Menu
Busca quinta, 04 de março de 2021
(67) 99647-9098
Brasil

Após intervenção na presidência da Petrobras, ações da estatal caem 20%

A bolsa de valores brasileira também opera em forte queda de mais de 5%

22 fevereiro 2021 - 13h30Da Redação, com informações do Estadão

As ações da Petrobrás foram as mais atingidas após mudanças realizadas pelo presidente Jair Bolsonaro ao trocar o presidente da estatal, com uma queda que chega à casa dos 20%.

Mas os efeitos não se restringem à Petrobrás. Os papéis de outras estatais também têm queda forte: Banco do Brasil cai quase 12%, e Eletrobrás, cerca de 5%.

Puxada pelo desempenho das estatais, a B3, bolsa paulista, opera em queda de mais de 5%. O dólar sobe cerca de 2% e ultrapassou a casa dos R$ 5,50.  A turbulência também faz crescer a aposta na alta dos juros: aumentaram as projeções de aumentos de 0,5 ponto porcentual da Selic em março e maio.

Apenas na primeira hora de pregão hoje o valor de mercado da Petrobrás caiu R$ 85 bilhões. Isso, depois de perder quase R$ 30 bilhões na sexta-feira. Pelo menos seis instituições financeiras rebaixaram a recomendação para os papeis e reduziram o preço-alvo da companhia para os próximos 12 meses.

Pelo menos seis bancos e casas de investimento cortaram a recomendação dos papéis da Petrobrás - XP, Guide, Safra, BTG Pactual, Credit Suisse e Bradesco BBI -, apontando os riscos à política de preços da empresa pode com a mudança na presidência e também a nebulosidade que isso traz para outras iniciativas da empresa, como a venda de ativos não essenciais e a alocação de capital no pré-sal, considerado mais rentável.

Ainda no fim de semana, a XP rebaixou a recomendação das ações da Petrobrás para "venda", de "neutro" anteriormente. Também revisou o preço-alvo do papel de R$ 32 para R$ 24.

No Safra, o preço-alvo para as ações passou de R$ 40 para R$ 29,50. "O principal motivo é a incerteza trazida pela maior interferência do governo na empresa, em vez de uma opinião negativa sobre o Luna. Esperamos mais volatilidade no preço das ações e limite de valorização no curto prazo", escreveram os analistas Conrado Vegner e Victor Chen.

Para membros do conselho de administração da Petrobrás, a mudança no comando da empresa é vista como inevitável. Alguns conselheiros da estatal estudam votar pela recondução do presidente Roberto Castello Branco, mas o estatuto dá poder à União para fazer a troca.

O mercado também acompanha novas mudanças prometidas por Bolsonaro. No sábado, ele disse que fará trocas no governo envolvendo o primeiro escalão. "Vamos meter o dedo na energia elétrica, que é outro problema também", completou.

Peniel - amigos da pizza

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Avião com vacinas bate em jumento no aeroporto
Brasil
Saúde inicia entrega de 2,5 milhões de doses da Coronavac aos Estados
Brasil
Brasil tem 1.726 mortes por covid em 24h: novo recorde
Brasil
Justiça de SP quebra sigilo bancário do apóstolo Valdemiro Santiago
Brasil
Ministério da Economia tem novo secretário de governança de estatais
Brasil
Após pressão, votação da PEC Emergencial é adiada para terça-feira
Brasil
Idosa é encontrada em gruta dez dias após desaparecer
Brasil
Auxílio emergencial e criptomoedas deverão ser declarados no IR
Brasil
Após ser afastada da Câmara, Flordelis é internada
Brasil
Mais de 6 milhões de brasileiros já foram vacinados contra a Covid-19

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio