Menu
Menu
Busca quarta, 28 de fevereiro de 2024
Agronegócio

"Vazio sanitário" da soja encerra hoje em MS

Desde o dia 15 de junho estava proibido plantar ou manter vivas plantas de soja

15 setembro 2022 - 10h28Taynara Menezes

O "vazio sanitário" da soja termina nesta quinta-feira (15) em Mato Grosso do Sul, o período que começou em 15 de junho, ficou terminantemente proibido plantar ou manter vivas plantas de soja em qualquer fase de desenvolvimento.

Conforme a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), na safra passada foram cadastrados 15.404 áreas com plantio de soja, com área declarada de mais de 3,2 milhões de hectares cultivados. Esse número representa um aumento de 13% de áreas cadastradas em relação à safra 2020/2021.

A medida fitossanitária foi estabelecida no Estado em 2006. Em maio de 2021, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) publicou a Portaria nº 306 instituindo o Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja (PNCFS), o qual ratifica o vazio sanitário como principal medida para o controle do fungo causador da doença ferrugem-asiática da soja (Phakopsora pachyrhiz).

A doença é considerada uma das mais prejudiciais a cultura da soja. O fungo que causa a doença é do grupo biotrófico, o que significa que precisa de um hospedeiro vivo para se desenvolver e multiplicar. Ao eliminar as plantas de soja na entressafra, o ciclo do fungo é quebrado, reduzindo então a quantidade de esporos presentes no ambiente.

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agronegócio
Com investimento de R$ 1,4 bilhão, MS terá nova indústria da Copasul em Naviraí
Agronegócio
Iagro alerta sobre riscos de compra de mudas irregulares e até 'doença greening'
Justiça
Dez anos depois Acrissul faz acordo e encerra briga com MP
Brasil
JD1TV: Novinha e idoso são flagrados no 'rala e rola' em sacada de apartamento de luxo

Mais Lidas

Vídeos
Vídeo: Travesti bate em jovem e tribunal a pune
Justiça
Ex-secretários de saúde de Glória de Dourados são condenados pelo TCE-MS
Geral
Mulher de 33 anos morre após se queimar fritando ovo em casa
Justiça
Camila Jara enfrenta batalha jurídica no TRE