Menu
Busca sexta, 17 de janeiro de 2020
(67) 99647-9098
Perkal Topo - janeiro-20
Cidade

Prefeitura quer iniciar obras de estações de pré-embarque ainda este ano

Licitação para o serviço foi divulgada ontem (16) no Diário Oficial de Campo Grande

17 julho 2019 - 15h54Rauster Campitelli

A prefeitura pretende iniciar as obras das estações de pré-embarque do transporte coletivo nos corredores de ônibus sudoeste (Guia Lopes/Brilhante/Bandeirantes) e norte (Rua Bahia) até o final deste ano. As informações são do secretário municipal de obras, Rudi Fiorese. A implantação das 17 estações nos corredores, que têm quase oito quilômetros de extensão, terá investimento de R$ 1 milhão. A abertura da licitação para o serviço foi divulgada ontem (16) no Diário Oficial de Campo Grande.

Após a publicação, o prazo para as empresas interessadas apresentarem suas propostas é de pelo menos 30 dias. “É difícil dar um prazo [para o início das obras]. Tem levado em torno de quatro meses. Sem dúvida queremos que seja o mais rápido possível, mas os trâmites e prazos legais que têm que ser respeitados. Vamos torcer para que corra rápido e aconteça esse ano ainda”, diz Fiorese.

O presidente da Assetur, João Rezende, afirmou em entrevista para o JD1 Notícias que a infraestrutura do transporte coletivo é o maior problema enfrentado atualmente pelo segmento na capital. “O que precisa é infraestrutura para o ônibus circular mais rapidamente e cumprir os seus horários. Poderíamos até reduzir a frota e economizar, mas para isso temos que ter velocidade para compensar. Hoje estamos usando mais ônibus para transportar menos pessoas e gastando mais tempo, então não fecha a conta”, disse.

Segundo ele, o cidadão não está deixando de usar o ônibus porque ele não é novo, porém, muitas vezes, devido à lentidão. “A cidade está abarrotada de automóveis, motocicletas, bicicletas e patinetes porque o cidadão hoje em dia compra tempo, tudo gira em torno de tempo, e o deslocamento de ônibus está cada vez mais lento. O cidadão passa do ônibus para o automóvel porque o serviço do ônibus é muito ruim”, esclareceu.

“Para o cidadão perceber mudança na qualidade de maneira expressiva, está faltando infraestrutura para o transporte”, acrescentou o presidente da Assetur, frisando que a queda do número de usuários é crescente.

“As despesas [do consórcio] não acompanharam essa redução, tendo praticamente a mesma despesa para faturar muito menos. O poder público tem se esforçado bastante, mas a prefeitura, neste contrato, não cumpriu com a sua parte. Ela não fez ainda nenhum quilômetro de corredor. Se tivesse feito, com certeza a qualidade seria outra”, avaliou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cidade
Saiba quais ruas serão interditadas pela Agetran neste final de semana
Cidade
Ônibus quebra e prejudica passageiros na "hora do rush"
Cidade
Confira dicas de preenchimento correto do Alvará Imediato
Cidade
Recapeamento da 13 de Maio deve chegar a Fernando Correa nesta sexta
Cidade
Confira os locais de prova para candidatos a professor temporário estadual
Cidade
Obra no terminal Bandeirante começa a ganhar forma
Cidade
Estado abre licitação para restaurar gabião do lago do Parque das Nações
Cidade
Agepen nomeia novo diretor no Presídio de Trânsito da capital
Cidade
Santa Casa tem cirurgia inédita e transforma dedo indicador em polegar
Cidade
Pais devem assinar requerimento de matrículas da Reme até sexta-feira

Mais Lidas

Cidade
Saiba quais ruas serão interditadas pela Agetran neste final de semana
Polícia
Três são presos tentando vender moto furtada
Política
Após declarações nazistas, Bolsonaro exonera Roberto Alvim
Polícia
Polícia prende homem que participou de assalto a supermercado