Menu
Menu
Busca quarta, 17 de julho de 2024
Secovi - Julho24
Política

Bolsonaro entrega reforma da Previdência ao Congresso

Presidente explicará proposta em pronunciamento à nação

20 fevereiro 2019 - 08h30Agência Brasil    atualizado em 20/02/2019 às 09h25

Depois de mais de um mês de discussões entre as áreas econômica e política do governo, a principal proposta da área econômica será apresentada nesta quarta-feira (20). Às 9h30, o presidente Jair Bolsonaro irá à Câmara dos Deputados, acompanhado de ministros, entregar a proposta de reforma da Previdência, que pretende instituir idades mínimas de aposentadoria para os trabalhadores do serviço público e da iniciativa privada.

Bolsonaro entregará o texto ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Na Casa, a proposta passará primeiramente pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), depois irá para uma comissão especial, antes de ir a plenário. Se aprovada em dois turnos por pelo menos três quintos dos deputados (308 votos), a reforma segue para o Senado.

Durante o dia, o presidente gravará um pronunciamento explicando a necessidade de reformar a Previdência. Elaborado em conjunto pela equipe econômica e pelo gabinete presidencial, o discurso será transmitido à noite em cadeia nacional de rádio e televisão.

Explicações

O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, também participarão da cerimônia de entrega do texto. Da Câmara dos Deputados, eles irão direto para o 3º Fórum de Governadores, que ocorre nesta quarta-feira. Guedes e Marinho apresentarão a proposta para os chefes estaduais. Atualmente, sete estados estão em situação de calamidade financeira em meio a orçamentos comprometidos com a folha de pagamento e com as aposentadorias dos servidores locais.

Enquanto Guedes e Marinho estiverem explicando a proposta aos governadores, técnicos da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho detalharão todos os pontos da reforma da Previdência a jornalistas. Na semana passada, Marinho confirmou que o texto proporá a idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, com calendário de transição de 12 anos.

Detalhes

Entre os detalhes a serem divulgados hoje estão as mudanças nas aposentadorias especiais de professores, policiais, bombeiros, trabalhadores rurais e profissionais que atuam em ambientes insalubres. Também serão informadas as propostas para regras como o acúmulo de pensões e de aposentadorias e possíveis mudanças nas renúncias fiscais para entidades filantrópicas.

Falta saber ainda como ficarão o fator previdenciário, usado para calcular o valor dos benefícios dos trabalhadores do setor privado com base na expectativa de vida, e o sistema de pontuação 86/96, soma dos anos de contribuição e idade, atualmente usado para definir o momento da aposentadoria para os trabalhadores do setor privado. Em relação aos servidores públicos, ainda não se sabe qual será a proposta para a regra de transição.

Também nesta quarta-feira, o governo informará como incluirá na proposta a mudança para o regime de capitalização, no qual cada trabalhador terá uma conta própria em que contribuirá para a aposentadoria. Atualmente, a Previdência dos setores público e privado é estruturada com base no sistema de repartição, onde o trabalhador na ativa e o empregador pagam os benefícios dos aposentados e pensionistas.

Para viabilizar a migração de regime, o governo tem de incluir um dispositivo na Constituição que autoriza o envio de um projeto de lei – complementar ou ordinária – para introduzir o novo modelo depois da aprovação da reforma. Será revelado ainda se o governo enviará o projeto para reformular a Previdência dos militares junto da PEC ou em outro momento.

Tramitação

O governo calcula que a reforma vai permitir uma economia de R$ 800 bilhões a R$ 1 trilhão nos próximos dez anos. Por se tratar de uma PEC, a reforma da Previdência precisa ser votada em dois turnos na Câmara e no Senado, com o apoio de no mínimo três quintos dos deputados e dos senadores em cada votação.

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Projeto - HMCG
Saúde
Juiz dá 72 horas para prefeitura se manifestar sobre ação que tenta 'barrar' hospital
Para Gerson Claro, atuação da Assembleia no 1° semestre foi "assertiva"
Política
Para Gerson Claro, atuação da Assembleia no 1° semestre foi "assertiva"
'De olho' na Prefeitura, partidos já têm datas para convenções na Capital
Política
'De olho' na Prefeitura, partidos já têm datas para convenções na Capital
Sessão na Assembleia Legislativa
Política
Deputados aprovam e Lei de Diretrizes Orçamentárias 2025 segue à sanção
Vereador Chicão, do PSDB em Caarapó -
Justiça
Justiça eleitoral condena vereador por propaganda antecipada em MS
Lula classifica atentado contra Trump como "inaceitável
Política
Lula classifica atentado contra Trump como "inaceitável
Donald Trump é alvo de tentativa de assassinato durante comício nos EUA
Política
Donald Trump é alvo de tentativa de assassinato durante comício nos EUA
Inflação argentina tem aumento e já acumula alta de 271,5% em 12 meses
Política
Inflação argentina tem aumento e já acumula alta de 271,5% em 12 meses
Ele apresenta ter problemas psicológicos, afirmando ser o 'Anjo Gabriel'
Polícia
Homem se apaixona por funcionária de loja e escreve carta de amor 'ameaçadora' em MS
Caminhoneiro que transportava celulares em compartimento escondido é preso
Política
Caminhoneiro que transportava celulares em compartimento escondido é preso

Mais Lidas

Casa da Mulher Brasileira, a Deam
Polícia
Miojinho? Homem surta após 'g0zAr rápido' durante swing com esposa e amigos no Colúmbia
Próximos dias serão quentes
Clima
Até logo, frio! Temperaturas voltam a subir e Capital deve registrar 30ºC esta semana
JD1TV: Motociclistas são socorrido em estado gravíssimo após acidente em Bandeirantes
Polícia
JD1TV: Motociclistas são socorrido em estado gravíssimo após acidente em Bandeirantes
Tempo amanheceu bem nublado e frio em Campo Grande
Clima
Frio continua pela manhã e máximas começam a subir em MS