Menu
Busca quinta, 24 de janeiro de 2019
(67) 99647-9098
PMCG Balanço super banner
Geral

Cassação independe da Câmara, diz Raghiant

12 janeiro 2018 - 19h35Da redação

De acordo com o advogado Ary Raghiant Neto, conselheiro federal por Mato Grosso do Sul na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), o fato do vereador Lucas de Lima ou qualquer outro político ter um mandato, a partir do momento que ele tiver uma ação transitada em julgado, ou seja, quando não houver mais recurso, o fará perder os direitos políticos, pois é o que esta na carta magna.

“A Constituição Federal diz o seguinte: qualquer pessoa, não precisa ser mandatário, perde os direitos políticos, que é o direito de votar e ser votado, quando ela tem uma condenação transitada em julgado, e essa condenação perdura pelo tempo, que perdurar a pena. Então se a pessoa for condenada há dois anos, ele perde por dois anos, se foi por quatro, perde por quatro”, explicou.

Em caso de crimes de menor potencial ofensivo, com pena inferior a quatro anos, Ary explica que o Juiz não decreta prisão, e ela é  convertida em serviços para comunidade. Exatamente  o caso de Lucas de Lima. Ele foi condenado a um ano e quatro meses de reclusão por apropriação indébita, mas sua pena foi convertida em serviços a comunidade. Durante o cumprimento da sentença ele perde os direitos políticos, diz Ary.

 "Não precisa da Câmara"

 Especialista em direito eleitoral, e ex juiz do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de MS, Ary Raghiant opina que nem mesmo a Câmara precisa tomar decisão em casos como esse.

Ele cita decisão da maior corte dos país , o Supremo Tribunal Federal, que ao decidir um caso semelhante do vereador Adilson Lopes, da cidade de Bom Sucesso no  Paraná, onde o ministro Ricardo Lewandowski decidiu que "o parlamentar condenado perde o mandato independentemente  da deliberação da casa legislativa, como consequência  da suspensão de seus direitos políticos". A decisão é de vinte e dois de maio de 2015.

A condenação

O atual vereador Lucas de Lima enfrenta processos na justiça desde 2012. E seu suplente o ex-vereador Eduardo Cury está aguardando a decisão dos magistrados quanto a possível cassação do mandato de Lucas Lima.
O Vereador Lucas de Lima luta na justiça contra a condenação que recebeu em pelo crime de apropriação indébita, chamado no meio jurídico de “bagatela”, o parlamentar recorreu no TJMS e no STJ onde seu pedido foi negado novamente. Na decisão ele foi condenado a um ano e quatro meses de prisão, mais a pena foi convertida em prestação de serviços.

Sesc Novo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Crise na Venezuela pode agravar, alerta Rússia
Geral
Aos 67 anos, Amado Batista namora jovem de 19 anos
Geral
PMA rebate acusações de denúncia anônima sobre pesca predatória
Geral
Estado repassa mais de R$ 300 mil para Santa Casa de Corumbá
Geral
Homem mata cachorro a pauladas e se desculpa nas redes sociais
Geral
Após denúncia, PMA encontra cavalo ferido e maltratado
Geral
Obras no Anhanduí interditam ponte na região do Taquarussu
Geral
Novo presidente do Consórcio Brasil Central será escolhido nesta quinta
Geral
IMPCG concede reajuste a aposentados e pensionistas
Geral
Moradores fazem mobilização contra o aumento excessivo na energia, em Ponta Porã

Mais Lidas

Polícia
Imagem forte – corpo encontrado queimado é identificado
Polícia
Pistoleiro é executado na fronteira
Polícia
Homem cai de pá-carregadeira e morre esmagado
Brasil
Intimado para depor, participante do Big Brother é expulso da casa