Menu
Busca terça, 19 de janeiro de 2021
(67) 99647-9098
Governo Futebol
Economia

Economia de MS terá injeção de R$ 1,7 bilhão neste fim de ano

21 novembro 2011 - 16h07João Garrigó

O fim de ano deve trazer a injeção de R$ 1,7 bilhão na economia de Mato Grosso do Sul. A projeção é da pesquisa da Fecomércio, em parceria com a Fundação Manoel de Barros e Universidade Anhanguera/Uniderp. Do total, mais de R$ 700 milhões são provenientes do pagamento do 13º salário.

A pesquisa de intenção de compras foi realizada em onze municípios: Aquidauana, Anastácio, Campo Grande, Chapadão do Sul, Corumbá, Ladário, Dourados, Naviraí, Paranaíba, São Gabriel do Oeste e Três Lagoas. Foram ouvidas 1.760 pessoas entre os dias 9 e 13 de novembro.

Em Anastácio e Aquidauana, encontram-se os consumidores com maior disposição de gastar com presentes, cujo valor médio chega a R$ 224. Enquanto que em Paranaíba, estão os mais econômicos, o valor médio será de R$ 86.

Em Campo Grande, o preço chega a R$ 119. Esse valor é o maior registrado nos últimos dois anos. Em 2010, os consumidores disseram que gastariam R$ 89 por presente; em 2009, R$ 115.

Para o presidente da Fecomércio MS, Edison Araújo, o aumento do valor do presente é um reflexo da economia atual. "Percebemos que o consumidor tem mais controle sob suas finanças. Além disso, este ano, mais postos de trabalho foram abertos e reflete na renda familiar, cada vez mais estável".

Agrados - Segundo a pesquisa, mãe (23%), filhos (18%), pai (15%), esposa (14%), namorada (7%) e irmãos (6%) serão as pessoas mais presenteadas. Os presentes mais citados na pesquisa são: roupas (26%), brinquedos (12%), artigos de perfumaria (11%) e calçados (11%), acessórios (10%) e eletroeletrônicos ( 9%).

Celulares (3%), pacotes de viagens (2%) e móveis (2%) também estão entre as opções de presentes. Ao serem questionados sobre o que pretendem ganhar, os participantes da pesquisa apontam roupas (19%), perfumaria (11%), calçados (11%), eletroeletrônicos (10%), viagens (7%), acessórios (7%) e celulares (6%).

Em Campo Grande, 38% dos entrevistados disseram que vão às compras nas lojas da região central. O Shopping Campo Grande será o local escolhido por 24% dos consumidores, o camelódromo por 22,8 %, e o Shopping Norte Sul Plaza por 8,1%.

Nas onze cidades pesquisadas, a maioria dos consumidores deverá comprar à vista (76%) e a escolha de pagamento em dinheiro é a preferida para 61% dos entrevistados, seguida pelo cartão de crédito (20%), cartão de débito (9%). O cheque deve ser usado por 3% dos entrevistados.

Ainda segundo a pesquisa, os entrevistados vão utilizar o dinheiro do 13º salário para outras finalidades, como pagar contas em atraso (15,4%), poupar parte do dinheiro (13,7%), pagar despesas do início do ano (12,6%), pagar gastos com cartão de crédito (7,7%) e comprar carro/moto/casa (5,8%).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Pagamento do calendário 2021 do Bolsa Família começa nesta segunda
Economia
Caixa libera saque do auxílio emergencial para nascidos em agosto
Economia
Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 17 milhões
Economia
Depois de 17 anos, Paulo Ponzini volta à Presidência do Corecon-MS
Economia
Número de pessoas inadimplentes cai no fim de 2020
Economia
A partir desta quinta, gás de cozinha vai ficar 6% mais caro
Economia
Nascidos em março podem sacar auxílio nesta segunda
Economia
Após movimentar bilhões, especialistas apontam Pix como "principal revolução financeira"
Economia
Prazo para pedir saque do FGTS emergencial acaba hoje
Economia
Em 2021, idade para se aposentar vai aumentar; confira as novas regras

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio