Menu
Busca sábado, 24 de julho de 2021
(67) 99647-9098
TJMS julho-21
Brasil

Covid: 130 mil crianças perderam um dos responsáveis no Brasil, diz estudo

Dados são resultado de estudo publicado na revista científica "The Lancet"

21 julho 2021 - 12h54Gabrielly Gonzalez, com EFE

Os cuidados com a pandemia, atualmente, estão voltados para o controle da transmissão, distribuição de vacinas e prevenção da doença. Mas, os efeitos secundários do surto mundial também são extremamente importantes. As mortes por covid-19 deixaram 130.363 crianças brasileiras sem a mãe, o pai, um avô ou avó ou um responsável. No mundo, esse número chega a mais de 1,5 milhões de pessoas.

Os dados são resultado de um estudo publicado pela revista científica "The Lancet", que analisou informações de 21 países, de março de 2020 até abril de 2021. Os pesquisadores incluíram Brasil, Argentina, Colômbia, França, Alemanha, Quênia, Malawi, África do Sul, Espanha e EUA, que foram responsáveis por quase 77% das mortes por covid-19 no mundo inteiro, para extrapolar uma estimativa global mínima.

Cientistas observam que 1,13 milhão de crianças perderam um dos pais ou um avô responsável devido a uma morte associada à covid-19. Destes, 1 milhão era órfão da mãe, do pai ou de ambos. Sendo que a maioria perdeu um dos pais e não ambos.

No total, 1,56 milhão de pessoas sofreram a morte de pelo menos um dos pais, avô de guarda, avô coabitante ou outro parente idoso que vivia com eles. A perde dos avós, que em muitos casos são o sustento da família ou a garantia de que os pais possam trabalhar, já que eles cuidam dos netos, é um fator de preocupação para os pesquisadores.

Mortes associadas à covid-19 foram, em todos os países, mais elevadas entre os homens do que entre as mulheres, especialmente nas faixas etárias médias e mais velhas. No total, houve cinco vezes mais perdas de pais do que de mães.

Pesquisadores se referem a mortes associadas à doença, ou seja, a combinação das causadas diretamente pela covid e aquelas devidas a fatores como confinamento, restrições de reuniões e movimento, diminuição do acesso ou aceitação de cuidados de saúde e tratamento de enfermidades crônicas.

No entanto, a maioria das crianças enlutadas não fica sem adultos para cuidar delas. Alguns permanecem com pais solteiros; outros podem entrar em parentesco, adoção ou cuidado adotivo.

Cruzeiro do Sul - 44 anos

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Nascidos em julho recebem auxílio neste sábado
Brasil
Homem é preso após invadir apartamento e estuprar idosa
Brasil
Netflix aumenta valores dos planos de assinatura; veja novos preços
Brasil
Homem mata ex com cinco tiros e comete suicídio em seguida
Brasil
Mulher se nega a tomar vacina contra covid e é demitida por justa causa
Brasil
Vídeo: Mulher flagra marido com travesti dentro do carro e 'pancadaria come solta'
Brasil
Mulher é presa por forjar sequestro dela e do filho e pedir R$70 mil de resgate
Brasil
Vídeo: 'Não contavam com a minha astúcia', bandido é morto por segurança durante assalto
Brasil
Vídeo: Para fugir de estupro, empregada pula da sacada de prédio
Brasil
Bolsonaro quer a recondução de Aras para a PGR

Mais Lidas

Polícia
Corpo encontrado em Maracaju é de homem desaparecido em Campo Grande
Polícia
Mulher vai visitar o namorado e morre atacada por seis pitbulls
Polícia
Ladrão causa curto-circuito ao furtar fios de um poste de energia no centro de Campo Grande
Polícia
Vídeo: Entregador filma dados do cartão de cliente para cometer fraudes