Menu
Menu
Busca quarta, 24 de abril de 2024
Brasil

Odebrecht sai de projeto hidrelétrico bilionário no Panamá

17 maio 2017 - 15h38Agência Brasil

A Odebrecht saiu definitivamente de um projeto hidrelétrico no Panamá, avaliado em mais de US$ 1 bilhão, com a assinatura das quitações da concessão com a Empresa de Geração Elétrica (Egesa), informou nesta quarta-feira (17) o ente estatal panamenho. As informações são da agência EFE.

A quitação entre a Odebrecht Latin Finance (OLF) e a Egesa foi assinada na semana passada e "pôs fim ao contrato em mútuo acordo com a empreiteira para a construção do Projeto Hidrelétrico Chan II", na província de Bocas del Toro, afirmou hoje a Egesa em um comunicado.

O presidente panamenho, Juan Carlos Varela, ordenou em dezembro do ano passado o início das gestões para que a Odebrecht devolvesse a concessão do projeto e cancelasse, sem custo para o Estado, o contrato de associação para a hidrelétrica, cuja construção não começou e requer um investimento de US$ 1,049 bilhão, de acordo com a informação oficial.

"O cancelamento do contrato (...) compreende como parte do acordo a devolução, sem custo algum para a Egesa, da concessão para o desenvolvimento do Projeto Hidrelétrico Chan II, com uma capacidade de geração de 223,8 megawattios", detalhou a estatal.

O contrato de concessão, assinado em junho de 2014, inclui uma série de garantias para o Estado, entre elas que "a OLF será responsável de indenizar a Egesa pela soma de até US$ 30 milhões caso haja queixas", afirmou a estatal, destacando que a "Construtora Norberto Odebrecht será o responsável solidário por um montante de US$ 10 milhões".

A Egesa acrescentou que "avaliará diferentes opções para desenvolver este megaprojeto hidrelétrico, necessário para suprir o mercado e fortalecer a matriz energética" do Panamá.

O governo panamenho decidiu pela saída da Odebrecht do projeto depois da revelação do escândalo internacional dos subornos pagos pela construtora brasileira em uma dezena de países, incluindo o Panamá, para obter contratos. O Ministério Público do Panamá investiga 20 pessoas por sua suposta vinculação com esses subornos, entre elas dois filhos e um irmão do ex-presidente Ricardo Martinelli (2009-2014).

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Força Nacional estará presente no Enem dos Concursos
Brasil
Com Corumbá na lista, Força Nacional reforçará segurança no 'Enem dos Concursos'
Wladimir Costa -
Brasil
Ex-deputado federal é preso por violência política e ataques na internet
Votação aconteceu no Senado
Política
Senado aprova projeto que isenta do IR quem ganha até dois salários mínimos
Mais 29 casos do 8 de janeiro são votados no STF
Justiça
Defesas alegam ato pacífico, mas STF condena oito pessoas por atos antidemocráticos
Votação aconteceu no Senado
Política
PEC que criminaliza o porte de drogas independente da quantidade segue para a Câmara
Votação no Senado aconteceu na noite de quarta-feira
Política
Senado vota PEC que criminaliza posse de qualquer quantidade de droga ilícita
Juiza Gabriela Hardt, juiz Danilo Pereira Júnior e os desembargadores Carlos Eduardo Thompson Flores e Lenz Loraci Flores De Lima /
Justiça
"Graves infrações" afastam juíza da Lava Jato e mais 3
Corpos estavam na embarcação a deriva
Brasil
Embarcação é encontrada no Pará com vários corpos em decomposição
Pré-candidata a prefeita e chefe da Sudeco, Rose Modesto -
Política
Em visita de Lula a MS, Rose destaca intenção de ser a primeira prefeita eleita da Capital
Em uma das faces, peça tem gravada a ilustração do livro manuscrito da primeira Constituição do País
Brasil
BC lança moeda de R$ 5 em comemoração os 200 anos da 1ª Constituição do Brasil

Mais Lidas

AGORA: Capitão do Batalhão de Choque morre na Capital
Polícia
AGORA: Capitão do Batalhão de Choque morre na Capital
Capitão Leonardo Mense partiu durante a noite de sábado (21)
Polícia
'Imenso legado': Capitão Mense é homenageado por autoridades e instituições de MS
 Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) -
Justiça
MPMS investiga fraude em concurso da prefeitura de Sonora e recomenda suspensão
"Eu não tenho dúvida que o Beto Pereira terá capacidade, se eleito for, de fazer as grandes transformações e reformas que Campo Grande precisa", enfatiza ex-governador.
Política
JD1TV: Reinaldo diz que problemas locais "pesarão mais" que Bolsonaro