Menu
Busca sexta, 07 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Economia

Economia de MS terá injeção de R$ 1,7 bilhão neste fim de ano

21 novembro 2011 - 16h07João Garrigó

O fim de ano deve trazer a injeção de R$ 1,7 bilhão na economia de Mato Grosso do Sul. A projeção é da pesquisa da Fecomércio, em parceria com a Fundação Manoel de Barros e Universidade Anhanguera/Uniderp. Do total, mais de R$ 700 milhões são provenientes do pagamento do 13º salário.

A pesquisa de intenção de compras foi realizada em onze municípios: Aquidauana, Anastácio, Campo Grande, Chapadão do Sul, Corumbá, Ladário, Dourados, Naviraí, Paranaíba, São Gabriel do Oeste e Três Lagoas. Foram ouvidas 1.760 pessoas entre os dias 9 e 13 de novembro.

Em Anastácio e Aquidauana, encontram-se os consumidores com maior disposição de gastar com presentes, cujo valor médio chega a R$ 224. Enquanto que em Paranaíba, estão os mais econômicos, o valor médio será de R$ 86.

Em Campo Grande, o preço chega a R$ 119. Esse valor é o maior registrado nos últimos dois anos. Em 2010, os consumidores disseram que gastariam R$ 89 por presente; em 2009, R$ 115.

Para o presidente da Fecomércio MS, Edison Araújo, o aumento do valor do presente é um reflexo da economia atual. "Percebemos que o consumidor tem mais controle sob suas finanças. Além disso, este ano, mais postos de trabalho foram abertos e reflete na renda familiar, cada vez mais estável".

Agrados - Segundo a pesquisa, mãe (23%), filhos (18%), pai (15%), esposa (14%), namorada (7%) e irmãos (6%) serão as pessoas mais presenteadas. Os presentes mais citados na pesquisa são: roupas (26%), brinquedos (12%), artigos de perfumaria (11%) e calçados (11%), acessórios (10%) e eletroeletrônicos ( 9%).

Celulares (3%), pacotes de viagens (2%) e móveis (2%) também estão entre as opções de presentes. Ao serem questionados sobre o que pretendem ganhar, os participantes da pesquisa apontam roupas (19%), perfumaria (11%), calçados (11%), eletroeletrônicos (10%), viagens (7%), acessórios (7%) e celulares (6%).

Em Campo Grande, 38% dos entrevistados disseram que vão às compras nas lojas da região central. O Shopping Campo Grande será o local escolhido por 24% dos consumidores, o camelódromo por 22,8 %, e o Shopping Norte Sul Plaza por 8,1%.

Nas onze cidades pesquisadas, a maioria dos consumidores deverá comprar à vista (76%) e a escolha de pagamento em dinheiro é a preferida para 61% dos entrevistados, seguida pelo cartão de crédito (20%), cartão de débito (9%). O cheque deve ser usado por 3% dos entrevistados.

Ainda segundo a pesquisa, os entrevistados vão utilizar o dinheiro do 13º salário para outras finalidades, como pagar contas em atraso (15,4%), poupar parte do dinheiro (13,7%), pagar despesas do início do ano (12,6%), pagar gastos com cartão de crédito (7,7%) e comprar carro/moto/casa (5,8%).

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Capital: Cesta básica teve alta em julho, diz Dieese
Economia
Associação Comercial não quer fechamento da capital por 14 dias
Economia
Ministério da Economia quer o fim da meia-entrada nos cinemas
Economia
Salário de servidores estaduais é pago nesta segunda
Economia
Receita prorroga suspensão das ações de cobrança até 31 de agosto
Economia
Estado paga servidores no dia 4
Economia
Há 8 anos, vencedores de concessão aguardam prefeitura finalizar Terminal de Cargas
Economia
BRF afirma que China suspendeu exportações de frango de Dourados
Economia
Banco Central anuncia lançamento da cédula de R$ 200
Economia
Congresso aprova votação urgente de lei que deve baratear o gás em até 40%

Mais Lidas

Saúde
Coronavírus mata mais 23 pessoas em MS, sendo 12 na capital
Polícia
Dezenas de fuzis, pistolas e carregadores foram apreendidos pela PRF
Cidade
Após demissões e terceirização, sindicato protesta contra Energisa
Geral
Colisão entre moto e caminhonete mata casal na Lúdio Martins Coelho