Menu
Busca quarta, 28 de setembro de 2022
(67) 99647-9098
SENAI - matriculas setembro 22
Saúde

Grávidas portadoras de Fenilcetonúria tem acesso a medicamento

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pediatria, uma em cada 12 mil nascidos vivos é diagnosticado com a doença

06 janeiro 2019 - 09h54Da Redação com Assessoria

Um anúncio do Ministério da Saúde, feito na última quinta-feira (3), irá beneficiar mulheres portadoras da doença Fenilcetonúria que estejam em período pré-concepcional (fértil) ou que estejam gestantes. Conforme portaria do órgão, o remédio Dicloridrato de Sapropterina, de nome comercial Kuvan, um medicamento coadjuvante no tratamento da doença, passará a ser disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).  

Apesar da portaria já ter sido publicada e determinar que em 180 dias o medicamento deverá estar disponível, ainda será necessário aguardar do Ministério da Saúde a divulgação de protocolo clínico, a negociação de preço, além da definição da linha de financiamento e por qual componente da assistência farmacêutica o medicamento será disponibilizado.

O remédio, conforme a portaria n° 78 do dia 14 dezembro, será recomendado para mulheres que estiverem em período fértil ou grávidas e, apesar da dieta adequada e ingestão de complemento alimentar, não consigam manter baixos os níveis de fenilalanina no organismo, um aminoácido que em elevados níveis são tóxicos ao sistema nervoso central. A sapropterina será indicada apenas para mulheres que já tenham feito teste de responsividade positivo ao medicamento.

Registrado em 2017, hoje, o medicamento é produzido apenas por um laboratório no país. Na rede de farmácias comum, uma caixa com 30 comprimidos pode custar até R$ 4 mil e na maioria das vezes é vendido apenas por encomenda.

A doença Fenilcetonúria faz com que o indivíduo nasça sem uma importante enzima (fenilalanina-hidroxilase), dificultando o trabalho do organismo na quebra adequada de moléculas de aminoácido presente em proteínas animais e vegetais (fenilalanina-FAL). Os altos níveis desse aminoácido e de substâncias associadas a ele, no corpo, exercem ação tóxica em vários órgãos, especialmente no cérebro.

Sendo assim, uma dieta adequada, com restrição de alimentos como carne, ovos, trigo e feijão, além da ingestão de fórmula metabólica rica em aminoácidos, vitaminas e minerais são de extrema importância.

Conitec

A Comissão Nacional de Incorporação de Novas Tecnologias (Conitec) recomendou ao Ministério da Saúde que o medicamento fosse incorporado ao SUS, diante de observações e sugestões da população, sendo a maioria de pacientes e familiares dos portadores da doença.

Dados

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pediatria uma em cada 12 mil nascidos vivos é diagnosticado com fenilcetonúria. A doença é identificada logo que a criança nasce, por meio do teste do pezinho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Brasil registra menor média móvel de mortes por Covid desde o início de 2020
Saúde
Caravana da Saúde será prorrogada até novembro em MS
Saúde
Na última semana, mais de 44 mil crianças ainda não vacinaram contra poliomielite
Saúde
Mais de 500 casos de covid são registrados na última semana em MS
Saúde
Brasil registra menor média móvel de mortes por Covid desde abril de 2020
Saúde
Termina nesta semana a campanha de vacinação contra a pólio
Saúde
Confira a escala médica deste sábado na Capital
Saúde
MS tem 87 casos confirmados de varíola dos macacos
Saúde
Semana encerra com escala completa de clínico geral nas unidades de saúde
Saúde
Mortes por Covid continuam diminuindo em todo o mundo, aponta OMS

Mais Lidas

Política
Pesquisa Ranking mostra Riedel perto do segundo turno
Polícia
JD1TV: Homem morre após se despedir da esposa e jogar carro em córrego na BR-163
Interior
Campo-grandense com carga de cigarros na fronteira morre em confronto com a PM
Cidade
Após episódio de 'traição', amante de candidato se diz abalada e passará por IML