Menu
Busca segunda, 10 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
TJMS agosto/20
Geral

Bebê ganha tratamento domiciliar, mas equipamentos não chegam

Há mais de um mês, Justiça decretou home care para Eduardo que sofre de doença pulmonar

08 julho 2020 - 17h20Sarah Chaves

A dona de casa Gisele Gonçalves dos Santos, 28 anos, moradora de Ipezal, distrito de Angélica no Mato Grosso do Sul, pede urgentemente ajuda para que o Poder Executivo disponibilize equipamentos respiratórios para que seu bebê, Eduardo Pereira Gonçalves de 8 meses portador de broncodisplasia grave, persistência do canal arterial e hipertensão pulmonar tenha o tratamento em casa.

Em decisão da Vara única da comarca de Angélica, a juíza Bruna Tafarelo decidiu mediante liminar, em instalar uma UTI móvel na residência de Giseli, onde o Município de Angélica deve arcar com o atendimento da equipe profissional (médico, técnico de enfermagem, fisioterapeuta e fonoaudiólogo), e o  Estado de Mato Grosso de Sul o fornecimento dos seguintes materiais:  Ventilador Mecânico Portátil; Oxímetro de pulso neonatal; Reanimador Manualpediátrico com reservatório (Bolsa-valva);  Concentrador de oxigênio, para uso em domicílio;  Aspirador de secreção com bateria; Fraldas tamanho M (10unidades/dia);  Inalador ultrassônico portátil;  Espaçador valvulado paratraqueostomia e alimentos referente à dieta: 6 latas mensais de leite em pó, fórmulainfantil, 80 de gramas de pó ao dia, tudo conforme os termos da inicial e respectivaprescrição médica, no prazo de 10 (dez) dias, sob pena de sequestro de verbas públicas.

Porém, Giseli conta que os equipamentos ainda não chegaram, e que ela não pode levar o bebê para casa o que pode ser prejudical para a saúde dele que já é delicada. Eduardo nasceu prematuro de 7 meses e meio,  estava quase saindo do uso de oxigênio, necessário para os bebês prematuros, mas com 15 dias pegou uma infecção hospitalar e acabou desenvolvendo uma pontada de pneumonia. “Desde então foi só sofrimento, ele conseguiu se recuperar dessa infecção depois de 3 meses, ele teve várias paradas respiratórias, e agora ele esta bem e pode ter alta, só que ele respira com ajuda do ventilador mecânico e ele precisa sair urgente do Hospital Universitário", explicou a mãe.

A mãe ressalta que o filho corre perigo no hospital principalmente em tempos de coronavírus. “Quero trazer ele para casa, por causa da pandemia e para não pegar infecção . Ele pegou uma infecção há pouco tempo,  ele conseguiu se curar com antibióticos, mas ele não pode tomar muitos , porque ele tomou nove tipos de antibióticos fortíssimos por  4 meses e corre risco de pegar infecções a qualquer momento”, ressalta Giseli.

Conforme Giseli, o termo para o Município e os Estado disponibilizarem equipamentos e assitencia médica foi assinado no dia 3 de junho, com um prazo de dez dias, porém já se passaram um mês e cinco dias e ela ainda não recebeu o material. “Adaptei toda a casa pra ele, o quartinho dele, está tudo pronto, estou esperando para trazer ele, a gente já tem o auxílio do Executivo Municipal, mas para ir pra casa precisamos da UTI instalada, e montada". 

A defensoria pública de Angélica alegou que o Estado já se pronunciou afirmando que vai depositar o valor para a compra dos materiais exigidos pela justiça.

E segundo a mãe do pequeno Eduardo, a Secretaria Municipal de Saúde de Angélica alega que a parte deles de fornecer o suporte já estão providenciando, só que o Estado precisa cumprir a parte deles que é do aparelho que é a parte mais importante do home care

Em conversa entre Giseli, a secretaria de Saúde de Angélica, Francielli Fascincani, afirma que já recebeu a demanda do Estado e está providenciando o atendimento.

Ao JD1 Notícias a Secretaria de Estado de Saúde (SES), alega que depositou em juízo o valor para compra de fralda tamanho M, aspirador de secreção portátil, oxímetro digital, espaçador e inalador.

Porém,  processo licitatório está em andamento para compra do concentrador e o ventilador mecânico, que em razão da pandemia está apresentando dificuldades para as empresas apresentarem as cotações.

Enquanto isso Giseli espera para poder voltar para casa com Eduardo nos braços.

 
Senar - agosto2020

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Viagem com cães e gatos para a Argentina é autorizada nesta segunda
Geral
Sanesul mantém suspenso corte de água para famílias de baixa renda
Geral
Há 4 km do destino, homem perde controle da moto em curva, cai e morre
Geral
Focos de incêndios no Pantanal ultrapassam os 3,5 mil apenas em Corumbá
Geral
Nenhum ganhador: Mega-Sena acumula e prêmio vai a R$ 11 milhões
Geral
Coronel David deixa hospital e cumprirá isolamento em casa
Geral
Com link de live, defensoria diz que já atuou com a prefeitura na pandemia
Geral
Polícia Civil recebe veículo para ser usado em atendimento assistencial de policiais
Geral
Motoboys protestam em frente a condomínio de homem que humilhou entregador
Geral
Após atitude racista, usuário é banido do Ifood

Mais Lidas

Política
Vereadores da capital votam cinco Projetos nessa terça
Política
Coronel David solicita testes em massa à agentes da Segurança Pública
Política
Dourados tem nova troca de secretário de Saúde
Política
Vice-prefeita de Inocência morre vítima do coronavírus