Menu
Busca sábado, 07 de dezembro de 2019
(67) 99647-9098
TJMS Dezembro-19
Brasil

Fábio será o relator da PEC que discutirá prisão em 2º Instância

A escolha do parlamentar sul-mato-grossense foi decidida nesta quarta-feira

04 dezembro 2019 - 16h31Mauro Silva, com informações da assessoria

O deputado federal, Fábio Trad (PSD/MS), será o relator da comissão especial que analisará a proposta de emenda constitucional (PEC) que discutirá a prisão após condenação em segunda instância, de autoria do deputado Alex Manente (Cidadania/SP). A escolha do parlamentar sul-mato-grossense foi decidida nesta quarta-feira (4).

O relator é considerado estratégico numa comissão, pois é ele é o responsável por fazer o estudo da matéria a ele submetida e apresentar na instância deliberativa (comissão ou plenário) o seu parecer. Seu relatório, portanto, tem função decisiva na votação e na aprovação (ou não) do projeto pelos demais parlamentares.

Em coletiva de imprensa logo após a instalação da comissão, Trad garantiu estar “absolutamente sintonizado com as aspirações da maioria do povo brasileiro, que quer o encurtamento do período de tempo entre a data do crime e o início da pena”, afirmou.

“Percebe-se claramente que a percepção da população brasileira é que há uma distância muito grande, em termos de tempo, entra a data do crime e o início da pena. E isso gera, de fato, uma sensação de impunidade. Então, o objetivo dessa PEC, sem violar a presunção de inocência, é encurtar esse período entre a data do crime e o início da pena”, acrescentou.

O deputado explica como pode encurtar o período, segundo ele, através da alteração dos artigos 102 e 105 da Constituição Federal, no sentido de que o trânsito em julgado, ou seja, o fim do processo ocorra logo após do julgamento nos tribunais regionais. “Isto é, dos tribunais estaduais”, explicou.

Questionado sobre o cronograma da comissão, o deputado disse que os trabalhos devem ser iniciados à partir de fevereiro do ano que vem, mas que tudo dependerá das sessões designadas pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM/RJ).

“Juridicamente, dez sessões são mais do que suficientes para amadurecer o meu ponto de vista jurídico-constitucional e oferecer à comissão e ao Brasil um parecer técnico que atenda aos anseios populares e que não viole a cláusula pétrea”, afirmou.

“Temos de fazer uma PEC de forma célere e não apressada, o que é diferente. Atendendo a demanda da população, fazendo com que a execução da pena seja rápida, efetiva, mas sem causar injustiças em relação às pessoas que serão processadas”, finalizou.

A comissão especial é composta por 34 membros titulares e 34 membros suplentes. A escolha dos vice-presidentes do colegiado será feita em uma próxima sessão da comissão. Por 22 votos, o deputado Marcelo Ramos (PL/AM) foi eleito presidente do colegiado.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Mulher presa por ofender taxista negro responderá por quatro crimes
Brasil
Caso Daniel: Edison Brittes entrou com pedido de prisão domiciliar
Brasil
Brasil reconhece mais de 21 mil venezuelanos em condição de refugiados
Brasil
Simone quer aprovar pacote anticrime ainda este ano
Educação
Consulta aos locais de reaplicação do Enem já está disponível
Brasil
Bolsonaro diz que não pretende privatizar BB e Caixa
Brasil
Mulher é atacada por homem que fingiu estar com carro quebrado
Brasil
Força Nacional atuará na garantia de segurança de indígenas
Brasil
Comissão aprova reforma da Previdência dos militares
Brasil
Duas crianças em situação de rua morrem carbonizadas

Mais Lidas

Clima
Campo Grande amanhece com sol e céu limpo neste sábado
Entrevista
Vídeo: “Sendo vítima, a mulher tem que denunciar”, afirma Alexandre Saldanha
Geral
Energisa investe em projeto para economizar energia no Fórum de Corumbá
Cidade
“Condomínio das Araras” no Parque dos Poderes vai parar em série da Ancine