Menu
Busca terça, 14 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Governo dengue 03 - tarde demais
Esportes

Maracanã será entregue oficialmente à Fifa, dentro de um ano

02 março 2012 - 12h04Reprodução

As obras de reconstrução do Maracanã entraram na reta final e já têm data acabar: 28 de fevereiro de 2013. Daqui a quase um ano, a Fifa receberá do consórcio Maracanã Rio-2014, formado por Odebrecht, Delta e Andrade Gutierrez, o estádio completamente remodelado e em condições de sediar os jogos da Copa das Confederações, de 15 a 30 de junho, e da Copa do Mundo, no ano seguinte.

Evidentemente, as partidas ainda vão demorar a ser realizadas no local, por causa da preparação do gramado e dos últimos ajustes da Fifa. As "viúvas" do velho Maracanã já têm um cronograma completo para acompanhar o avanço das obras. No fim de março, será inaugurado um showroom bem maior que o anterior, em que torcedores e turistas poderão fazer um "test drive" do novo estádio. Eles poderão passar pelas novas roletas, conhecer o piso das instalações, checar o perfil da arquibancada e fazer o teste sentando-se nas novas cadeiras. A todo vapor Cadeiras, por sinal, que, de acordo com o projeto inicial, podem ter suas cores mudadas, tomando, por exemplo, as cores da bandeira do Brasil.

Uma medida sensata para evitar qualquer identificação — por mais distante que seja — com qualquer clube de futebol do Rio. Em setembro, os anéis da arquibancada estarão fechados, permitindo que, no mês seguinte, tenha início a instalação da última grande fase da obra, a colocação da cobertura de lona do anel. Uma produção multinacional, com partes sendo fabricadas em Minas, na Espanha e na Alemanha.

A partir de novembro, por sinal, os torcedores que passarem em ruas próximas ao estádio ou que o visitarem já poderão acompanhar os trabalhos de instalação da cobertura. Com a remodelação, o Maracanã tornou-se uma pequena cidade. No fim de março, em que o ritmo das reformas será acelerado, o número de operários chegará ao seu máximo, com 5.300. Atualmente, são cerca de 4.500 funcionários trabalhando praticamente 24 horas por dia, com turnos de 7h às 17h e de 19h às 5h. "Numa obra dessa dimensão, temos que pensar em tudo, pois vivemos numa minicidade.

O calor nas últimas semanas nos ajudou, pois a chuva sempre atrapalha os trabalhos. Mas precisamos fornecer água gelada, por exemplo, para milhares de operários", afirmou o engenheiro carioca (e alvinegro) Carlos Berardo Zaeyen, gerente de contrato, considerado o "governador" das obras. Um passeio pelas obras do estádio mostra que a fase de destruição é passado e que a construção chegou na reta final. Em alguns setores, já estão sendo marcados no chão os locais de banheiros, camarotes, etc.

Informações: Jornal "O Globo".

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
SBT transmitirá final do Carioca entre Flamengo e Fluminense
Esportes
Eliminatórias sul-americanas para Copa de 2022 é adiada para outubro
Esportes
Conmebol anuncia retorno da Libertadores para 15 de setembro
Esportes
Botafogo de Ribeirão vê ilegalidade na volta do Campeonato Paulista
Esportes
Live: Rodeio sem público começa nesta quinta em Chapadão do Sul
Esportes
Fluminense supera Flamengo e conquista Taça Rio
Esportes
Governo de SP autoriza volta do jogos de futebol em 22 de julho
Esportes
Veja onde assistir Fluminense x Flamengo de graça
Esportes
Campo Grande sediará a Liga das Nações que foi adiada para 2021
Esportes
Fluminense perde para o Volta Redonda na reestreia de Fred

Mais Lidas

Polícia
Ex-patroa é denunciada por abandono de incapaz que resultou em morte
Saúde
MP solicita inspeção em frigoríficos no interior
Polícia
Comerciante foi morta porque reconheceu voz de ex-funcionário, diz investigação
Política
“Caso de polícia”, diz Fábio sobre fake news de lockdown na capital