Menu
Busca segunda, 24 de janeiro de 2022
(67) 99647-9098
TJMS Jan22
Geral

Afastada, desembargadora entra com ação no STF para retornar à presidência no TRE-MS

Tênia é suspeita usar influência e recursos públicos para ajudar o filho preso por tráfico de drogas

12 outubro 2018 - 16h23Da redação

Tênia Borges, desembargadora que foi afastada do Tribunal de Justiça e da presidência do Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-MS), na última terça-feira (9) entrou com um mandado de segurança no Superior Tribunal Federal (STF) para tentar voltar ao cargo. A decisão havia sido tomada no plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

De acordo com o corregedor nacional, Humberto Martins, ela usou a influência da função e recursos públicos para ajudar o filho, Breno Borges, preso por tráfico de drogas. O afastamento de Tânia segue até a conclusão da investigação da corregedoria. Já o recurso que foi aberto no STF será julgado pelo ministro Luiz Fux.

O CNJ apura se a desembargadora usou indevidamente veículo oficial e escolta policial para libertar o filho Breno Fernando Borges Solón, que havia sido preso em 2017 por tráfico de drogas em Três Lagoas.

A desembargadora é suspeita de ter ido buscar seu filho com viatura e escolta, quando ainda não havia uma decisão no sistema de alvarás de soltura.

Em nota, a defesa da desembargadora diz que considera a decisão do CNJ "arbitrária, desnecessária e equivocada" e que irá recorrer ao Supremo Tribunal Federal.

O filho da desembargadora foi preso no dia 8 de abril de 2017 ao ser flagrado com 129 quilos de maconha e 270 munições, além de uma arma de fogo sem autorização.

Nota

Leia na íntegra a nota divulgada pela defesa da desembargadora:

"A Des. Tânia Garcia de Freitas Borges, ao contrário do que tem sido divulgado, não retirou seu filho da penitenciária, arbitrariamente. Na verdade, havia uma segunda liminar de habeas corpus, autorizando a transferência de seu filho Breno, do qual é curadora, da penitenciária para uma clinica especializada com o fim de fazer exame pericial sobre sua saúde mental.

A defesa, embora respeitando a decisão do CNJ, considera que ela é arbitrária, desnecessária e equivocada, por não corresponder a realidade dos fatos retratados nos auto. Irá, com a brevidade possível, ao Supremo Tribunal Federal.

Brasília 09 de outubro de 2018.

Cezar Roberto Bitencourt"

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Especialistas criam manual para reduzir atropelamentos de animais
Geral
Aeronave de empresa de Campo Grande faz pouso de emergência em Curitiba
Geral
Nando Reis cancela show após dar positivo para Covid
Geral
Gênero neutro: Entenda melhor a polêmica linguagem que vem sendo adotada na internet
Geral
Dados cadastrais de 160 mil chaves Pix são vazados
Geral
Atriz Elizangela é internada em estado grave por conta da Covid
Geral
Você viu Alemão? Gato desapareceu no CCZ da Capital
Geral
Filha de Arthur Aguiar tem parada respiratória e vai parar na UTI
Geral
Morre aos 94 anos dona Olinda mãe do presidente Jair Bolsonaro
Geral
Correios realiza leilão com 90 motocicletas na próxima semana

Mais Lidas

Polícia
Desaparecida há três dias, mulher é encontrada morta dentro de fossa
Polícia
Homem assassinado em fazenda caiu em emboscada de ex-marido da atual namorada
Polícia
Após 24h trabalhando, jovem bate moto em carro e morre na BR-158
Internacional
Arnold Schwarzenegger causa acidente e deixa uma pessoa gravemente ferida