Menu
Busca quinta, 04 de junho de 2020
(67) 99647-9098
Polícia

DOF apreende drogas e armas em caminhão na MS-156

Durante a vistoria foi encontrado no reboque 5.650 kg de maconha

02 dezembro 2018 - 08h43Da Redação com Assessoria

Policiais do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) durante um bloqueio na rodovia MS-156, no município de Laguna Carapã abordaram um bitrem com placas de Xanxerê/SC com drogas escondidas na carga de milho que transportava neste sábado.

Durante a vistoria foi encontrado no segundo reboque 5.650 quilos de maconha, que o condutor esclareceu para os policiais que buscou a droga em Ponta Porã e receberia o veículo como pagamento pelo transporte.

Além da maconha, foi encontrado também 1.200 quilos de cocaína, 1.650 quilos de Skank, um rifle calibre 22 com dois carregadores, uma espingarda calibre 12, uma pistola 9mm e munições de vários calibres. O motorista, de 35 anos foi preso em flagrante e encaminhado para Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron).

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Homem é preso por passar trote xingando policiais em Bonito
Polícia
Mulher é espanca pelo ex na frente do filho por cobrar pensão
Polícia
Polícia desativa perfil falso que aplicava golpes em hospitais
Polícia
PF faz operação para investigar compras de máscaras
Polícia
“Filhos ficam perguntando”, diz esposa de Luciano, desaparecido há dois dias
Polícia
Bandidos tocam o terror e fazem limpa em farmácia no Buriti
Polícia
"Vai lá, resto de incêndio", diz colega a jovem preto que sonha em morar no Canadá
Polícia
Mulher ataca marido por causa de programa de “Testemunhas de Jeová”
Polícia
Criança morre ao ser atingido por linha de pipa com cerol
Polícia
Após denúncia de criança, polícia fecha boca de fumo na capital

Mais Lidas

Brasil
Vacina contra o coronavírus será testada no Brasil neste mês
Política
Coronel David solicita manutenção em rodovias que ligam Três Lagoas à Brasilândia
Política
LDO estima impacto da pandemia e receita orçada é de R$ 16,17 bilhões
Clima
Tempo deve “firmar” só depois do dia 10