Menu
Busca sábado, 25 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Educação

Estudantes podem faltar aulas e provas por motivo religioso

A lei sancionada pelo presidente nesta sexta entra em vigor em 60 dias

04 janeiro 2019 - 16h11Da redação

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta sexta-feira (4), a lei que permite que estudantes faltem aulas e provas por motivo religioso.

A nova lei estabelece que estudantes de escolas e universidades públicas e privadas poderão ausentar de provas ou aulas, em dias que, “segundo os preceitos de sua religião, seja vedado o exercício de tais atividades”. Para isso, os estudantes terão que apresentar um requerimento com a devida antecedência.

Para repor as atividades, as instituições de ensino deverão aplicar prova ou aula de reposição, conforme o caso. Poderão ainda solicitar dos alunos um trabalho escrito ou outra modalidade de atividade de pesquisa. Os estudantes que fizerem essas atividades terão garantida a presença.

A lei entrará em vigor em 60 dias. Quando passar a valer, as escolas terão ainda dois anos para tomar as providências e fazer as adaptações necessárias para colocar a medida em prática.

A lei não se aplica, no entanto, às escolas militares. Isso porque o ensino militar é regulado em lei específica, admitida a equivalência de estudos, de acordo com as normas fixadas pelos sistemas de ensino.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Educação
Vale Universidade divulga habilitados para o programa
Educação
Estudantes podem consultar vagas do Sisu
Educação
Inscrições do ProUni para o 2º semestre iniciam em 11 de junho
Educação
Termina nesta quinta-feira prazo para pagar inscrição do Enem
Educação
Consulta para vagas no Sisu abre na quinta-feira
Educação
Vale Universidade Indígena divulga lista de habilitados
Educação
IFMS abre 80 vagas para cursos de graduação
Educação
Estão abertas as Inscrições para o Encceja
Educação
Enem 2019 tem 6,3 milhões de inscritos
Educação
Inscrições para Enem e Vale Universidade encerram nesta sexta

Mais Lidas

Cidade
Restaurante Bamboo Sushi é autuado por cobrança excessiva
Polícia
Homem bêbado pede para descansar e morre no sofá do vizinho
Geral
Ciclista tem a cabeça esmagada por carreta em acidente
Geral
Marginal usa OLX para aplicar golpe com WhatsApp de anunciante