Menu
Busca terça, 18 de maio de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - maio21
Saúde

Grávidas portadoras de Fenilcetonúria tem acesso a medicamento

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pediatria, uma em cada 12 mil nascidos vivos é diagnosticado com a doença

06 janeiro 2019 - 09h54Da Redação com Assessoria

Um anúncio do Ministério da Saúde, feito na última quinta-feira (3), irá beneficiar mulheres portadoras da doença Fenilcetonúria que estejam em período pré-concepcional (fértil) ou que estejam gestantes. Conforme portaria do órgão, o remédio Dicloridrato de Sapropterina, de nome comercial Kuvan, um medicamento coadjuvante no tratamento da doença, passará a ser disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).  

Apesar da portaria já ter sido publicada e determinar que em 180 dias o medicamento deverá estar disponível, ainda será necessário aguardar do Ministério da Saúde a divulgação de protocolo clínico, a negociação de preço, além da definição da linha de financiamento e por qual componente da assistência farmacêutica o medicamento será disponibilizado.

O remédio, conforme a portaria n° 78 do dia 14 dezembro, será recomendado para mulheres que estiverem em período fértil ou grávidas e, apesar da dieta adequada e ingestão de complemento alimentar, não consigam manter baixos os níveis de fenilalanina no organismo, um aminoácido que em elevados níveis são tóxicos ao sistema nervoso central. A sapropterina será indicada apenas para mulheres que já tenham feito teste de responsividade positivo ao medicamento.

Registrado em 2017, hoje, o medicamento é produzido apenas por um laboratório no país. Na rede de farmácias comum, uma caixa com 30 comprimidos pode custar até R$ 4 mil e na maioria das vezes é vendido apenas por encomenda.

A doença Fenilcetonúria faz com que o indivíduo nasça sem uma importante enzima (fenilalanina-hidroxilase), dificultando o trabalho do organismo na quebra adequada de moléculas de aminoácido presente em proteínas animais e vegetais (fenilalanina-FAL). Os altos níveis desse aminoácido e de substâncias associadas a ele, no corpo, exercem ação tóxica em vários órgãos, especialmente no cérebro.

Sendo assim, uma dieta adequada, com restrição de alimentos como carne, ovos, trigo e feijão, além da ingestão de fórmula metabólica rica em aminoácidos, vitaminas e minerais são de extrema importância.

Conitec

A Comissão Nacional de Incorporação de Novas Tecnologias (Conitec) recomendou ao Ministério da Saúde que o medicamento fosse incorporado ao SUS, diante de observações e sugestões da população, sendo a maioria de pacientes e familiares dos portadores da doença.

Dados

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pediatria uma em cada 12 mil nascidos vivos é diagnosticado com fenilcetonúria. A doença é identificada logo que a criança nasce, por meio do teste do pezinho.

Girafa

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Coronavac: quem recebeu 1ª dose até 5 de abril será vacinado hoje
Saúde
Em 24 horas, Covid faz mais 50 vítimas
Saúde
Cabo Almi apresenta melhora e equipe médica visa melhor hora de extubação
Saúde
Em 3h, foram vacinadas 2,6 mil pessoas com a 2ª dose da Coronavac
Saúde
Prefeitura amplia locais para vacinação de novo grupo contra a Covid-19
Saúde
Saiba onde encontrar atendimento médico nas UPAs mais próximas
Saúde
Coronavac: Terça será aplicada 2° dose em quem foi vacinado até 1° de abril
Saúde
Covid: Ministério distribuirá mais 6,4 milhões de doses de vacinas
Saúde
Média móvel de casos aumenta e secretária associa com flexibilização de Dia das Mães
Saúde
MS receberá lotes das vacinas da Coronavac, Astrazeneca e Pfizer

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio