Menu
Busca domingo, 19 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS setembro21
Geral

Número de mortes nas estradas federais durante o carnaval foi o menor em dez anos

15 fevereiro 2013 - 10h42Daniel Castellano/Gazeta do Povo

Entre a sexta-feira que antecedeu o carnaval (08) e a Quarta-Feira de Cinzas (13) a Polícia Rodoviária Federal registrou 157 mortes nas estadas federais. Segundo o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, este é o menor índice em dez anos. Foi uma redução de 18% no número de mortes em relação a 2012.

Falta de atenção, ultrapassagem indevida e excesso de velocidade figuraram entre os principais fatores de acidentes com mortes. Maria Alice Nascimento Souza, diretora-geral do Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPRF), disse que o trabalho deste ano foi focado em diagnosticar os pontos críticos das rodovias e acentuar a fiscalização nesses locais.

No carnaval de 2013, a PRF teve um efetivo 20% maior que o mesmo período de 2012. Houve também um diálogo maior entre a PRF e os estados para atuação em conjunto.

Este carnaval foi marcado pela vigência da nova Lei Seca, mais rigorosa, com “tolerância zero” ao uso de álcool. Nos seis dias de operação, 1.932 condutores foram autuados e tiveram suas carteiras de habilitação recolhidas por terem consumido álcool antes de dirigir. Desses, 607 foram presos em flagrante por crime de trânsito. Minas Gerais foi o estado que teve mais motoristas reprovados no bafômetro (269) e com o maior número de prisões por esse motivo (74).

“A lei mais rígida traz a coerção, a intimidação, mas, além disso, há uma conscientização da população”, disse Cardozo. Foram feitos mais de 86 mil testes de alcoolemia com uso de bafômetro durante a operação do carnaval, aumento de 183% em relação a 2012. Houve um aumento de 37% no número de autuações e de 23% no número de prisões, ambas relacionadas ao consumo de álcool.

Ao todo, foram registrados 3.149 acidentes e 1.793 feridos. Em 2012, foram 3.499 acidentes com 2.207 feridos.

Cardozo acentuou que, depois do carnaval, o rigor da Lei Seca vai continuar. “Se alguém pensa que o rigor vai acabar com o carnaval, esqueça. Não é porque o carnaval acabou que vai acabar a fiscalização”, frisou o ministro.

Via Agência Brasil

Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Neto de Luciano do Valle morre após ser baleado em assalto
Geral
Prefeitura lança 1º campeonato público de Free fire e Clash royale em Campo Grande
Vídeos
'Cai devagarinho até embaixo': Funkeira leva tombo ao dançar em cima de carro
Geral
Corre que ainda da tempo! Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 23,5 milhões hoje
Oportunidade
'Domingo em família' terá 2.128 oportunidades de emprego na Afonso Pena
Geral
Criança tem cabelo cortado em escola e pai entra com processo por discriminação
Geral
Após notícia que Pelé voltou à UTI, filha do craque nega e tranquiliza ‘se recuperando bem’
Entrevista
Agora: Valério Azambuja fala sobre concurso da GCM
Geral
Abandonada por amigos em deserto, brasileira morre de fome e sede
Geral
“Meu filho me sustentava, agora o Thales faz tudo por mim”, diz mãe de Paulo Gustavo

Mais Lidas

Polícia
Homem encontra pênis decepado dentro de pote no jardim da casa da mãe
Saúde
Com 8 meses de vacinação, MS é o 1º Estado a atingir imunidade coletiva
Polícia
Homem encontra o pai morto em avançado estado de decomposição na Vila Carvalho
Brasil
Homem coloca fogo em casa com ex-mulher e filhos dentro