Menu
Busca quarta, 26 de junho de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Em protesto, motoristas da Uber prometem desligar app na quarta-feira

Associados a Applic-MS devem acompanhar um protesto a nível mundial contra a venda de ações da empresa em Nova York

06 maio 2019 - 12h50Rayani Santa Cruz

Motoristas que trabalham na Uber em Mato Grosso do Sul, devem protestar contra a venda de ações da plataforma na bolsa de valores de Nova York, no dia 8 de maio. Eles prometem desligar os aplicativos, acompanhando motoristas norte- americanos no protesto.

As afirmações sobre o ato são do presidente da Associação dos Parceiros de Aplicativos de Transporte de Passageiros e Motoristas Autônomos do MS (Applic-MS), Paulo Cesar Pinheiro, que disse ao JD1 Notícias, que a venda das ações será prejudicial aos motoristas da plataforma e que associados e simpatizantes devem aderir ao protesto. Ele justifica que os trabalhadores estão insatisfeitos e existem diversos problemas quanto à questão de segurança, nota de corte e taxas para motoristas. 

“A Uber, não ouve os motoristas, ela não responde os e-mails, retira o trabalhador da plataforma do nada e cobra 30% dos ganhos. Com a venda das ações, as coisas podem piorar, porque a empresa vai ficar supervalorizada”, diz Pinheiro.

A entrada da Uber no mercado de ações foi anunciada em abril, em sites como da revista Auto Esporte da Globo. Com isso, o aplicativo pretende se tornar uma das maiores empresas do setor de tecnologia com capital aberto. O Brasil é o segundo melhor mercado para a empresa atualmente. O faturamento por aqui no ano passado atingiu US$ 959 milhões (R$ 3,7 bilhões), o que representa um aumento de 115% em relação a 2017. A Uber soma 22 milhões de usuários no Brasil e 600 mil motoristas trabalhando em mais de 100 cidades.

Conforme o Auto Esporte, caso a empresa atinja suas próprias expectativas com sua entrada no mercado, ela encostará na General Motors. Comparando com outras empresas de tecnologia, ela ficaria atrás apenas da chinesa Alibaba e do norte-americano Facebook. O aplicativo tem 91 milhões de usuários ativos (contando o serviço de transporte e de delivery de comida, o Uber Eats) e teve receita de US$ 11,3 bilhões ano passado, o equivalente a quase R$ 44 bilhões.

Em Campo Grande os usuários podem encontrar dificuldades em utilizar o aplicativo no dia 8 de maio, porém, nem todos os motoristas devem aderir ao protesto. Além disso, existem outras plataformas disponíveis na cidade.

Assembleia para todos - junho-19

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Fulano di Tal encerra mostra com a obra “A Fabulosa História do Guri-Árvore”
Geral
Sorteio dos 602 apartamentos será transmitido pela internet
Geral
Inflação da construção civil sobe para 0,44% em junho, diz FGV
Geral
“Objetivo é demonstrar nossa contrariedade à reforma da previdência”, diz Sinpol
Geral
Exposição fotográfica "Olhares do Boêmio" acontece na Câmara
Geral
Termina desassoreamento do lago menor no Parque das Nações
Geral
Homem morre após sofrer acidente em rodovia
Geral
Oposição vence eleição à prefeitura em Istambul
Geral
Licenciamento de placas com finais 4 e 5 devem ser pagos nesta semana
Geral
EUA buscam coalizão global contra Irã

Mais Lidas

Polícia
Vídeo – ex-policial é executado no estacionamento do Shopping China
Polícia
Pilar de concreto cai e mata criança deitada em rede
Cidade
Supermercado Real é autuado pela venda de produtos vencidos
Polícia
Homem é atendido com faca cravada no crânio em MS