Menu
Busca domingo, 24 de maio de 2020
(67) 99647-9098
TJ MS maio20
Economia

Comércio de MS espera movimentar R$ 192 milhões no Dia das Mães

Os dados são resultados de pesquisa desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Fecomércio-MS

25 abril 2019 - 18h30Rayani Santa Cruz, com informações da assessoria

Uma pesquisa sazonal de intenção de consumo e comemorações desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Fecomércio-MS, em parceria com o Sebrae-MS, apontam que esse ano a comemoração do Dia das Mães, deve movimentar R$ 192,51 milhões na economia de Mato Grosso do Sul.

Conforme a pesquisa, do montante, 57,35% serão destinados à compra de presentes (R$110,41 milhões) e 42,65% às comemorações (R$ 82,1 milhões).

A projeção reflete uma queda de 5,02%, na comparação com o ano passado, que pode ser justificada pelos impactos da inflação e do comportamento do consumidor sobre as comemorações dessa data. Pois apesar do aumento de 4,75% previsto para compra de presentes, há a possibilidade de redução de 15,61% no dinamismo das comemorações. 

O destaque é que “mesmo com essa projeção de redução para as comemorações, temos níveis de intenção de consumo melhores, conforme demonstrados nas pesquisas da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), o que significa dizer que há uma maior probabilidade da intenção se transformar em consumo efetivo, logo uma oportunidade de reverter esse cenário das comemorações”, avalia o presidente do IPF-MS, Edison Araújo.

A pesquisa ouviu 2.571 consumidores de 15 municípios de Mato Grosso do Sul, entre os dias 22 de fevereiro e 11 de março de 2019, com margem de confiança de 95%. O objetivo é respaldar as estratégias dos comerciantes, a partir de informações sobre as intenções dos consumidores do estado.

Conforme a pesquisa, em 2019, 63,48% comprarão presentes e a mãe será a principal beneficiada (67,73%), sendo listadas ainda as sogras (9,96%), esposas (11,76%), avós (7,61%), filhas (2,35%) e madrinhas (0,6%).  Dentre as preferências de presentes se destacam: roupas (27,87%), perfumes/cosméticos (20,96%), bolsas e acessórios (9,16%).

As compras ocorrerão em lojas do centro (85,47%), com pagamento em dinheiro (69,09%), mas neste ano cartão de crédito e crediário terão mais espaço: 12,63% contra 9,37% e 4,13% contra 3,5%, respectivamente. Os consumidores levarão em consideração no momento da compra: preço (24,30%), produto (37,41%) e atendimento (19,37%).

O otimismo da intenção de consumo, no quesito compra de presentes para o dia das mães permaneceu em Campo Grande, Chapadão do Sul, Dourados, Nova Andradina, Ponta Porã e São Gabriel do Oeste, sendo os municípios que contribuíram para o aumento da movimentação com compra de presentes de 4,75%,

Comemorações

Um contingente de 41,15% da população participará de comemorações, enquanto que em 2018, esse percentual era de 57,28%. Os gastos também caíram de R$130,26 para R$106,82.

Nas comemorações, a alimentação em casa será a preferência da maioria (59,64%), já pelas viagens, o percentual passou de 2,72% para 0,85%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
33% dos negócios comandados por mulheres faliram durante pandemia
Educação
MEC adia prazo de inscrição do Enem para 23h59 de quarta-feira, 27 de maio
Economia
Itaú aprovou mais de R$ 5 bi em empréstimos novos para 300 mil clientes
Economia
Guedes estuda nova versão da Carteira Verde Amarela para retomar empregos
Economia
Empresários lançam movimento para fortalecer economia em MS
Economia
Governo avalia prorrogar auxílio emergencial
Economia
China é o destino de 79% da produção de soja exportada pelo MS
Economia
Economia: mercado financeiro prevê queda de 5,12% este ano
Economia
Segunda parcela do auxílio emergencial começa a ser paga hoje
Economia
MS se consolida como maior exportador de celulose do país no 1º quadrimestre de 2020

Mais Lidas

Polícia
Passageira trans diz ter sido puxada pelos cabelos e chama motorista de covarde
Polícia
Homem é preso com quase 400 kg de maconha que iriam para São Paulo
Polícia
Assessor de Trump diz que EUA devem barrar voos do Brasil
Saúde
Secretário de vigilância pede demissão do Ministério da Saúde