Menu
Busca segunda, 21 de junho de 2021
(67) 99647-9098
Governo - Feminicidio
Geral

Em funeral para 35 mil pessoas, reverendo Moon é enterrado

15 setembro 2012 - 19h33Reuters

Os fiéis da Igreja da Unificação abarrotaram o templo principal da seita na Coreia do Sul para dar seu último adeus a Sun-Myung Moon - conhecido no Brasil como reverendo Moon -, cujo funeral e enterro aconteceram neste sábado, 15 dias após seu falecimento.

Segundo os organizadores, cerca de 35 mil pessoas, entre membros da Igreja e representantes de quase 200 países, estiveram no Centro Mundial da Paz Cheong Shim (Mente Pura, em coreano), situado no condado de Gapyeong, 60 km ao leste de Seul.

Após uma emotiva cerimônia, Moon foi enterrado perto do palácio-museu de Cheong Jeong sobre uma colina do mesmo condado, no qual a Igreja da Unificação possui também um hospital e centros educativos.

Antes, em um caixão vermelho de madeira ornamentado com caracteres chineses chegava o corpo do reverendo ao templo, onde jovens uniformizados o depositaram sobre o altar, enfeitado com um grande retrato do próprio Moon em frente a um grande tapete vermelho que abria passagem entre milhares de flores.

A cerimônia transcorreu no salão de atos central - similar a um grande pavilhão esportivo - perante 15 mil pessoas e foi comandada pela viúva de Moon, Han Hak-ja, e os dois de seus 15 filhos que herdaram respectivamente a organização religiosa e o empório econômico internacional construídos pelo falecido.

Hyung Jin Moon, de 32 anos, filho mais novo do líder da seita, está à frente da Igreja da Unificação desde 2008, enquanto Kook Jin Moon, seu quarto filho, dirige o conglomerado internacional Tongil Group.

Quando o primeiro pronunciou entre lágrimas um emotivo discurso de homenagem a seu falecido pai, os fiéis, que em geral mostravam até então rostos serenos, romperam em pranto coletivo.

"Estamos dispostos a seguir a vida e doutrinas que você, pai verdadeiro, nos mostrou em sua vida", afirmou em seu discurso Hyung Jin Moon, vestido com um quimono branco, enquanto sua mãe secava as lágrimas com um lenço.

Sun-Myung Moon, o único líder religioso na história capaz de conseguir em vida até três milhões de seguidores em 194 países - segundo dados de sua Igreja -, morreu no último dia 3 de setembro aos 92 anos por complicações de uma pneumonia.

O reverendo fundou em 1954 a Igreja da Unificação e, uma vez consolidado o movimento, se proclamou "messias" da humanidade perante seus fiéis sob a premissa de que Deus lhe enviou à terra para finalizar a obra que Jesus Cristo não pôde concluir.

Promotor da unificação das Coreias e defensor do entendimento entre diferentes crenças e religiões, Moon alcançou uma grande influência política internacional e chegou a reunir-se com líderes como ex-líder da extinta União Soviética, Mikhail Gorbachev, e o fundador da Coreia do Norte, Kim Il-sung.

Via Terra

Senar - square junho21

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Vídeo: Nativas pega fogo, mas incêndio já está controlado
Geral
Jovem de 24 anos morre 73 dias depois de acidente de trânsito
Geral
Mulher recusa atendimento após capotar veículo na BR-060
Geral
Caixa paga hoje 3ª parcela do auxílio emergencial para nascidos em março
Geral
Marcelo Bertoni, será o novo presidente da Famasul
Geral
Carreta da Justiça retoma atendimentos nesta segunda-feira
Geral
Aposta única fatura prêmio de R$ 7 milhões da Mega-Sena
Geral
PF pede indiciamento de Trutis em quatro crimes após concluir que ele simulou atentado
Geral
Mega-Sena pode pagar R$ 7 milhões em sorteio deste sábado
Geral
Caixa paga 3ª parcela do auxílio emergencial para nascidos em fevereiro

Mais Lidas

Polícia
Mulher é levada para dentro da mata por bandidos e morta com tiro na cabeça
Polícia
Casal briga e vizinho tenta intervir mas passa mal e morre
Saúde
Jovem de 17 anos, sem comorbidades, está entre as 38 vítimas da covid em 24h
Saúde
Lote com 97.500 doses de vacina contra covid chegam hoje a MS