Menu
Busca quarta, 17 de julho de 2019
(67) 99647-9098
Agronegócio

Capital terá primeira Agrovila destinada à 30 famílias

Os moradores terão condições ideais para a produção de hortifruti orgânico

07 janeiro 2019 - 09h35Da Redação com Assessoria

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia (Sedesc) se prepara para implantar a primeira agrovila na Capital, garantindo moradia digna para 30 famílias.

“Estamos nos preparando para executar em 2019 a implantação da primeira agrovila de Mato Grosso do Sul, assentando 30 famílias com moradia digna e condições ideais para produção de hortifruti orgânico”, explicou o secretário Abrahão Malulei.

Simultaneamente, a Sedesc deverá elaborar o diagnóstico do meio rural do Município, visando produzir o Plano de Desenvolvimento Rural, lançando os pólos locais.

“Será um ano de aprimoramento do trabalho junto às comunidades da agricultura familiar do Município, essencial ao cumprimento de metas do Programa de Governo”, completou o secretário da Sedesc.

Educação empreendedora

Lançada em agosto, a Escola do Empreendedorismo terá efetiva realização a partir de março de 2019, após a finalização dos trâmites burocráticos referentes ao projeto. As parcerias estão sendo finalizadas visando garantir o sucesso do programa, previsto no Programa de Governo do prefeito.

Outra ação de grande importância nessa área de transferência de conhecimento é a parceria que a Sedesc está firmando com o IEL – Instituto Euvaldo Lodi. Pelo acordo, a Prefeitura de Campo Grande se tornará âncora no PQF – Programa de Qualificação de Fornecedores. O PQF atua em Mato Grosso do Sul para desenvolver e capacitar as pequenas empresas para atender de forma adequada as grandes indústrias e órgãos públicos.

“A Prefeitura de Campo Grande será uma âncora importante para fomentar o crescimento das empresas já instaladas aqui e essencial para o desenvolvimento econômico”, pontuou Hugo Bittar, coordenador-executivo do PQF.

Nova fase

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia (Sedesc) vai iniciar o terceiro ano da atual gestão do Executivo do Município focando o cumprimento das metas propostas no Plano de Governo do prefeito Marquinhos Trad.

As ações implementadas pela equipe Sedesc nos primeiros dois anos de administração pavimentaram e deram sustentação à base, para que as metas mais importantes sejam cumpridas nos dois anos finais do governo municipal.

No ano de 2018 mais algumas metas foram cumpridas, como o fortalecimento definitivo do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico (Codecon), com 11 reuniões realizadas até outubro, com 35 projetos novos aprovados que demandam R$ 107,4 milhões em investimentos e criação de 812 empregos novos.

Esses números são robustos e deverão contribuir decisivamente para o fortalecimento da economia no Município. Também neste ano o prefeito Marquinhos Trad sancionou sete projetos que deram entrada através da Lei do Prodes – Programa de Desenvolvimento Econômico e Social, com investimentos previstos de R$ 91,9 milhões e geração de 440 novos empregos.

“A cidade precisa abrir os braços para aqueles que produzem, para as empresas que possibilitam que os campo-grandenses possam trabalhar. Estamos devolvendo aos empresários os esforços que eles fazem para trazer investimentos, gerando emprego e renda para Campo Grande”, disse o prefeito Marquinhos Trad, após sancionar projetos concedendo incentivos às empresas.

Na esteira das ações voltadas ao desenvolvimento industrial vem a abertura de licitação para conclusão do Terminal Intermodal de Cargas, que deverá ser transformado em Porto Seco, isto é, recintos alfandegados de uso público de zona secundária nos quais são executadas operações de movimentação, armazenagem e despacho aduaneiro de mercadorias e de bagagem, e é estabelecido o controle aduaneiro através da Receita Federal.

Os Portos Secos foram criados como opção para possibilitarem um melhor fluxo logístico, desafogando a movimentação de mercadorias em Zonas Primárias (Portos e Aeroportos).

“Vamos também aperfeiçoar a Lei do Prodes, permitindo maior mobilidade, transparência e agilidade na movimentação dos projetos solicitando benefícios”, afirma o secretário Abrahão Malulei Neto.

Roberto Carlos

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agronegócio
Reinaldo amplia linha de crédito para agricultores
Agronegócio
Plano Safra 2019/2020 terá R$ 23 bilhões do BNDES
Agronegócio
Usinas levantam danos causados na cana-de-açúcar após geada
Agronegócio
Plano Safra 2019-2020 vai garantir R$ 8,2 bilhões para MS
Agronegócio
Tereza e Reinaldo entregam maquinários e anunciam mais investimentos
Agronegócio
Setor produtivo comemora medidas anunciadas por governo e prefeitura
Agronegócio
Marquinhos garante qualidade de alimentos com nova regulamentação
Agronegócio
Verruck quer união entre países no combate ao contrabando de produtos agrícolas
Agronegócio
Campo Grande vai sediar Copa do Laço e feira agropecuária
Agronegócio
Com 65 milhões de litros MS registra queda de 1,2%

Mais Lidas

Polícia
Família encontra adolescente que estava desaparecida
Polícia
Família busca por jovem desaparecida há tres dias na capital
Educação
Desligamento de professores da educação especial preocupa pais
Polícia
Homem é morto a tiros dentro de casa enquanto fumava narguilé