Menu
Busca terça, 22 de junho de 2021
(67) 99647-9098
Senar - junho21
Geral

"Lua de Sangue" poderá ser vista em todo território brasileiro em 2022

O fenômeno, que acontece quando a lua está totalmente encoberta pela Terra, durou aproximadamente uma hora

21 janeiro 2019 - 16h37Da redação com Agência Brasil

Quem conseguiu ficar acordado na madrugada desta segunda-feira (21) assistiu a um espetáculo raro da astronomia, o eclipse total de uma superlua. O fenômeno começou por volta da 0h30 (MS) desta segunda-feira, quando a lua começou a entrar na sombra da Terra e teve início o eclipse parcial.

Pouco depois das 1h30 começou o eclipse total, ou seja, a chamada "Lua de Sangue", que é quando o satélite está completamente na sombra da Terra e adquire uma cor avermelhada. O fenômeno durou aproximadamente uma hora.

Segundo a pesquisadora do Observatório Nacional Josina Nascimento, o próximo eclipse total da lua está previsto para 2022, mas não será visível em todo o território nacional e em todas as suas fases.

A próxima "Lua de Sangue" visível para os brasileiros ocorrerá somente em 16 de maio de 2022, segundo a previsão dos pesquisadores.

Senar - square junho21

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Riedel anuncia a vereadores pacote de R$ 60 milhões em obras
Geral
Covid - Morre o auditor fiscal Alberto Kalache
Geral
Procon-MS registra alto número de denúncias de consignados irregulares
Geral
Para evitar fraudes, bomba de combustível terá assinatura digital
Geral
Unigran realiza congresso científico
Geral
IPEMS chega aos 30 anos de mercado
Geral
Terça é dia de D2 da Coronavac e Astrazeneca; veja as datas
Geral
Orçamento de 2022 será votado nesta terça
Geral
Foi convocado? Agehab divulga lista de beneficiários para ocupação de imóveis
Geral
Morta pelo marido, Lindinalva era professora e deixa dois filhos

Mais Lidas

Geral
Foi convocado? Agehab divulga lista de beneficiários para ocupação de imóveis
Polícia
Menina de 11 anos era estuprada pelo pai no trajeto da igreja
Polícia
Bandido morre após tentar assaltar policial
Geral
Morta pelo marido, Lindinalva era professora e deixa dois filhos