Menu
Busca segunda, 14 de outubro de 2019
(67) 99647-9098
Polícia

Presos na "Operação Cifra Negra" serão transferidos para penitenciária

Investigações apuram suposto esquema de corrupção que acontece há pelo menos oito anos na Câmara do município

08 dezembro 2018 - 11h15Da Redação com DouradosNews

Três, dos dez presos na "Operação Cifra Negra", desencadeada na quarta-feira (5) em Dourados, que ainda estão no primeiro Distrito Policial, devem ser transferidos neste sábado (8) à  Penitenciária Estadual de Dourados (PED). Alexsandro Oliveira de Souza, Denis de Maia e Jailson Coutinho estão numa sala reservada à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB ), na delegacia. 

O trio passará por exame de corpo de delito e logo depois poderá ser encaminhado ao presídio. 

O Dourados News apurou há pouco com uma fonte no local que existe a possibilidade, por parte de um deles, de fechar acordo de delação premiada. O nome não foi divulgado. 

Alexsandro trabalhou por anos no gabinete de Idenor Machado (PSDB) – também preso na Operação - e na direção da Casa de Leis. Já Jailson e Denis seriam ligados a empresa ligada ao esquema, sediada em Campo Grande. 

Cifra Negra

A operação é resultado de investigações por parte da 16ª Promotoria de Justiça, envolvendo suposto esquema de corrupção que acontece há pelo menos oito anos na Câmara do município. 

Na quarta-feira foram presos os vereadores, Idenor Machado (PSDB), Pedro Pepa (DEM) e Cirilo Ramão (MDB), além do ex-vereador Dirceu Longhi (PT) e o ex-servidor da Casa, Amilton Salina por participação em fraudes de licitação, conforme denúncia do Ministério Público Estadual. 

Outras duas mulheres acabaram alvos dos mandados de prisão e estão em prisão domiciliar. Elas não tiveram os nomes divulgados.

Investigações 

Conforme o Ministério Público, em diversos processos licitatórios realizados dentro da Casa, empresas consideradas como ‘cartas marcadas’ se apresentavam e atuavam em conluio. 

Algumas delas, conforme o MPE, existiam apenas no papel para simular uma concorrência legal. 

“Sem a devida concorrência, os valores dos contratos oriundos destes processos se faziam exorbitantes”, diz trecho da nota. 

Propinas

Ainda de acordo com o Ministério Público Estadual, para garantir o esquema, essas empresas repassavam na época, valores aos vereadores a título de propina.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Adolescentes são apreendidos por necrofilia com cadáver de idosa
Polícia
PMA apreende arma usada em caça ilegal
Polícia
Projeto de Lei prevê que policiais tenham atendimento prioritário de saúde
Polícia
Chefes da milícia em MS estão seguindo agora para o Presídio Federal
Polícia
Motorista de carro de passeio colide com carreta e morre na BR-267
Polícia
Homem usava máscaras de palhaço para praticar roubos na capital
Polícia
Casal escolhe casa perto de escola para vender droga e é preso com crack
Polícia
Vídeo - Homem morre após confronto com a Guarda Municipal
Polícia
Populares encontram homem que pode ter sido torturado antes de ser morto
Polícia
Brasileiro é executado a tiros na fronteira

Mais Lidas

Polícia
Adolescentes são apreendidos por necrofilia com cadáver de idosa
Geral
Irmã Dulce passa a ser Santa Dulce dos Pobres após canonização
Oportunidade
Prefeitura seleciona jovens para curso de voluntariado
Polícia
PMA apreende arma usada em caça ilegal