Menu
Busca sexta, 21 de fevereiro de 2020
(67) 99647-9098
tj ms topo
Geral

Modelo humanizado de ressocialização é lançado na capital

A Pedra fundamental da APAC foi lançada e Campo Grande será a primeira do estado a oferecer o modelo

14 dezembro 2018 - 11h47Rayani Santa Cruz

A Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) fez lançamento da pedra fundamental em um terreno onde será construída a sede da associação que trará um novo modelo de ressocialização para internas de Mato Grosso do Sul. O evento ocorreu na manhã desta sexta-feira, no km 362 da BR-060, saída para Sidrolândia.

Depois de pronto o prédio funcionará em um modelo humanizado, sem grades, sem celas e sem agentes penitenciários, tendo funcionários da APAC em trabalhos constantes para a orientação e integração das internas em aprendizados profissionalizantes e social. O espaço vai abrigar 40 mulheres.

 De acordo com a presidente da Apac, a defensora pública aposentada Helita Barbosa Serejo Lemos Fontão, o modelo humanizado é relativamente novo no Brasil e o estado de Minas Gerais foi o primeiro a trazer esse plano, que é adotado em países como Canadá e Nova Zelândia. “Elas estarão cumprindo pena, e serão tratadas para ressocialização. As internas vão sair da Apac para nunca mais voltar a cometer crimes, o índice de reincidência é muito baixo. As próprias presas fazem suas refeições e são responsáveis pela limpeza do local”, disse. A ressocialização é integrada a espiritualidade, e segundo Helita e isso é fundamental para que  as apenadas desenvolvam o lado social e humano. 

Sobre a construção do prédio, é necessário que haja parcerias e verba financeira. “O inicio vai depender das parcerias e verbas conquistadas e será um sonho realizado quando ficar pronto”, explicou Helita Barbosa.

Em entrevista ao JD1 Notícias, o desembargador Ruy Celso Barbosa Florence, afirmou que partir do lançamento da pedra fundamental começam os esforços para a construção do prédio. O magistrado contou que será feito ao Ministério da Justiça um pedido de viabilização da verba necessária e, caso não se consiga o montante, serão feitas parcerias com empresas, ONGs e pessoas da sociedade que se comprometem a contribuir.

O vereador André Salineiro, vice-presidente da Apac, disse que o terreno foi doado pela prefeitura, e o modelo de resgate de vidas proporcionado tem sucesso onde é instalado. “Nós todos somos voluntários e acreditamos no projeto, que tem a espiritualidade presente, Campo Grande está sendo privilegiada, pois, será pioneira no estado. Seremos a primeira cidade de MS a realizar o projeto”. Salineiro também explicou que o custo financeiro de um interno da Apac é abaixo do sistema prisional comum e a reincidência é muito baixa, o que demonstra a legitimidade do projeto.

As internas terão cursos de capacitação como de corte e costura, culinária e até aulas de música. Para os integrantes da Apac, os trabalhos que serão realizados em Campo Grande colherão bons frutos e o modelo servirá de exemplo para todo o estado. 



 

 

Jacarezão

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Procon-CG descarta 101 kg de produtos em supermercado Novo Box
Geral
Remake de filme brasileiro se torna o mais assistido na Coréia do Sul
Geral
Mulher ameaça se jogar de torre no Guaicurus
Geral
Médica reforça apelo por cuidados preventivos durante carnaval
Geral
Vídeo - Criança fala pra mãe que quer se matar após bullying
Geral
Maria, que estava desaparecida, entra em contato com a família
Geral
Deputado quer instituir “Dia da Assembleia de Deus” no MS
Geral
Confira o calendário de pagamento do Bolsa Família para 2020
Geral
Caixa lança crédito imobiliário com taxa fixa a partir de 8% ao ano
Geral
Aeroporto opera sem atrasos e cancelamentos nesta manhã

Mais Lidas

Cidade
Bairros da capital ficam sem energia devido às chuvas desta quinta; confira
Cidade
Vídeo - Chuva alaga diversos pontos na capital
Geral
Procon-CG descarta 101 kg de produtos em supermercado Novo Box
Brasil
Silvia Abravanel pede demissão ao pai depois de se envolver em polêmica