Menu
Busca sábado, 27 de novembro de 2021
(67) 99647-9098
Assembleia Nov21
Brasil

Mourão quer punição aos responsáveis por rompimento de barragem

O presidente em exercício disse ainda que os responsáveis devem responder criminalmente

28 janeiro 2019 - 16h57Da redação com informações da Agência Brasil

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, defendeu nesta segunda-feira (28) punição para os responsáveis pelo rompimento da Barragem 1, da mineradora Vale, em Brumadinho, Minas Gerais, na sexta-feira (25). Segundo ele, a investigação tem de identificar os culpados e prever punição. “Agora, tem que punir mesmo, punir mesmo”, afirmou, na saída da Vice-Presidência.

“Punição tem que ser a que dói no bolso que já está sendo aplicada. Segundo, se houve imperícia, imprudência ou negligência por parte de alguém dentro da empresa, essa pessoa tem que responder criminalmente. Afinal de contas, quantas vidas foram perdidas nisso aí?”, acrescentou.

Perguntado se não seria o caso de a diretoria da Vale, empresa responsável pela barragem, ser afastada durante a investigação, Mourão respondeu: “Essa questão da diretoria da Vale está sendo estudada pelo grupo de crise. Vamos aguardar as linhas de ação que eles estão levantando”.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de o gabinete de crise recomendar o afastamento da diretoria da empresa, Mourão afirmou que teria que estudar essa questão. “Eu não tenho a certeza de que possa fazer essa recomendação”, afirmou.

Punição

Mais cedo, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse, em São Paulo, que os responsáveis pela tragédia com o rompimento das barragens da Mina Córrego do Feijão em Brumadinho, nos arredores de Belo Horizonte (MG) devem responder criminalmente.

Na terça-feira (29), ela se reúne com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, para conversar sobre as prioridades do Judiciário e do Ministério Público em relação à tragédia.

Para Raquel Dodge, a empresa e os envolvidos no acidente devem responder criminalmente. “É preciso responsabilizar severamente do ponto de vista indenizatório a empresa que deu causa a esse desastre, e também promover a persecução penal, a punição penal é muito importante”, destacou a procuradora, que participou da abertura de um seminário sobre trabalho escravo promovido pela Escola Superior do Ministério Público da União.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Lei que garante bolsas para docentes da educação básica é sancionada
Brasil
Laudo do IML revela causa da morte de Marília Mendonça e outros ocupantes do avião
Brasil
Banco Central regulamenta Pix Saque e Pix Troco
Brasil
João de Deus é condenado pela 5° vez e pega mais de 100 anos de prisão
Brasil
Sobe para 76,8 anos expectativa de vida do brasileiro
Brasil
Pilotos e comissários de bordo entram em greve no dia 29
Brasil
Sanciona Lei que destina R$ 3 bilhões a produtores rurais
Brasil
"Meu calhambeque, bi-bi": Sem gasolina, Roberto Carlos fica enguiçado no meio da rua
Brasil
"Quando teremos o Dia da Consciência Branca?", questiona Regina Duarte
Brasil
Covid: Brasil está acima da média global na vacinação

Mais Lidas

Polícia
PRF é suspeito de atirar em amante da mulher dentro de motel na capital
Saúde
Após registrar surto da doença ‘mão-pé-boca’, saúde emite alerta
Política
JD1TV - Sextou: Vereador posta vídeo dançando dentro do plenário da Câmara da Capital
Política
Dancinha de vereador irrita Carlão