Menu
Busca domingo, 02 de outubro de 2022
(67) 99647-9098
Justiça

Processo em pauta no STF vai moldar a disputa por terras no Brasil

Advogada Luana Ruiz, ressalta a importância da participação de entidades rurais na questão

23 junho 2021 - 18h41Juliana Alves

No próximo dia 30 de junho será julgado pelo Supremo Tribunal Federal (SFT) o recurso extraordinário nº 1017365 que irá moldar o futuro na discussão sobre terras indígenas no Brasil. O processo que teve inicio em Santa Catarina sobre a discussão de posse de terras, quando indígenas invadiram um parque estadual, e a questão chegou às mãos do SFT e por entendimento daquela corte o que for decidido neste processo servirá como modelo para decisões futuras sobre a luta por direito de pose de terras.

A advogada Luana Ruiz que defende algumas instituições de produtores rurais fez um apelo à classe para que se unam e entrem na discussão, pois a decisão será de relevância nacional. A decisão anterior, e amplamente conhecida, do caso Raposa Terra do Sol foi reconhecida pelo STF como não vinculante e, portanto, não serve para parâmetro em todo o país e neste caso vindo Santa Catarina irá ser vinculante e valerá em todo o território nacional.

No caso Raposa Terra do Sol foi instituído e definido o Marco Temporal, que define que populações indígenas só teriam direito à terra se estivessem de posse da área ou em disputa judicial por conta dela em 5 de outubro de 1988 (data em questão marca a promulgação da atual Constituição Federal); o que  impediria a  ampliação de terras indígenas. 

Ruiz que luta para defender o direito dos proprietários rurais fez um apelo à classe para que se manifestem e se unam na questão. “A segurança jurídica no campo está na berlinda do Supremo. “Precisamos agir”para que entre no recurso extraordinário, que está na pauta do supremo para o dia 30 de relatoria do Ministro Edson Fachin, na qualidade de “Amicus curiae” apela a advogada, pois 50 entidades, entre elas o Conselho Federal da OAB, defendem a causa dos indígenas e somente 13 entidades se uniram ao processo para defender a causa dos proprietários rurais. O apelo de Ruiz já foi ouvido por todo o país e várias entidades procuraram a advogada para saberem como se unir a causa.

O relator do processo já manifestou seu voto e é favorável a causa indígena, resta agora saber se o apelo de Ruiz será ouvido e a classe irá se unir para lutar por seus direitos e se os demais ministros irão ouvir estes apelos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Responsável por tingir cachoeira de azul em MT será multado em R$ 10 mil
Justiça
MPT pede que ex-presidente da Caixa pague R$ 30,5 milhões por assédio
Justiça
TSE proíbe o transporte de armas e munições nas eleições
Justiça
TSE proíbe transporte de armas e munições nas eleições
Justiça
Anvisa proíbe uso de lotes de substância que contaminou petisco de cães
Justiça
Prazo para propaganda eleitoral gratuita, comícios e debates termina hoje
Justiça
Mato Grosso do Sul estabelece lei seca no dia das eleições
Justiça
TSE decide que mesários poderão usar camisas da seleção nas eleições
Justiça
Juiz manda dona silenciar cachorros e estabelece multa de R$ 10 mil por latido
Justiça
Homem recebe indenização após descobrir que foi trocado na maternidade

Mais Lidas

Política
Pesquisa mostra Contar e Riedel no segundo turno
Política
Pesquisa Ranking mostra André e Riedel na frente
Polícia
Carro com urna eletrônica é roubada na Capital
Política
IPEC: André lidera, Riedel em segundo com Marquinhos e Contar colados