Menu
Busca domingo, 25 de julho de 2021
(67) 99647-9098
Governo - covid atitudes
Brasil

Vale é condenada a pagar R$ 1 milhão por cada trabalhador morto em Brumadinho

O derramamento de rejeitos de minério em 25 de janeiro de 2019 causou a morte de 270 pessoas

10 junho 2021 - 15h12Brenda Assis, com informações G1

A juíza titular da 5ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho de Betim, de Minas Gerais, Viviane Célia Ferreira Ramos Correa, condenou a mineradora Vale a pagar indenização de R$ 1 milhão por danos morais por cada trabalhador morto no rompimento da Barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho.

A indenização, que abrange os trabalhadores diretos da mineradora vitimados pelo acidente, será destinada aos espólios e herdeiros. O derramamento de rejeitos de minério em 25 de janeiro de 2019 causou a morte de 270 pessoas, das quais 137 seriam funcionários diretos da mineradora, segundo os autores do processo, num total de R$ 137 milhões.

Na ação impetrada, o Sindicato Metabase Brumadinho alegou que os pagamentos de indenizações, até então, eram destinados a reparar o dano moral sofrido pelos familiares das vítimas, como pais, filhos, esposas e irmãos. Na decisão desta quarta-feira, 9, a condenação mira o dano moral sofrido pela própria vítima fatal, por ter sua vida abreviada.

Segundo Maximiliano Garcez e Luciano Pereira, advogados do sindicato, a sentença traz justiça aos trabalhadores mortos. 'Foram cruelmente abandonados pela Vale, que destinou R$ 37 bilhões até mesmo para obras viárias em Belo Horizonte, e nenhum centavo para indenizar o terrível sofrimento dos trabalhadores falecidos, que morreram em condições atrozes e que tiveram décadas de vida abreviadas', disse Garcez.

Garcez explicou que decisões do Superior Tribunal de Justiça (STJ) criaram jurisprudência para que o direito à indenização por danos morais seja transmitido com o falecimento do titular, possuindo os 'herdeiros da vítima legitimidade ativa para ajuizar ou prosseguir a ação indenizatória'.

No processo, a Vale requereu, no mérito, a improcedência da ação A mineradora alegou, entre outros pontos, a ilegitimidade do sindicato como autor ao representar trabalhadores já falecidos, além de questionar o cabimento de 'ação civil pública ou coletiva em face de direitos individuais heterogêneos'.

Em fevereiro deste ano, a Vale e o governo de Minas Gerais assinaram o acordo bilionário para reparação dos danos provocados pela tragédia de Brumadinho. Foram quatro meses de negociações, resultando no termo com o valor de mais de R$ 37 bilhões. Foi o maior acordo realizado na história do Brasil, segundo o executivo estadual de Minas Gerais.

Cruzeiro do Sul - 44 anos

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Vôlei feminino: Brasil vence Coreia do Sul por três sets a zero
Brasil
Deputada diz que inicialmente suspeitou que mal-estar causou lesões
Brasil
Nascidos em julho recebem auxílio neste sábado
Brasil
Homem é preso após invadir apartamento e estuprar idosa
Brasil
Netflix aumenta valores dos planos de assinatura; veja novos preços
Brasil
Homem mata ex com cinco tiros e comete suicídio em seguida
Brasil
Mulher se nega a tomar vacina contra covid e é demitida por justa causa
Brasil
Vídeo: Mulher flagra marido com travesti dentro do carro e 'pancadaria come solta'
Brasil
Mulher é presa por forjar sequestro dela e do filho e pedir R$70 mil de resgate
Brasil
Vídeo: 'Não contavam com a minha astúcia', bandido é morto por segurança durante assalto

Mais Lidas

Polícia
Mãe e filha são ameaçadas e têm carro riscado ao pedir para vizinha abaixar o som
Polícia
Pais são presos suspeitos de torturar, abusar e matar filho de 1 ano
Polícia
Funcionária esquece cartão em sacola de roupas e cliente gasta R$ 856
Polícia
Atirador em gol rebaixado faz uma vítima no Moreninhas III