Menu
Busca segunda, 27 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS setembro21
Economia

Cresce a adesão e mais agências bancárias são fechadas

29 setembro 2011 - 09h26Divulgação

A greve dos bancários no Mato Grosso do Sul entrou pelo segundo dia contabilizando novas adesões de bancários insatisfeitos com a proposta da Fenaban.

Em Campo Grande, o numero de trabalhadores que cruzaram os braços foram proporcional a quantidade de agências que deixaram de atender neste segundo dia de greve e a tendência é de aumentar nos próximos dias. No primeiro dia da greve, das 100 agências de Campo Grande, 69 haviam sido fechadas pelo comando da greve. No segundo dia, esse número aumentou para mais de 70, pois alguns bancos que ficam em regiões afastadas do centro da cidade também começaram a aderir a greve, como forma de pressionar os "patrões" para que apresentem uma proposta que contemple o esforço que fazem para continuar contabilizando lucros aos bancos.

Interior

Outro saldo positivo desta paralisação foi a entrada de algumas agências localizadas no interior do Estado à greve, aderindo sistematicamente ao movimento da categoria que só deseja ser valorizada pelo que serviço que executa em todo o Estado. Em Coxim, funcionários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica cruzaram os braços e as agências fecharam as portas. Da mesma forma, em Rio Verde, a agência do Banco do Brasil também paralisou suas atividades. A paralisação das agências em cidades do interior começam a ganhar força e à partir de amanhã, outras engrossarão o movimento grevista.

Assédio moral

Como era de se esperar, algumas gerências estão constrangendo os bancários para que trabalhem dobrado durante a greve, usando a arbitrariedade do contingenciamento para forçar os bancários a enfraquecer o movimento. O Sindicato esclarece que esse tipo de procedimento e outros como obrigar os trabalhadores a entrar de madrugada para trabalhar são ilegais, pois ferem a Constituição Federal e a Lei 7.783 (Lei de Greve). Para denunciar este tipo de assédio moral, o sindicato criou algumas ferramentas como o fone do sindicato 3612-6100 ou pela internet, através do link http://www.sindicario.com.br/denuncia.aspx buscando garantir que os bancários exerçam seu direito de lutar por melhores condições de trabalho, afinal as conquistas da greve são para TODOS, inclusive para os que não a fizeram.

Para dar maior visibilidade a este problema que é o assédio moral, o comando grevista do Sindicato dos Bancários de Campo Grande estará organizando à partir da 07h00 desta quinta-feira, dia 29, um grande ato de repúdio contra a direção do Banco do Brasil da Avenida Afonso Pena com a Rua 13 de Maio, denunciando o comportamento do banco contra os bancários nesta campanha salarial.

Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Caixa oferece crédito de R$ 300 a R$ 1 mil pelo celular
Economia
Desemprego cai para 13,7%, aponta pesquisa
Economia
Auxílio emergencial é pago a beneficiários do Bolsa Família com NIS 7
Economia
FIEMS e governo de MS lançam pacote para "Retomada Segura de MS" nesta segunda
Economia
Semana Nacional da Conciliação, mais de 350 audiências são realizadas em 3 dias
Economia
Gasolina sobe pela 8ª semana seguida nos postos, aponta ANP
Economia
Prazo para MEIs regularizarem dívidas termina dia 30 de setembro
Economia
Auxílio emergencial é pago hoje para nascidos no mês de maio
Economia
Prova de vida de servidores aposentados deve ser feita até a próxima quinta-feira
Economia
Caixa paga 6ª parcela do auxílio emergencial a nascidos em abril

Mais Lidas

Cidade
Incêndio atinge margens do rio Paraguai em Corumbá
Clima
Tempestade faz temperatura despencar 15 graus e destelha apartamento em Campo Grande
Polícia
Mulher é agredida e esfaqueia pênis de marido
Polícia
Homem é assassinado a tiros por dívida de R$ 100,00