Menu
Busca domingo, 21 de abril de 2019
(67) 99647-9098
Brasil

Pedro Leonardo acordou, informa assessora do cantor Leonardo

21 maio 2012 - 01h52Divulgação

A assessora do cantor sertanejo Leonardo, Ede Cury, informou por volta das 20h45 deste domingo (20) que Pedro Leonardo saiu do coma no qual se encontrava há um mês, depois de um acidente de carro, e estaria consciente, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Ede relatou que Pedro Leonardo acordou ao ser instigado pela própria mãe. "Pedro, fala oi pra mãe! Aí ele virou e falou: 'Oi, mãe!'", contou. Em seguida, os médicos entraram na UTI e trocaram os aparelhos da traqueostomia para que ele pudesse falar melhor.

Pedro sofreu um acidente de carro há exatamente um mês, em 20 de abril, próximo ao município de Tupaciguara, em Minas Gerais, quando voltava de um show. Ele foi inicialmente levado ao Hospital Municipal de Itumbiara, em Goiás, onde passou por cirurgia para conter hemorragia abdominal, e foi transferido no mesmo dia para Goiânia. Depois, foi de avião ao hospital em São Paulo.

Ede Cury contou que a mãe de Pedro Leonardo, Maria Aparecida Dantas, foi quem informou que o filho acordou. A equipe médica do Hospital Sírio-Libanês que cuida do cantor confirmou a informação ao G1.

Apesar de Pedro ainda estar internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), ele está consciente e até respondeu a algumas perguntas dos médicos. Ao ser questionado sobre quem era o pai dele, ele sorriu e respondeu: "Leonardo". 

Segundo o médico Roberto Kalil Filho, que coordena a equipe, o processo de recuperação do cantor vai entrar em uma nova fase, mas que ainda não é possível saber se ele ficará com sequelas.

Leonardo fazia show na cidade de Aurilândia, no interior de Goiás, quando foi informado da melhora do quadro de saúde do filho, segundo Ede Cury.

Na sexta-feira (18), a assessora havia informado que Pedro Leonardo seria submetido  a uma cirurgia na próxima semana. O procedimento cirúrgico em Pedro deveria acontecer na próxima terça-feira (22) , dependendo do estado de saúde do artista. Não há informações sobre se a operação será mantida.

Em 9 de maio, Roberto Kalil afirmou que Pedro tem uma fratura na fêmur que necessita de intervenção cirúrgica.

Histórico
Horas após o acidente, ainda no interior de Goiás, Pedro foi submetido a uma cirurgia para retirada do baço. Ele sofreu traumatismo craniano e trauma abdominal e teve de ser colocado em coma induzido. No mesmo dia, foi transferido para hospital de Goiânia.

Em 23 de abril, Pedro Leonardo sofreu uma parada cardiorrespiratória. No dia 26, o sertanejo foi transferido para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Em 29 de abril, a equipe médica decidiu suspender a sedação do cantor, para verificar como ele reagiria sem a medicação. Ele permaneceu em coma.

Nos últimos dois dias, parentes relataram que ele vinha reagindo, mesmo inconsciente, cada vez mais aos estímulos provocados por amigos e familiares.

Retomada de shows
Dupla de Pedro, o cantor Thiago informou na quarta-feira (16) que retomaria a agenda de shows.

Em mensagens publicadas em sua página pessoal no Twitter, Thiago comentou sobre a volta aos palcos durante o período de recuperação de Pedro.

A retomada das apresentações foi confirmada pelo empresário da dupla, Doriva Lobo, na semana passada. Segundo ele, a decisão foi tomada durante os últimos dias. "A vida não pode parar, então vamos esperar a volta do Pedro [nos palcos]", disse. Segundo Lobo, Thiago não fez nenhuma apresentação desde o acidente de Pedro, em 20 de abril.

De acordo com Ede Cury, os próximos shows de Thiago irão repor as apresentações que foram canceladas após o acidente. Ainda não há, no entanto, a confirmação dos locais desses shows.

Tipos de coma
O coma é um estado de inconsciência que tem vários graus de resposta e pode acontecer por diferentes razões, como uma pancada na cabeça, uma inflamação, abuso de remédios e mesmo como consequência de um infarto ou derrame, explicou Silva.

O paciente fica em coma induzido justamente para preservar o cérebro das alterações que estão acontecendo em seu organismo por causa das lesões adquiridas no acidente. Como o metabolismo fica mais lento, o paciente consegue resistir aos vários problemas por mais tempo, principalmente se manter o cérebro “quietinho”, explicou, na época da suspensão da sedação, o neurologista Ademir Baptista Silva, chefe da disciplina de neurologia da Escola Paulista de Medicina da Unifesp, que não faz parte da equipe que trata Pedro Leonardo.

Já o coma clínico é uma resposta do próprio corpo a algum trauma ocorrido no cérebro. A pessoa pode ficar inconsciente mesmo se sofrer uma lesão mínima na região.

“A consciência é quando o cérebro consegue reconhecer e se relacionar com pessoas, mas mesmo inconsciente pode ter reflexos, como a um estimulo doloroso, abrir o olho, mas não consegue manter contato”, disse Silva.

Implicações
O paciente em coma tende a ficar muito tempo deitado na cama de hospital, o que pode ainda causar outros problemas de saúde, como trombose ou atrofia nas pernas. O uso de meias especiais atreladas a um equipamento que aquece os pés do paciente, junto ao uso de remédios anticoagulantes e outros tipos de cuidados realizados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) evitam que isso aconteça.

Via G1

pmcg - prestação de contas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Bolsonaro diz que invasão de terra tem que ser tipificada como terrorismo
Brasil
Recadastramento de clientes de celulares pré-pagos começa nesta quinta
Brasil
Moraes revoga decisão que censurou reportagens
Brasil
Avianca vai devolver oito aeronaves depois da Páscoa
Brasil
Bolsonaro exonera general corumbaense, da secretaria de Esportes
Brasil
Mulher é presa seis anos após matar o ex-namorado
Brasil
Mega acumula e pode pagar R$ 60 mi, no sábado
Brasil
Revista Time coloca Bolsonaro entre os "100 mais influentes do mundo"
Brasil
Fachin quer manifestação de Moraes sobre inquérito de fake news
Brasil
Vale vai retomar atividades na Mina de Brucutu

Mais Lidas

Polícia
Corpo de mulher é encontrado amarrado em árvore às margens da BR-262
Polícia
Homem tem mãos decepadas, na fronteira
Polícia
Ex-radialista é morta com 24 facadas pelo sobrinho
Geral
“Em tempos de crise a solução é inovar”, diz empresária