Menu
Busca domingo, 17 de novembro de 2019
(67) 99647-9098
Brasil

Nelsinho recebe ministro Marcos Pontes em audiência pública

Em pauta, estava o acordo de base em Alcântara entre Brasil e EUA

28 março 2019 - 18h18Da redação com informações da assessoria

O presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, senador Nelsinho Trad, recebeu nesta quinta-feira (27) o ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, em audiência feita em conjunto com a Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) do Senado Federal, para detalhar o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST), que permite o uso comercial do Centro Especial de Alcântara, no Maranhão.

No último dia 18, o documento foi assinado entre os dois países durante a visita do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos. “O acordo que destrava o uso comercial do Centro de Alcântara precisa da confirmação do Congresso Nacional como condição imprescindível para que seja possível realizar lançamentos espaciais. Por isso, a importância da reunião conjunta”, explicou o senador que presidiu a audiência. 

De acordo com o Ministério da Defesa, o AST permite que veículos lançadores e cargas úteis comerciais de qualquer nacionalidade contendo equipamentos ou tecnologias norte-americanas sejam lançados de Alcântara. A questão gera dúvidas sobre a soberania do País. Em resposta, o ministro Pontes disse que não existe esse risco. “Vi muita coisa, muita desinformação”, afirmou o ministro.

Segundo a Agência Espacial Brasileira, o primeiro AST foi assinado em 2000 e submetido à aprovação do Congresso no ano seguinte, mas foi devolvido ao Executivo em 2016 sem ratificação. Nesse período de quase 20 anos, a agência estima que o país tenha perdido cerca de US$ 4 bilhões por lançamentos não realizados. O ministro Marcos Pontes ressaltou que o Brasil manterá o controle da base e destacou que o acordo não permite atividades militares de outros países ou empresas estrangeiras, como o lançamento de mísseis. “O acordo não permite o lançamento de mísseis, não tem nada a ver com a parte militar. É proibido.” 

Pelas regras, o acordo permite que o Brasil lance, a partir da base, foguetes e satélites que contém com material fabricado por americanos e determina, em troca, a proteção dessa propriedade intelectual. “Os Estados Unidos permitem que o Brasil lance foguetes e satélites, de qualquer nacionalidade, que possuam componentes americanos. Em troca, nós garantimos que vamos proteger essa tecnologia americana”, explicou o ministro.

Conforme o discurso de Nelsinho, a audiência pública foi excelente para tornar público o compromisso do ministro Pontes que, mesmo sem citar sobre restrições no acordo, afirmou que equipes brasileiras terão acesso a tudo. “A gente aprende muito com os detalhes, o que a gente observou aqui, ministro.  É que o Governo Federal tem um homem que veio do espaço que pode ajudar muito, principalmente em pautas polêmicas. Primeira vez que vejo nesta Casa quatro parlamentares da oposição, elogiando a postura do ministro”, comentou o senador Nelsinho Trad.

Athus Ingles

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Filho é morto pela mãe por não querer limpar a casa
Brasil
Governo federal prepara conjunto de ações para área social
Brasil
Saída do PSL é "separação amigável", diz Bolsonaro
Brasil
Assinantes de TV paga do Norte e do Centro-Oeste receberão alertas
Brasil
IGP-10 sobe 0,19% em novembro, aponta Ibre/FGV
Brasil
Atividade econômica cresce 0,91% no terceiro trimestre
Brasil
Fragmentos de óleo foram encontrados na Reserva Biológica de Comboios
Brasil
Líderes empresariais entregam lista de 23 propostas para cúpula da Brics
Brasil
Doença de filho de Leonardo é incurável e causa dores intensas
Brasil
Estudo do IBGE mostra desigualdades sociais entre brancos e pretos ou pardos

Mais Lidas

Polícia
Guarda Municipal é preso viajando com 40 quilos de cocaína
Cidade
"Direito de ir e vir" diz guarda sobre uso de spray de pimenta em protesto
Esportes
Vídeo - veja como foi o resgate de Pedro Scooby após acidente no mar
Polícia
Bebê de 1 ano cai em vasilha de comida de porcos e morre afogada