Menu
Busca quinta, 22 de agosto de 2019
(67) 99647-9098
Brasil

Ação contra CNI foi “absurda e ilegal”, diz procurador do MPF

Investigação chegou também com busca e apreensão na FIEMS, em fevereiro

04 junho 2019 - 15h43Joilson Francelino, com informações do Poder 360

A prisão, a soltura quase imediata e o afastamento do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, da direção da entidade causou um "racha" e discordância no Ministério Público. No julgamento do recurso da defesa, um procurador da República discordou do colega do Ministério Público, afirmando que a medida era “absurda” e “ilegal”, segundo o site Poder 360.

O noticiário online afirma que teve acesso à transcrição na íntegra do que o procurador da República Joaquim Dias, disse, no dia 16 de maio, e que o mesmo posicionou-se a favor do retorno de Andrade à direção da CNI, sendo totalmente contra a prisão e o afastamento dele.

Para Dias, não havia evidência de que Andrade pudesse causar obstáculos a investigação. “A medida é de fato ilegal, o impetrante foi preso provisoriamente e, no entanto, após a prisão foi indicada uma série de medidas cautelares que não cabiam ao caso”, disse. “É um absurdo que deve ser combatido, a Justiça tem que estar atenta para esses casos. Processo investigativo de 2014 enseja na prisão de alguém, e basta a prisão, mesmo que ela seja revogada ligeira, mas já constitui um fato que para a pessoa é de toda sorte uma medida que vai denegri-la, enxovalhar. Isso tem que acabar. Embora eu seja do Ministério Público, mas sou contra isso, sou contra isso veementemente”, disse o procurador.

Dias discordou totalmente de colega do MP que defendia a prisão e o afastamento do presidente. O inquérito está na Justiça Federal. O Ministério Público poderá oferecer denúncia ou pedir o arquivamento do caso.

Relembre

A "Operação "Fantoche" foi deflagrada no dia 19 de fevereiro, sob o comando da Superintendência da PF, em Pernambuco. Agentes cumpriram 40 mandados de busca e apreensão e dez mandados de prisão temporária em Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo, Paraíba, Distrito Federal e Mato Grosso do Sul.

A operação investigou suposto esquema para liberar, recursos para contratos entre o Ministério do Turismo e o Sistema S. Em MS, a equipe da PF esteve na Casa da Indústria buscando informações sobre projetos executados entre 2010 e 2013. Com isso, porém, as buscas realizadas no estado e que fazem parte da mesma investigação, também podem ter sido parte de um erro judiciário.

Prefeitura - Niver CG

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Policial passa mal e morre no dia que soube que seria pai
Brasil
“Aumento de queimadas na Amazônia pode ser ação criminosa”, diz Bolsonaro
Brasil
Mega sorteia R$ 31 milhões nesta quarta
Brasil
Minha Casa, Minha Vida recebeu R$ 2,47 bilhões no primeiro semestre
Brasil
Moro destaca importância de prisão em segunda instância
Brasil
Vídeo mostra momento em que sequestrador é executado pelo BOPE
Brasil
Taurus usou empréstimo do BNDES para comprar jatinho
Brasil
Ministro Ernesto Araújo vem à capital em reunião sobre Corredor Bioceânico
Brasil
Funcionário morre esmagado em fábrica da Heineken
Brasil
Vídeo mostra enfermeiro dando tapa na cara de paciente em UPA

Mais Lidas

Brasil
Policial passa mal e morre no dia que soube que seria pai
Polícia
Vídeo - Helicóptero da PRF cai e piloto fica ferido
Geral
Com salário de até R$ 2,6 mil prefeitura abre seleção para assistência social
Polícia
Após invadir escola, adolescente ataca alunos com golpes de machado