Menu
Busca domingo, 05 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Tecnologia

Projetos sociais deslancham com financiamento coletivo

10 julho 2012 - 10h26Reprodução

A quadra esportiva está pronta e os técnicos e educadores estão a postos, faltam bolas, raquetes e tatame para que as crianças do abrigo comecem a brincar. Para dar início a esse jogo, organizações sociais têm recorrido ao "crowdfunding" (financiamento coletivo), para captar recursos e sensibilizar internautas para a causa.

Iniciativas como essa são conhecidas dos internautas - há sites para arrecadar fundos para desenvolver produtos, patrocinar shows, contratar jogadores de futebol e financiar pesquisas. Agora, novas plataformas despontam para patrocinar projetos sociais ou apoiar negócios voltados à base da pirâmide.

Uma delas é o Tzedaka, lançado no fim de maio deste ano. Dos nove projetos apoiados, dois já foram finalizados com a meta de arrecadação alcançada.

Para os internautas, não faltam opções. Há projetos em diversas áreas, como cultural, esportiva, educacional e de empreendedorismo. Basta escolher uma área e ter mais informações sobre o projeto. Com poucos reais, é possível ajudar a patrocinar a iniciativa.

Em geral, o período da campanha varia de 15 a 45 dias. Se o valor solicitado for atingido, vai para a instituição e o benfeitor recebe um agradecimento, como carta, livro ou outra lembrança ou serviço, dependendo da quantia investida. Caso contrário, o dinheiro é devolvido para o doador, explica o cofundador do Tzedaka Ariel Tomaspolski, 28.

Todos os projetos trazem vídeo e breve descrição da causa, bem como o total arrecadado até o momento e o prazo final da campanha, complementa o diretor da Impulso Rodrigo Brito, 30.

Foi dessa forma que o Instituto Fazendo História, finalista do Prêmio Empreendedor Social no ano passado, angariou recursos para o Programa Palavra de Bebê, que visa fortalecer os laços entre crianças e adultos.

Em 2012, a ONG ampliou a abrangência do projeto: fez parceria com mais cinco abrigos. Para que os bebês tivessem suas histórias registradas em livro e fossem organizados ateliês de estimulação para educadores e crianças, seria necessário arrecadar R$ 7.500.

Em vídeo de dois minutos e meio, era possível conhecer a importância da primeira infância no desenvolvimento e como o projeto contribuiria para a formação das crianças. Em 45 dias, o Instituto Fazendo História conseguiu somar R$ 9.724,00 - 30% a mais do que o proposto inicialmente.

Os doadores receberam recompensas como o livro usado para o trabalho com os bebês. "Pensamos em fazer outras iniciativas como essa", destaca a coordenadora do Instituto Fazendo História Fernanda Figueiredo, 39, responsável pela ação de "crowdfunding".

Na Impulso, que passou por reformulação neste ano, todos os empreendedores beneficiados gravarão vídeos de agradecimento a quem os ajuda. "Recebemos [feedback dos empreendedores]. "Queremos fazer vídeos de todos os que participaram, de qual foi o impacto do investimento", frisa Brito.

Via Folha

Totem_Alcool Gel

Deixe seu Comentário

Mais Lidas

Saúde
Entenda porque exercícios físicos na quarentena talvez não seja tão bom assim
Polícia
Dezenas de presos fogem de cadeia na madrugada
Polícia
Fugindo de "tribunal do crime", homem invade casa e se tranca no banheiro
Geral
Vídeo: batida entre motos nas Moreninhas deixa jovem gravemente ferido