Menu
Busca segunda, 22 de abril de 2019
(67) 99647-9098
Saúde

Grávidas portadoras de Fenilcetonúria tem acesso a medicamento

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pediatria, uma em cada 12 mil nascidos vivos é diagnosticado com a doença

06 janeiro 2019 - 09h54Da Redação com Assessoria

Um anúncio do Ministério da Saúde, feito na última quinta-feira (3), irá beneficiar mulheres portadoras da doença Fenilcetonúria que estejam em período pré-concepcional (fértil) ou que estejam gestantes. Conforme portaria do órgão, o remédio Dicloridrato de Sapropterina, de nome comercial Kuvan, um medicamento coadjuvante no tratamento da doença, passará a ser disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).  

Apesar da portaria já ter sido publicada e determinar que em 180 dias o medicamento deverá estar disponível, ainda será necessário aguardar do Ministério da Saúde a divulgação de protocolo clínico, a negociação de preço, além da definição da linha de financiamento e por qual componente da assistência farmacêutica o medicamento será disponibilizado.

O remédio, conforme a portaria n° 78 do dia 14 dezembro, será recomendado para mulheres que estiverem em período fértil ou grávidas e, apesar da dieta adequada e ingestão de complemento alimentar, não consigam manter baixos os níveis de fenilalanina no organismo, um aminoácido que em elevados níveis são tóxicos ao sistema nervoso central. A sapropterina será indicada apenas para mulheres que já tenham feito teste de responsividade positivo ao medicamento.

Registrado em 2017, hoje, o medicamento é produzido apenas por um laboratório no país. Na rede de farmácias comum, uma caixa com 30 comprimidos pode custar até R$ 4 mil e na maioria das vezes é vendido apenas por encomenda.

A doença Fenilcetonúria faz com que o indivíduo nasça sem uma importante enzima (fenilalanina-hidroxilase), dificultando o trabalho do organismo na quebra adequada de moléculas de aminoácido presente em proteínas animais e vegetais (fenilalanina-FAL). Os altos níveis desse aminoácido e de substâncias associadas a ele, no corpo, exercem ação tóxica em vários órgãos, especialmente no cérebro.

Sendo assim, uma dieta adequada, com restrição de alimentos como carne, ovos, trigo e feijão, além da ingestão de fórmula metabólica rica em aminoácidos, vitaminas e minerais são de extrema importância.

Conitec

A Comissão Nacional de Incorporação de Novas Tecnologias (Conitec) recomendou ao Ministério da Saúde que o medicamento fosse incorporado ao SUS, diante de observações e sugestões da população, sendo a maioria de pacientes e familiares dos portadores da doença.

Dados

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pediatria uma em cada 12 mil nascidos vivos é diagnosticado com fenilcetonúria. A doença é identificada logo que a criança nasce, por meio do teste do pezinho.

pmcg - prestação de contas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Ibuprofeno e cetoprofeno podem agravar infecções
Saúde
Campanha contra gripe volta a vacinar na segunda
Saúde
Pediatras querem revogar exigência do Teste da Linguinha
Saúde
Mutirão contra dengue nas Moreninhas acontece no sábado
Saúde
Pais e responsáveis podem levar crianças para vacinar contra a gripe
Saúde
Em uma semana, Três Lagoas registra 230 casos suspeitos de dengue
Saúde
Apenas duas UPAs têm pediatras na tarde desta quinta-feira
Saúde
Sesau convoca 64 médicos para reforçar atendimento, na capital
Saúde
Nesta quarta, duas UPAs atendem com clínicos e pediatras
Saúde
Fumacê percorre seis bairros nesta terça-feira

Mais Lidas

Polícia
Casal morre em acidente na MS-164
Polícia
Jovem morre afogado em piscina do Corumbaense Futebol Clube
Saúde
Ibuprofeno e cetoprofeno podem agravar infecções
Geral
Mega acumula e poderá pagar R$ 90 milhões na quarta-feira