Menu
Busca quarta, 05 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Política

Zeca do PT quer ser prefeito de Campo Grande

Ex-governador disse que seu nome está à disposição do partido

06 agosto 2019 - 17h32Joilson Francelino

O ex-governador de Mato Grosso do Sul, José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, colocou seu nome a disposição do Partido Trabalhista (PT), para disputar a prefeitura de Campo Grande, no pleito de 2020.

Em entrevista ao JD1 Notícias, Zeca do PT disse que a preocupação, agora, é a renovação dos diretórios municipais. “A partir da renovação, focaremos na montagem de uma boa chapa. Agora, acabou a absurda condição que tinha, de coligação proporcional. Isso era uma estupidez”, afirmou.

Zeca revela que está de olho e aberto a diálogos com os partidos do campo progressista e citou como exemplo o PDT, PSB, PC do B, PSOL, PTB e PV. “Os partidos que conseguirem atender a exigência da existência de chapa própria e de diretório municipal em Campo Grande, vamos dialogar”, disse.

Pulverização de candidaturas

Sobre o pleito de 2020, o petista avalia que o cenário será de uma pulverização de candidaturas. “Já sei que o atual prefeito [Marquinhos Trad], o promotor Sérgio Harfouche, o deputado estadual Capitão Contar podem se candidatar, o que sinaliza umas três ou quatro candidaturas fortes, com clara possibilidade de se resolver em segundo turno”, afirmou.

Perguntado sobre um possível debate com o ex-governador André Puccinelli, repetindo o pleito de 1996 quando os dois, então deputados, se enfrentaram em segundo turno e levou Puccinelli para a prefeitura da capital, Zeca descartou a possibilidade e disparou: “André corre risco de ser preso novamente”. “O MDB deve procurar um nome de extrema direita para a disputa”, completou.

Debate

Zeca vê o pleito de 2020 como uma oportunidade para debater sobre “qual cidade temos e qual queremos”. “Atualmente, temos uma cidade distante, fria, o povo trabalhador confinado nos grandes bairros mais distantes de Campo Grande, sem nenhum cuidado e investimento”, disparou ao avaliar a atual gestão. Para o ex-governador, desde a época do ex-prefeito Alcídes Bernal, “a capital é tocada por outros interesses e não do povo”.

PT

Perguntado sobre a “fragilidade" do PT devido aos escândalos de corrupção envolvendo lideranças do partido em nível nacional, Zeca afirmou que cada eleição é diferente. “Em 2014, 2016 e 2018, sofremos todas as conseqüências de um processo de condenação sumária. Acho que a grande eleição do PT, de novo, será o ano que vem, e eu quero encarnar esse desafio”, afirmou.

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Vereador Odilon viabiliza padrões para “Aguadinha”
Polícia
Mulher se nega ter relação com o marido e acaba espancada e mantida em cárcere
Política
Ao pedir desfiliação, Contar alega perseguição a deputados bolsonaristas no PSL
Saúde
MS tem 803 casos novos de coronavírus e 327 são na capital
Política
Beto e Fábio propõem projetos que barram candidaturas imediata de Juízes
Política
Dois deputados lideram disputa em Dourados, diz Instituto Ranking
Política
"Auxílio ajuda superar crise salvando vidas e empregos", diz Coronel David
Política
Vídeo: “Não quero saber quem é você”, diz PM ao abordar motorista de Ferrari
Política
"É uma operação de guerra”, diz Riedel sobre combate aos incêndios no Pantanal
Política
Vídeo: Abatido, Delcídio faz relato e volta ser internado

Mais Lidas

Justiça
"Fecha ou não fecha", Justiça dá três dias para Marquinhos se posicionar
Internacional
Área de explosão tinha galpões com produto químico, diz Governo Libanês
Justiça
TJ bate recorde em julho
Internacional
Sobe para 50 número de mortos por explosão em Beirute