Menu
Busca quarta, 11 de dezembro de 2019
(67) 99647-9098
TJMS Dezembro-19
Política

Bolsonaro afirma possibilidade de liderar o novo partido

O partido Aliança pelo Brasil ainda deverá passar por aprovação do TSE

19 novembro 2019 - 09h15Sarah Chaves, com informações do Exame

Após sua saída oficial do PSL, o presidente Jair Bolsonaro disse na segunda-feira (18), que poderá assumir a presidência do novo partido que pretende instaurar nos próximos dias, o Aliança pelo Brasil, ao lado de dissidentes da antiga sigla.

O novo partido terá seu processo de formação iniciado numa convenção marcada para esta quinta-feira (21), em Brasília.

Quando foi questionado sobre a possibilidade de presidir o Aliança pelo Brasil, Bolsonaro falou: “Acho que sim.”

Parlamentares já diziam desde o anúncio do novo partido que Bolsonaro assumir a presidência da sigla seria o caminho mais natural e óbvio. “O partido é do presidente Bolsonaro e das pessoas que são fiéis ao que ele sempre defendeu”, resumiu a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), na semana passada.

A criação da sigla foi o estopim da discussão que começou em outubro, com uma declaração do próprio presidente, onde afirmou, que o presidente do PSL, Luciano Bivar, estava “queimado para caramba”. A afirmação, que estava longe de ser um deslize, foi a deixa para iniciar um rápido desgaste, seguido da solução esperada pelo grupo do presidente.

A expectativa é de que, dos 53 deputados do PSL, partido pelo qual Bolsonaro se elegeu, 27 o acompanhem na nova legenda. O grupo bolsonarista deverá permanecer no PSL até que o novo partido esteja aprovado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A estratégia se explica. Caso os parlamentares deixem agora a sigla, há o risco de perda do mandato.

Assim como na eleição de Bolsonaro, a ideia é se valer do apoio da tecnologia para colher assinaturas necessárias para a criação da nova sigla, em vários Estados do País. Também ficou definido que o presidente Bolsonaro vai usar redes sociais, dele e de aliados, para chamar pessoas dispostas a atuar na coleta de assinatura para a criação do partido.

Por enquanto, a ideia é de que a executiva do partido tenha 15 integrantes. Além de 27 bolsonaristas dispostos a migrar para a nova legenda, haveria outros 10 parlamentares, hoje em outros partidos, interessados em ir para o Aliança pelo Brasil, segundo informou a deputada Zambelli.

PMCG - Cidade do Natal

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Joice Hasselmann deverá ser a nova líder do PSL na Câmara
Política
Diagnóstico de daltonismo poderá ser feito em escolas da Reme
Política
Beto Pereira é o novo líder do PSDB na Câmara Federal
Política
Senado: CCJ aprova anticrime e prisão em segunda instância
Política
“Aprovado” nas redes sociais, fundo eleitoral ainda não foi a plenário
Política
Dagoberto chama manifestante de "maluco" e diz que projeto ainda não foi votado
Política
Coronel David cobra a nomeação de 258 policias penais para MS
Política
Prisão administrativa para PMs e Bombeiros poderá ser extinta
Política
Bolsonaro diz que seu governo honra militares e respeita o povo
Política
Governo prevê ampliar cobertura do Bolsa Família

Mais Lidas

Geral
Servidores da SAD angariam mais de 3 mil brinquedos para Campanha de Natal
Oportunidade
IFMS tem 750 vagas para cursos de qualificação a distância
Geral
Advogado comete suicídio
Cidade
Imagens: Veja como está ficando a Cidade do Natal