Menu
Busca sexta, 03 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Política

Transição de poder não pacífica na Venezuela traz temor a Bolsonaro

Para ele, o Brasil está no limite do que fazer pela democracia no país

24 janeiro 2019 - 07h50Da redação

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo brasileiro acompanha com “muita atenção” os desdobramentos da crise na Venezuela. Em reportagem a Agência Brasil diz que ele admitiu que teme um processo de transição não pacífico entre o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, e o interino, Juan Guaidó. Segundo ele, o Brasil “está no limite” do que pode fazer em relação ao país vizinho.

“A história tem mostrado que as ditaduras não passam o poder para a respectiva oposição de forma pacífica. Nós tememos as ações do governo ou melhor da ditadura do governo Maduro”, afirmou Bolsonaro em entrevista à TV Record no intervalo do Fórum Econômico Mundial (Davos, na Suíça).

Para o presidente, o mesmo temor é compartilhado por outros países. “Obviamente há países fortes dispostos a outras conseqüências”, ressaltou. "O Brasil acompanha com muita atenção e nós estamos no limite do que podemos fazer para restabelecer a democracia naquele país”, acrescentou. 

Bolsonaro disse que a preocupação do Brasil é com a população venezuelana. “Desde há muito nós falamos que o bem maior de um homem e uma mulher é a sua liberdade e que [para o] povo venezuelano, nós queremos restabelecer sua liberdade.”

Na quarta-feira (23) o Brasil foi um dos primeiros países na América Latina a reconhecer Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela. Em sua conta no Twitter, Bolsonaro, postou mensagem de apoio a Guaidó.  Ao lado de líderes estrangeiros, o presidente reiterou a colaboração brasileira ao governo recém-declarado.

"O Brasil apoiará política e economicamente o processo de transição para que a democracia e a paz social voltem à Venezuela", disse na rede social. O Ministério das Relações Exteriores do Brasil também divulgou comunicado sobre o reconhecimento de Guaidó.

Ontem Guaidó, que é o presidente da Assembleia Nacional, se declarou presidente interino da Venezuela durante juramento em uma rua de Caracas. Antes do juramento, ele reiterou a promessa de anistia aos militares que abandonarem Maduro e apelou para que fiquem “do lado do povo”.
Repercussão internacional

O governo dos Estados Unidos se manifestou reconhecendo Guaidó como presidente da Venezuela. A decisão foi reforçada pelo presidente, Donald Trump, e pelo vice-presidente, Mike Pence, em suas contas na rede social Twitter. O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, Luis Almagro, também reconheceu Guaidó e felicitou o deputado pelo juramento.

Totem_Alcool Gel

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
"Projeto das Fake News gera interesse em 30 países", diz Nelsinho
Política
Câmara da capital aprova orçamento público para 2021
Política
Congresso promulga emenda constitucional que adia eleições municipais
Política
“Iremos cassar alvará dos estabelecimentos que desobedecem ao Toque de Recolher”, diz Marquinhos
Política
Bolsonaro usa fotos “fakes” em campanha com mesmo nome de propaganda de Hugo Chávez
Política
Venezuela fará eleição para novo Parlamento em dezembro
Política
Congresso faz sessão para promulgar emenda que muda data da eleição
Política
Câmara aprova em 1º turno PEC que adia para novembro eleições municipais
Política
Coronel David comemora edital de curso de formação da Polícia Civil
Política
Câmara pode votar hoje proposta que adia eleições deste ano

Mais Lidas

Polícia
Ação da Força Nacional contra crimes fronteiriços no MS é prorrogada
Polícia
Nu e degolado, corpo de Carla foi desovado na rua da casa dela
Clima
Sextou, em casa: máxima para esta sexta é de 27º no MS
Saúde
Saiba onde encontrar pediatra ou clínico atendendo nesta sexta