Menu
Busca quarta, 15 de julho de 2020
(67) 99647-9098
TJMS julho20
Geral

Dia da Independência: ruas serão interditadas hoje

06 setembro 2010 - 11h02
Para a preparação do desfile cívico militar em comemoração ao Dia da Independência, o governo do Estado e o Comando Militar do Oeste vão interditar o trânsito em alguns trechos da área central de Campo Grande, a partir das 18 horas de hoje (6). O palanque das autoridades será instalado no cruzamento da rua 14 de Julho e avenida Afonso Pena. Para isso, a via principal da cidade (Afonso Pena) será fechada no trecho entre a avenida Calógeras e rua 14 de Julho, somente meia pista (sentido Centro – Shopping). A rua 14 de Julho, entre as ruas 15 de Novembro e Dom Aquino, também será fechada a partir das 18 horas de hoje (6) para a colocação das arquibancadas (300 metros de estrutura), disponibilizadas para garantir maior conforto aos expectadores do desfile. Segundo estimativas dos organizadores, as pistas devem ser liberadas no dia seguinte, no período da tarde, após o desfile de 7 de Setembro. Fonte: Notícias MS
Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Prefeitura multa Consórcio Guaicurus em R$ 12 milhões
Geral
Carnaval no Rio pode acontecer só em junho
Geral
Governo amplia prazo de redução de jornada e suspensões de contratos
Geral
Orro quer proibir atos públicos para evitar aglomerações
Geral
Aos 27 anos, Adalberto perde a luta contra o coronavírus
Geral
Saque de auxílio emergencial é liberado para beneficiários do 3º lote
Geral
Mãe pede leite, remédio ou dinheiro para salvar bebê com anomalia
Geral
Funsat encaminha mulheres vítimas de violência ao mercado de trabalho
Geral
Licenciamento de veículos pode ser emitido online
Geral
Blogueira de MS afirma estar com Covid-19 e faz “recebidos” de vitaminas

Mais Lidas

Polícia
“Encontraram o monstro”, diz primo de Carla sobre assassino
Polícia
Ex-patroa é denunciada por abandono de incapaz que resultou em morte
Saúde
MP solicita inspeção em frigoríficos no interior
Polícia
Comerciante foi morta porque reconheceu voz de ex-funcionário, diz investigação