Menu
Busca sábado, 24 de agosto de 2019
(67) 99647-9098
Cidade

Prefeitura quer iniciar obras de estações de pré-embarque ainda este ano

Licitação para o serviço foi divulgada ontem (16) no Diário Oficial de Campo Grande

17 julho 2019 - 15h54Rauster Campitelli

A prefeitura pretende iniciar as obras das estações de pré-embarque do transporte coletivo nos corredores de ônibus sudoeste (Guia Lopes/Brilhante/Bandeirantes) e norte (Rua Bahia) até o final deste ano. As informações são do secretário municipal de obras, Rudi Fiorese. A implantação das 17 estações nos corredores, que têm quase oito quilômetros de extensão, terá investimento de R$ 1 milhão. A abertura da licitação para o serviço foi divulgada ontem (16) no Diário Oficial de Campo Grande.

Após a publicação, o prazo para as empresas interessadas apresentarem suas propostas é de pelo menos 30 dias. “É difícil dar um prazo [para o início das obras]. Tem levado em torno de quatro meses. Sem dúvida queremos que seja o mais rápido possível, mas os trâmites e prazos legais que têm que ser respeitados. Vamos torcer para que corra rápido e aconteça esse ano ainda”, diz Fiorese.

O presidente da Assetur, João Rezende, afirmou em entrevista para o JD1 Notícias que a infraestrutura do transporte coletivo é o maior problema enfrentado atualmente pelo segmento na capital. “O que precisa é infraestrutura para o ônibus circular mais rapidamente e cumprir os seus horários. Poderíamos até reduzir a frota e economizar, mas para isso temos que ter velocidade para compensar. Hoje estamos usando mais ônibus para transportar menos pessoas e gastando mais tempo, então não fecha a conta”, disse.

Segundo ele, o cidadão não está deixando de usar o ônibus porque ele não é novo, porém, muitas vezes, devido à lentidão. “A cidade está abarrotada de automóveis, motocicletas, bicicletas e patinetes porque o cidadão hoje em dia compra tempo, tudo gira em torno de tempo, e o deslocamento de ônibus está cada vez mais lento. O cidadão passa do ônibus para o automóvel porque o serviço do ônibus é muito ruim”, esclareceu.

“Para o cidadão perceber mudança na qualidade de maneira expressiva, está faltando infraestrutura para o transporte”, acrescentou o presidente da Assetur, frisando que a queda do número de usuários é crescente.

“As despesas [do consórcio] não acompanharam essa redução, tendo praticamente a mesma despesa para faturar muito menos. O poder público tem se esforçado bastante, mas a prefeitura, neste contrato, não cumpriu com a sua parte. Ela não fez ainda nenhum quilômetro de corredor. Se tivesse feito, com certeza a qualidade seria outra”, avaliou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cidade
Prefeitura convoca médicos para melhorar o atendimento nas UPAS
Cidade
"Presente de Natal”, diz Zauith sobre entrega do Aquário em dezembro de 2020
Cidade
Países usam incêndios para tentar prejudicar o Brasil, diz Bolsonaro
Cidade
Sete Quedas receberá R$ 1,7 mi para recuperação
Cidade
Marquinhos entrega asfalto no Bellinati
Cidade
Funtrab abre inscrições para 145 vagas de cursos de qualificação
Cidade
CDL defende amplo debate para transformar hotel em moradia popular
Cidade
Marquinhos entrega novos pontos de ônibus com cobertura
Cidade
Avenida Bandeirantes começa a receber asfalto novo
Cidade
Agehab tem três projetos para habitação de interesse social

Mais Lidas

Polícia
Polícia apresenta acusado de estupro e roubo no Jardim Carioca
Polícia
Família encontra jovem morto e suspeita é de suicídio
Polícia
Confusão em tabacaria da Moreninha termina em morte
Polícia
Rapaz é contatado por aplicativo para fazer corrida e desaparece