Menu
Busca sexta, 18 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Aguas - super banner
Educação

Volta às aulas da rede particular é adiada para setembro

Uma reunião no início do próximo mês definirá o retorno ou não do ano letivo

13 agosto 2020 - 17h51Flávio Veras

 

Após uma reunião no Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS), foi adiada para o próximo dia 10 de setembro o retorno das aulas presenciais da rede particular de ensino de Campo Grande, suspensas desde março deste ano devido a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Uma reunião foi agendada no dia 3 do próximo mês, para definir retorno ou não do ano letivo.

Participaram das tratativas a promotora de Justiça e Coordenadora Adjunta do GEDUC (Grupo de Atuação Especial de Educação), Vera Aparecida Cardoso Bogalho Frost Vieira, a também promotora de Justiça e Coordenadora do GAEDS (Grupo de Atuação Especial de Defesa da Saúde), Filomena Aparecida Depolito Fluminhan, secretário municipal de Saúde, José Mauro e presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Privados de Ensino de Mato Grosso do Sul (Sinep).

Depois das discussões, as autoridades se reuniram para uma coletiva e falou a imprensa o que ficou decidido. Segundo Jóse Mauro, uma volta nos níveis de contaminação que a cidade enfrenta, bem como ocupação dos leitos, seria muito arriscado.

"Hoje nossa taxa de ocupação está em 79%, mas para um possível retorno do ano letivo, essa índice tem que ser mais satisfatória. Porém, para que eesa realidade nos seja imposta, é fundamental a contribuição da população, se cuidando, usando máscara e não faça aglomerações. Apenas dessa forma teremos os números de infectados diminuído. Com a proibição do consumo de bebidas em bares, restaurantes e locais públicos, acreditamos que diminuirá o número de acidentes, acarretando em mais leitos disponíveis a pacientes com Covid-19”, projetou.

Já para a promotora Frost Vieira, a recomendação do MP é que só retorne o ano letivo quando os leitos estiverem em uma estabilidade de 50% de ocupação, ou abaixo desse índice. “Tivemos a notícia que o percentual de ocupação chegou a 100% em alguns hospitais. Porém, após um esforço do MP para que os gestores achassem alternativas de aumento de leitos públicos ou privados - tanto do Governo do Estado, quanto a Prefeitura da Capital, se esforçam para fazer esse trabalho e aumentar essa margem de disponibilidade. Isso não quer dizer que o número de casos caiu e, por esse motivo, recomendamos o adiamento e fizemos outra reunião para analisarmos os dados e decidir sobre o retorno ou não, das aulas”, explicou.

A presidente do Sinep, Maria da Glória Paim Barcelos, falou que a expectativa para o retorno dos gestores das instituições de ensino pé grande, porém entende que o risco a saúde deve ser levado como primeiro fator. “Nós estamos preparados desde de março, quando às aulas foram suspensas. Nós já elaboramos todo o protocolo de biossegurança, que foi avalizado pelo órgão municipais de Saúde. Porém a doença é grave, mas esperamos que até setembro a curva de infecção caia e podemos voltar, de forma escalonada, com as nossas aulas presenciais”, finalizou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Educação
Ministro da Educação diz que por ele aulas estariam de volta amanhã
Educação
Fies: Confira as regras para vagas remanescentes no 2º semestre
Educação
Prefeitura prorroga aulas remotas na rede pública de ensino municipal
Educação
Entidade é contra retomada de ensino infantil
Educação
UEMS divulga resultado preliminar da prova de títulos
Educação
Inscrições para bolsas remanescentes do Prouni começam amanhã
Educação
IFMS encerra dia 15 inscrições para feiras científicas
Educação
Acadêmicos da Uems aplicam tecnologias para potencializar Agricultura Familiar
Educação
Pesquisa: no Brasil, ter faculdade faz dobrar o salário
Educação
IFMS abre seleção com 479 vagas para cursos de graduação

Mais Lidas

Geral
Confira a agenda de lives para esta sexta-feira
Geral
CRMV-MS traz veterinários que atuaram em Brumadinho para ajudar no combate ao incêndio do pantanal
Cidade
Após 20 anos vivendo na irregularidade, 215 famílias de Bodoquena receberão título de propriedade
Justiça
Espaço de eventos indenizará em R$ 20 mil casal por falta de água durante casamento