, e também promover a persecução penal, a punição penal é muito importante”, destacou a procuradora, que participou da abertura de um seminário sobre trabalho escravo promovido pela Escola Superior do Ministério Público da União.

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Ruptura iminente faz Vale paralisar ferrovia
Brasil
“Juízes devem zelar para que pactos sejam cumpridos", diz Toffoli
Brasil
Menores vítimas de violência sexual costumam mostrar sinais
Brasil
Mega acumula e pode pagar R$ 12 mi no próximo sorteio
Brasil
Telma Abrahão volta ao Brasil devido ao grande sucesso de seus workshops
Brasil
Empresa aérea europeia chega ao Brasil e presidente comemora
Brasil
Multa da Vale aumenta para R$ 300 milhões
Brasil
Papa aceita renúncia do bispo de Limeira
Brasil
Piso nacional de jornalistas pode chegar a R$ 3.270
Brasil
Ministro fala sobre indícios de irregularidades no Fundo Amazônia

Mais Lidas

Polícia
Travesti é encontrada morta na madrugada deste domingo
Cidade
Inscrições para sorteio de apartamentos na capital encerram terça-feira
Polícia
Troca de tiros termina com homem morto e PM ferido
Educação
Estão abertas as Inscrições para o Encceja